Governo já defendeu

Cotado para Justiça, Lewandowski diz ser contra a separação da pasta

O ministro aposentado afirmou que remover toda a estrutura da pasta não é tão simples como 'tirar o paletó'

acessibilidade:
Ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. (Foto: Nelson Jr./SCO/STF).

Cotado para assumir o Ministério da Justiça, o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, é contrário à divisão da pasta.

Lewandowski avaliou ao jornal O Estado de São Paulo que, remover toda a estrutura da segurança pública da alçada da Justiça, junto com a Polícia Federal, “não é tão simples como tirar o paletó”.

A separação do ministério foi cogitada no início do governo, do presidente Lula (PT).

Na segunda-feira (8), Lewandowski foi chamado pelo petista para uma conversa no Palácio da Alvorada. Ele é um principal nome para assumir a vaga no Ministério, até então chefiado por Flávio Dino, que deixa a vaga para assumir uma cadeira no Supremo.

Além de Lewandowski, outros nomes cotados para o ministério são Wellington César Lima e Silva, titular da Secretária de Assuntos Jurídicos (SAJ) da Casa Civil; Marco Aurélio de Carvalho, coordenador do grupo Prerrogativas; e Jorge Messias, ministro-chefe da Advocacia-Geral da União.

Reportar Erro