Caixa de Pandora

STF mantém condenação do ex-governador do DF José Roberto Arruda

Decisão da Primeira Turma do Supremo foi unânime, defesa vai recorrer

acessibilidade:
José Roberto Arruda, ex-governador do Distrito Federal.

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou, por unanimidade, nesta terça-feira (03), o pedido da defesa de concessão de um habeas corpus, para o ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda. Com isso manteve, a condenação por falsidade ideológica, no escândalo conhecido como Caixa de Pandora.

A defesa de Arruda pretende recorrer da decisão, conforme destacou o  advogado Nélio Machado,  “Vamos verificar o cabimento de eventual embargo de declaração. Uma coisa é certa, vamos levar adiante o nosso inconformismo com a decisão”.

Este julgamento teve início no mês de  maio, entretanto, com o pedido de vista do ministro Dias Toffoli, foi interrompido e sequenciado hoje, com o voto de Toffoli, em conformidade com os de mais ministros.

Deflagrada pela Polícia Federal em 2009, a Operação Caixa de Pandora investigou a distribuição de recursos ilegais à base aliada do Governo do Distrito Federal. Segundo as investigações, Arruda, na época governador do DF, chefiava um esquema de cobrança de propina de empresas de informática que tinham contrato com o Executivo. O dinheiro era usado para comprar apoio de deputados distritais.