Emater

Número de piscicultores no DF cresce 47,3% em 2023

A produção de pescados no Distrito Federal atingiu um recorde de 2 mil toneladas no ano

acessibilidade:
A região do Gama lidera a produção do DF. (Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília).

Em 2023, a produção de pescados no Distrito Federal atingiu um recorde de 2 mil toneladas, um aumento de quase 25% em relação a 2019, segundo a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater).

Além disso, o número de produtores rurais dedicados à piscicultura cresceu 47,3% nos últimos cinco anos, de 624 em 2019 para 919 em 2023.

A região do Gama é responsável por mais de um quarto da produção total, tendo produzido 555 mil kg de peixes em 2023. Paranoá, com 367.900 Kg; Ceilândia (330.000 Kg); São Sebastião com 220.099 Kg e Planaltina (190.345 Kg) fecham a lista das maiores regiões produtoras.

O Gama que lidera a produção de pescados, tem como destaque Éber Maia, da Terra Mare Pescados, o único produtor do DF a exportar peixes para outros estados.

“Faço parte de um nicho específico da cadeia produtora. Eu recebo o peixe alevino, transformo em juvenil e posteriormente vendo para pesque-pagues e empresas de engorda da tilápia para abate”, detalha Maia.

A Emater tem desempenhado um papel crucial na expansão da piscicultura, oferecendo capacitação, suporte técnico e orientação para novos e antigos piscicultores.

“A empresa atua no sentido de ajudar os produtores a obterem o licenciamento ambiental e a outorga de água. Também estimulamos a adoção de novas tecnologias e métodos de produção sustentáveis, utilizando-se da energia fotovoltaica e voltada para o menor consumo de água possível”, afirma o coordenador do programa de aquicultura, Adalmyr Morais Borges.

Dos piscicultores, cerca de 100 comercializam regularmente a produção, enquanto os demais produzem para subsistência ou comércio informal.