Meu pirão primeiro

Deputados criticam STF por vetar piso dos enfermeiros e aumentar os próprios salários

"Placar" está 5X3 contra enfermeiros; STF conclui julgamento nesta sexta

acessibilidade:
Ambos ministros se recuperavam de cirurgias Foto: Fellipe Sampaio/STF.

Vários deputados federais, sobretudo da base governista, criticaram duramente a decisão liminar do ministro Luis Roberto Barroso, do  Supremo Tribunal Federal, de suspender a validade do piso salarial dos enfermeiros.

As críticas mencionam o fato de não estar em causa questionamento de ordem constitucional, o que configuraria interferência indevida do STF em matéria que não lhe compete e sobretudo em decisões dos outros Poderes.

Também entre os deputados há a crítica da decisão do STF, que reclama “indicação de fonte de custeio”, após aumentar os salários dos próprios ministros para R$46 mil mensais, além de penduricalhos, provocando uum “efeito cascata” de aumentos generalizados no Judiciários e nas carreiras jurídicas.

Os deputados Sanderson (PL-RS), Coronel Tadeu (PL-SP), Capitão Alberto Neto (PL-AM) e o Sargento Gurgel (PL-RS) chegaram a gravar vídeos manifestando apoio ao piso salarial da enfermagem, suspenso pela liminar na véspera do pagamento.

A lei foi aprovada no Congresso, após dois anos de tramitação, e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, estabelecendo piso salarial de R$4.750 para enfermeiros e percentuais desse valor para outros profissionais, como auxiliares e técnicos de enfermagem.

Para o deputado federal e vice-líder do governo Sanderson, o julgamento sobre o tema, pelo Supremo Tribunal Federal, “É impróprio e sem legitimidade”. Uma vez que, não é matéria constitucional. O Congresso aprovou, o presidente sancionou, e há uma intromissão indevida do STF”.

O deputado Coronel Tadeu também defende o piso salarial e ressalta o papel fundamental da categoria durante a pandemia. “Peço ao Pleno do STF que libere esse pagamento para esses soldados que lutaram nessa guerra contra a COVID. Lutamos para dar dignidade a esses profissionais e dar honra a quem tem honra”.

O vice-líder do governo, deputado Capitão Alberto Neto ressalta que votou a favor do piso, tendo em vista o trabalho dos enfermeiros durante a pandemia. “É muito contraditória a decisão do STF. Aumentam seus salários estratosféricos, e não querem reconhecer nossos heróis da Enfermagem”.

A dedicação dos enfermeiros foi destacada pelo Sargento Gurgel.”Nós do Congresso Nacional, fizemos a nossa parte, e agora espero que o STF libere logo esse pagamento. Ser enfermeiro no Brasil é um ato de amor à vida e à saúde das pessoas”.

O piso salarial está sendo analisado pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), desde a última sexta-feira (9) e será julgado até a próxima sexta-feira (16). Até o momento o placar está em 5×3 pela suspensão do pagamento do piso salarial.