Maior valor era 2 mil

211,4% de inflação leva Argentina a emitir notas de 10 mil e 20 mil pesos

Medida amplia em até dez vezes valor da cédula aprovada pelo Banco Central coloca do governo de Milei

acessibilidade:
Inflação corroeu valor do peso argentino (Foto: Pixabay/elluisx)

Para enfrentar uma herança de inflação que concluiu 2023 com índice de 211,4%, o Banco Central da Argentina decidiu emitir novas cédulas de 10 mil e 20 mil pesos, ao longo de 2024. A medida do órgão que o novo presidente Javier Milei ameaçou fechar eleva em até dez vezes o valor da nota mais alta em circulação, de 2 mil pesos, lançada em fevereiro do ano passado, pelo então presidente Alberto Fernandez.

O BC da Argentina argumenta que as novas notas de pesos facilitará as transações, tornando a logística do sistema financeiro mais eficiente e reduzirá significativamente os custos de aquisição de notas acabadas. E as novas cédulas devem estar em circulação a partir de junho.

Para economizar custos e agilizar a produção das notas, o Conselho de Administração decidiu usar desenhos existentes de heroínas e heróis da pátria, estampando a nota de 10 mil pesos terá em um dos lados as imagens de Manuel Belgrano e María Remedios del Valle, heroína da Guerra da Independência. E do outro lado será ilustrada com uma recriação artística da cena do Juramento da Bandeira, realizado em 27 de fevereiro de 1812.

Já a nota de 20 mil pesos terá a imagem do jurista liberal Juan Bautista Alberdi, tendo do outro lado a ilustração da recriação da cidade natal do argentino que inspirou a Constituição Nacional de 1853.

O BC da Argentina vai manter o tamanho das cédulas em circulação. E as novas notas impressas em papel de algodão, ganharão novos elementos de segurança.

Reportar Erro