Processo arquivado

Conselho de Ética livra Glauber Braga de cassação

Braga era acusado de agredir fisicamente o também deputado federal Abílio Brunini (PL-MT), em novembro do ano passado

acessibilidade:
Deputado Glauber Braga (Psol-RJ). Foto: Agência Câmara
Deputado federal Glauber Braga (Psol-RJ). (Foto: Agência Câmara).

O Conselho de Ética da Câmara arquivou o processo que pedia a cassação do deputado federal Glauber Braga (Psol-RJ).

Glauber era acusado de agredir fisicamente o também deputado federal Abílio Brunini (PL-MT), no dia 8 de novembro do ano passado, durante uma reunião da Comissão de Direitos Humanos, sobre a guerra entre Israel e os terroristas do Hamas.

A representação foi apresentada pelo Partido Liberal (PL).

O relator do caso, deputado Ricardo Ayres (Rep-TO), concluiu na quarta-feira (12) não haver “justa causa” para a cassação do deputado.

Outros nove parlamentares do Conselho de Ética votaram a favor do relatório que absolveu Braga. Apenas quatro deputados votaram contra o relatório.

Outro caso envolvendo Braga

Também rola no Conselho de Ética, um processo contra o parlamentar aberto no dia 24 de abril deste ano, por uma confusão envolvendo Braga e um integrante do Movimento Brasil Livre (MBL).

Na ocasião, o parlamentar também teve que ser contido pela Polícia Legislativa após pressionar, com força, as mãos do deputado federal Kim Kataguiri (União-SP) em meio a uma discussão na Delegacia de Polícia da Câmara.

O processo foi protocolado pelo Partido Novo. A sigla pede a cassação do mandato do deputado por quebra de decoro parlamentar.

Como noticiado pelo Diário do Poder, Glauber Braga afirmou que “não se arrepende” da conduta praticada por ele.