Mais Lidas

Sem proteção

Coletes da PM vencem nesta sexta e Comando não renova

Policiais ameaçam não sair para trabalhar sem novos coletes

acessibilidade:

Com validade de cinco anos, os coletes dos policiais militares do Distrito Federal vencem nesta sexta-feira (20). Os equipamentos foram comprados em 20 de maio de 2011 e o Comando da PMDF ainda não comprou novos.

Por causa da situação, uma campanha está rodando grupos de policiais com imagem do malote de colete comprado e a frase "Não sairemos para a rua com coletes vencidos". Eles ameaçam parar de trabalhar devido à gravidade do caso.

De acordo com um policial militar que trabalha fazendo patrulhamento, mas que prefere não se identificar, o problema na PM não é falta de dinheiro, mas sim de gestão. "Os oficiais fazem três anos de academia policial onde são ensinados, além de combater o crime, sobre gestão da PM, que é feita exclusivamente por eles", diz.

"Os policiais estão saindo do batalhão sem saber se aquele colete vai funcionar ou não caso precise. Fora que a PM não tem local adequado para guardar os equipamentos, sendo expostos à umidade e acondicionamento indevido", comentou. "A polícia está prestes a parar e o comando não poderá dizer que não foi avisado, pois todas as irregularidades já foram comunicadas", denunciou.

Campanha lançada pelos policiais nas redes sociaisO policial ainda revela outros problemas enfrentados. "Os militares atualmente trabalham armas antigas, sem treinamento periódico de tiro, viaturas sem manutenção… claro que gera um receio para nós. Muitos ficam anos sem dar um tiro sequer, pois se quiserem fazer isso têm que pagar estande e munição do próprio bolso", declarou, sob condição de anonimato.

O Diário do Poder procurou o Comando da Polícia Militar por dois dias e recebeu retorno nesta manhã de sexta. Em nota, a comunicação da corporação disse que os coletes que estão vencendo hoje são "apenas um lote de muitos que a instituição possui". A PM disse que os coletes vencidos serão recolhidos e aqueles que ainda estão dentro do prazo de validade serão redistribuídos de modo que não haja prejuízo para o policial, mas não informou a quantidade, nem se são suficientes para todos.

"A licitação para aquisição dos novo coletes já se encontra na fase final. Dentro de poucos dias a situação será normalizada", disse a nota, sem informar a previsão.

Repercussão 
No começo da noite desta sexta (20), após grande repercussão da matéria do Diário do Poder, o Comando da PM divulgou uma nota de esclarecimento detalhada em relação aos coletes vencidos e um vídeo apresentado pelo subcomandante da corporação, coronel Leonardo Sant'Anna.
 
De acordo com o subcomandante, que conversou com a reportagem, a PM vem tentando adquirir desde julho de 2015 novos coletes, mas a empresa vencedora da licitação foi reprovada por apresentar equipamentos frágeis e reprovados nos testes. A licitação foi declarada como "fracassada". 
 
"A PMDF não abre mão da segurança dos seus profissionais. Estamos preocupados em acelerar ao máximo o processo de aquisição, contudo não podemos descumprir prazos previstos nas leis licitatórias", explicou o oficial.
 
Segundo o subcomandante, os policiais não ficarão sem o uso de coletes, pois "há aproximadamente 2.300 peças com vencimentos entre 2017 e 2019". "Todos os policiais que hoje utilizam seus coletes individualmente devem dirigir-se a suas unidades de trabalho e restituir as placas balísticas ainda dentro da validade, de maneira que possamos, temporariamente, realizar o rodízio desse material entre os colegas que estiverem entrando de serviço", declarou.