Mais Lidas

Crime planejado

Arma usada no assassinato era do próprio militar

O revólver foi entregue aos criminosos pela cunhada da vítima

acessibilidade:

A Polícia Civil do Distrito Federal confirmou que a arma utilizada para matar o coronel do Exército Sérgio Murillo Cerqueira era do próprio militar. Ele havia ganhado o revólver calibre .38 do sogro. Segundo a polícia, ela foi entregue aos criminosos por Cláudia Osório, cunhada da vítima.

“Cláudia forneceu a arma, efetuou o pagamento inicial e combinou o restante. No dia anterior, ela levou Rodrigo e Lorena até a quadra e explicou como seria feita a abordagem”, explicou o delegado Leandro Ritt, chefe da Divisão de Repressão a Sequestros (DRS). Segundo ele, Cláudia contou que a ideia inicial era que o militar levasse um tiro na perna. Assim, ele voltaria para casa e precisaria dos cuidados da mulher, Cristiana Cerqueira, e o casamento seria retomado.

Para o crime, os bandidos receberiam R$ 15 mil. O pagamento também ficou a cargo de Cláudia, que deu cerca de R$ 1 mil à vista e combinou o parcelamento em duas vezes do restante. Cláudia e Cristiana, além de outros quatro criminosos continuam presos.

Crime

Sérgio Murillo foi assassinado na madrugada de sábado (16/5) com um tiro na nuca. Ele e a esposa sofreram um sequestro relâmpago, na 208 Norte, quando saíam da casa de amigos. A mulher acabou liberada. O corpo do coronel foi encontrado às 3h, "em posição de execução", segundo a Polícia Militar, com um tiro na nuca no Núcleo Rural Aguilhada, em São Sebastião, a 26 km do crime

Doze horas após o sequestro, Cristiana e a irmã foram presas suspeitas de terem cometido o crime. Cláudia confessou, mas Cristiana nega participação no crime.