Mais Lidas

Política rasteira

Alagoas tem jogo bruto para o Senado com ataques, mentira e telemarketing

Desempenho tucano acirra briga que tem Renan, Benedito e Quintella no páreo

acessibilidade:
Renan Calheiros, Benedito de Lira, Rodrigo Cunha e Mauricio Quintella. Fotos: Divulgação Redes Sociais

Depois de o prefeito de Maceió (AL) Rui Palmeira (PSDB) deflagrar a campanha “Renan senador, não!”, para beneficiar seus candidatos da oposição, o clima esquentou de vez na disputa pelas duas vagas de senador, em Alagoas. O último fim de semana iniciou com o ataque do candidato à reeleição Benedito de Lira (PP) contra Maurício Quintella (PR), na propaganda eleitoral na TV, teve direito a calúnia e difamação via telemarketing ilegal contra Benedito e videos distribuídos nas redes sociais contra Quintella e Rodrigo Cunha (PSDB).

Depois de ser alvo de pedidos de “Fora Renan”, diante do prédio onde mora na orla da Praia da Ponta Verde, o senador e candidato à reeleição Renan Calheiros (MDB) foi obrigado pela Justiça Eleitoral, na noite deste domingo (30), a retirar de seus perfis das redes sociais a publicação que atribuía um percentual de rejeição ao candidato Benedito de Lira; que é um dado não existente na pesquisa Ibope publicada junto à postagem. Além disso, Renan xingou Benedito de traidor de trabalhadores e aposentados e disse que “Alagoas não aceita velhacaria”, na tarde de sábado (29)

O tema aposentadoria foi objeto de uma ação ilegal de telemarketing eleitoral contra o senador Benedito, que denunciou o abuso de poder econômico e crime eleitoral massificados em telefonemas aos alagoanos, desde sexta-feira (28). Números de telefones com códigos até da Argentina foram identificados como fontes da ação.

“Além de representação no Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE), foi realizada, também, representação na Agencia Nacional de Telecomunicações (Anatel), Polícia Federal e Ministério Público Federal. Ações como estas provam o desespero da chapa adversária que fazem de tudo para se manter no poder e não perder o foro privilegiado. Agora, tentam confundir o eleitor alagoano com ações e informações ilícitas e criminosas”, reagiu o senador, por meio de sua assessoria de imprensa.

Maurício Quintella também foi alvo de ação massiva de divulgação de um vídeo que relata uma ação cível decorrente da Operação Gabiru contra o candidato do PR, divulgados via aplicativo Whatsapp por telefones com DDD 31, de Minas Gerais. O mesmo vídeo termina seus últimos segundos dizendo que Renan está na Lava Jato.

O tema da Operação Gabiru havia sido tratado na propaganda eleitoral do senador do PP, contra o qual Maurício Quintella reagiu dizendo que Benedito está na Operação Lava Jato e estaria desesperado com a possibilidade de perder a eleição.

O mesmo método via Whatsapp já vinha acontecendo, via Whatsapp, com Rodrigo Cunha, há mais tempo. Na ação intensificada no fim de semana, é criticada sua aliança com o herdeiro político da família Caldas, o deputado João Henrique Caldas, “JHC” (PSB-AL), consolidada através da candidatura de Eudócia Caldas, mãe do parlamentar, como 1ª suplente do tucano.

Números pautam ataques

Os ataques e o jogo rasteiro coincidem não apenas com a reta final da campanha, mas com o desempenho do candidato Rodrigo Cunha, que saltou 18 pontos em pouco mais de um mês, alcançando 37% das intenções de voto em Alagoas, de acordo com pesquisa Ibope divulgada no dia 20 de setembro, empatado tecnicamente com Renan, com 39%.

Na capital alagoana, o tucano teria 68% dos votos válidos, contra 30% de Renan, segundo a simulação da mesma pesquisa do Ibope em Maceió, registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo AL‐06041/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR‐02881/2018.

As tendências após esta que foi a última pesquisa registrada estão sendo acompanhadas diariamente pelos candidatos. Os levantamentos de consumo interno mostram a realidade que pautam cada ação de campanha. Mas o eleitor só deve conhecer a nova realidade que inquietou as candidaturas ao Senado, a partir de quarta-feira (3), quando os resultados de novas pesquisas registradas começarão a ser divulgados.

Vídeos Relacionados