18/01/2019

Ibaneis garante que vai ‘entrar com ação’ contra cada distrital, por mortes na saúde pública

Governo do DF

Ibaneis garante que vai ‘entrar com ação’ contra cada distrital, por mortes na saúde pública

O governador deseja que o projeto de lei emergencial da área da saúde seja votado na próxima semana

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha,  foi muito claro, nesta sexta-feira (18), ao avisar que vai responsabilizar os distritais, caso não ocorra a sessão extraordinária na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), na próxima semana. “Em meses, várias pessoas vão morrer. Eles escolhem o que eles querem. A partir daí, eu vou entrar com uma ação contra cada um (deputado) pela morte de cada cidadão.” Em sua conta no Twitter, Ibaneis comentou que não aguenta mais o “caos na saúde”. “Há críticas de que um projeto desse porte precisaria de meses para ser discutido. Mas em meses várias pessoas vão morrer. Eu estou cansado de ver as pessoas contando historias de morte por falta de atendimento”. Ibaneis falou sobre “enfrentamento” com o Poder Legislativo caso não seja analisado  e votado o projeto de lei emergencial sobre a saúde pública, na próxima terça-feira (22) ou quarta-feira (23), dez dias antes do fim do recesso. “Ou dão os instrumentos para que o governo consiga fazer ou então vamos ter um enfrentamento grave”. O texto que busca melhoras na saúde pública, prevê que as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), o Samu e os hospitais regionais passem a ser geridos pelo Instituto Hospital de Base, que começaria a se chamar Organização Hospitalar do DF. A ideia é que a Secretaria de Saúde fique com a responsabilidade da gerência das menores unidades de saúde, como os postos de saúde e os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs). Ibaneis também falou que vai “suspender nomeações” para cargos comissionados até que todos os projetos sejam analisados pela Casa. A liberação para as convocações de pessoal para as administrações será assinada hoje, “dos técnicos que precisam para funcionar”. “A partir de agora, está suspensa qualquer nomeação, salvo com justificativa fundamentada do dirigente da pasta”. Na quinta (17), Ibaneis enviou à CLDF um pacote com projetos emergenciais para serem analisado,  antes do fim do recesso, no dia 1º de fevereiro.  No mesmo dia, convocou a base aliada para tratar da mobilização dos deputados distritais para a convocação de emergência.
18/01/2019

Seguro-desemprego é reajustado em 3,43%, correspondente à inflação do INPC

Economia

Seguro-desemprego é reajustado em 3,43%, correspondente à inflação do INPC

A parcela máxima passará de R$ 1.677,74 para R$ 1.735,29. A mínima, de R$ 954 para R$ 998

O empregado demitido sem justa causa terá o seguro-desemprego corrigido em 3,43%, correspondente à inflação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) no ano passado, informou hoje (18) o Ministério da Economia. A parcela máxima passará de R$ 1.677,74 para R$ 1.735,29. A mínima, que acompanha o valor do salário mínimo, foi reajustada de R$ 954 para R$ 998. Os novos valores serão pagos para as parcelas emitidas a partir de 11 de janeiro e para os novos benefícios. Atualmente, o trabalhador dispensado sem justa causa pode receber de três a cinco parcelas do seguro-desemprego conforme o tempo trabalhado e o número de pedidos do benefício. A parcela é calculada com base na média das três últimas remunerações do trabalhador antes da demissão. Caso o trabalhador tenha ficado menos que três meses no emprego, o cálculo segue a média do salário em dois meses ou em apenas um mês, dependendo do caso. Quem ganhava mais que R$ 2.551,96 recebe o valor máximo de R$ 1.735,29. Quem ganha até R$ 1.531,02 tem direito a 80% do salário médio ou ao salário mínimo, prevalecendo o maior valor. Para remunerações de R$ 1.531,03 a R$ 2.551,96, o seguro-desemprego corresponde a R$ 1.224,82 mais 50% do que exceder R$ 1.531,02. O beneficiário não pode exercer atividade remunerada, informal ou formal, enquanto recebe o seguro. O trabalhador é obrigado a devolver as parcelas recebidas indevidamente, caso saque o benefício e tenha alguma ocupação. O trabalhador demitido pode pedir o seguro-desemprego pela internet, no portal Emprega Brasil. É necessário ter em mãos as guias entregues pelo ex-empregador ao homologar a demissão, o termo de rescisão, a carteira de trabalho, o extrato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a identificação do Programa de Integração Social (PIS) ou do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), Cadastro de Pessoa Física (CPF) e documento de identificação com foto. (
18/01/2019

Pesquisadora da UFG produz corante natural a partir de fungos

SEGURO E SAUDÁVEL

Pesquisadora da UFG produz corante natural a partir de fungos

Pigmento pode substituir opções artificiais e ainda traz benefícios para melhorar a saúde das artérias e diminuir o colesterol

Uma pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidade Federal de Goiás (UFG) produziu um pigmento vermelho natural a partir de um fungo chamado Monascus ruber. O trabalho analisou a fermentação do fungo durante o processo de fabricação de pães, trazendo uma nova alternativa para a área alimentícia. Uma das propostas da pesquisa é fornecer alternativas aos corantes artificiais, comumente utilizados na indústria de alimentos, tanto pelo seu baixo custo como pela facilidade de obtenção. O mercado consumidor, entretanto, requer produtos mais saudáveis e uma alternativa viável seria a utilização de pigmentos naturais. Além de plantas, flores, frutos e animais, micro-organismos podem ser fonte deste tipo de pigmento, como fungos, bactérias e microalgas. Já utilizado em países da Ásia, o Monascus ruber é capaz de gerar pigmentos de diferentes tonalidades (amarela, laranja e vermelha), além de possuir uma alta taxa de produtividade e promover benefícios à saúde. “Como estudado e comprovado por outros pesquisadores, os corantes naturais ou pigmentos extraídos do Monascus podem melhorar a saúde das artérias e também diminuir o colesterol no sangue”, explica Aline Bessa Parmigiani, responsável pela pesquisa. Processo Com a extração, o pigmento do fungo Monascus foi diretamente aplicado ao trigo na produção de pães. A pesquisadora explica que, como o pigmento foi usado de maneira imediata, o processo de extração ocorreu apenas para quantificá-lo. Mas, caso haja interesse na separação do mesmo, a extração pode ser feita mediante o uso de algum solvente, como por exemplo, o etanol. O Brasil não permite o uso de pigmento extraído do Monascus como aditivo alimentar, o que impossibilitou que os experimentos contemplassem uma análise sensorial do produto. Entretanto, outros métodos de avaliação foram utilizados pela pesquisadora, como a análise do perfil de textura e análise alveolar. Os resultados foram satisfatórios: os pães de forma produzidos com a farinha de trigo pigmentada possuem características adequadas comparadas às amostras que continham farinha não pigmentada. Comportamentos inesperados Apesar do êxito na pesquisa, dificuldades foram enfrentadas pela pesquisadora. Quando se trata de micro-organismos, ou seja, um tipo de ser vivo, neste caso o fungo Monascus ruber, comportamentos inesperados acabam sendo apresentados durante o estudo. “Às vezes, pequenas oscilações de quaisquer das condições de produção podem provocar intensas alterações nos produtos finais. Esse é um grande complicador”, conclui.   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
18/01/2019

Governo está finalizando MP contra fraudes no INSS, diz secretário

Antifraudes no INSS

Governo está finalizando MP contra fraudes no INSS, diz secretário

A Medida Provisória visa a diminuir de R$ 17 bilhões a R$ 20 bilhões as perdas na seguridade social até dezembro

O secretário Especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse hoje (18) que o governo está trabalhando “nos últimos pontos” da medida provisória (MP) que combaterá fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Perguntado se existe a possibilidade de a MP ser editada ainda hoje (18), ele disse que “possibilidade há”. “Estamos trabalhando. Vamos ver se vai dar certo”, disse após reunião na Casa Civil. Segundo o secretário, a equipe técnica está analisando “questões meramente formais”, no momento. A MP antifraudes no INSS visa a diminuir de R$ 17 bilhões a R$ 20 bilhões as perdas na seguridade social até dezembro. No último dia 9, Marinho informou que governo federal vai fazer uma auditoria em 2 milhões de benefícios pagos pelo INSS com indícios de irregularidade.(ABr)
18/01/2019

Doria vai privatizar novos presídios do estado de SP e linhas da CPTM

PPP

Doria vai privatizar novos presídios do estado de SP e linhas da CPTM

Modelo de PPP será adotado em quatro novas penitenciárias que já estão em fase de obras

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira, 18, que vai lançar uma Parceria Público-Privada (PPP) para a operação de quatro dos 12 presídios em construção no Estado. Os editais devem ser lançados este ano. Outros três complexos penitenciários que estão previstos também devem entrar no modelo. As unidades que serão privatizadas não foram informadas. Os outros oito em construção já têm servidores contratados para cuidar dos presos. A proposta não precisa passar pela Assembleia Legislativa e teria como foco a oferta de serviços de ressocialização, como cursos profissionalizantes, educacionais e ofertas de trabalho em fábricas no interior das cadeias. Segundo Doria, o modelo PPP a ser adotado tem como referências o presídio da cidade de Ribeirão das Neves, em Minas Gerais, e também o sistema norte-americano. Estão previstas viagens de secretários tanto para Minas quanto para os EUA para reuniões de avaliações de formatos. “Nós basearemos a gestão em critérios de qualidade, melhorando as condições do apenado, oferecendo parque fabril interno capaz de ressocializar o apenado com trabalho”, afirmou o secretário de Administração Penitenciária, coronel Nivaldo Restivo. O secretário de Governo, Rodrigo Garcia, explicou que os presos que devem ocupar esses novos presídios serão de baixa periculosidade, para evitar que as cadeiras privadas também sejam dominadas por facções criminosas, como ocorre no restante do sistema. “Se a gente está falando de presídios onde o preso vai trabalhar, estamos falando de presos de baixa periculosidade, de presos caminhando para o regime semi-aberto, então, o presídio tem que estar preparado para oferecer a reinserção social desse preso que logo, logo volta para a sociedade”, afirmou. CPTM Segundo Garcia, além da privatização dos presídios, o Estado iniciou estudos da mesma natureza para as linhas de trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O governo Doria está fazendo uma avaliação da rede elétrica da zona leste da cidade, nas Linhas 11-Coral e 12-Safira. A ideia é que, nos próximos meses, seja extinta a necessidade de baldeação na Estação Guaianases. Após isso, serão feitos estudos para que a operação de linhas da empresa sejam alvo de PPP. (ABr)
18/01/2019

Uso indevido de anti-inflamatórios pode retardar reparação de tecidos

PREJUDICIAL À SAÚDE

Uso indevido de anti-inflamatórios pode retardar reparação de tecidos

Artigo de pesquisadores da UFMG com colaboração internacional mostra papel paradoxal da resposta inflamatória

Experimentos com camundongos demonstram que o uso de anti-inflamatórios deve ser controlado, considerando não apenas a quantidade e o tipo de droga, mas, sobretudo, o estágio em que se encontra a doença. “O mesmo medicamento que pode evitar dores, mal-estar e perda de função de órgão, se usado continuamente ou no auge do processo inflamatório, pode atrasar a reparação tecidual”, alerta o professor Gustavo Menezes, do Departamento de Morfologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB). Em artigo recém-publicado na revista Cells, o pesquisador alerta para a necessidade de entender a resposta inflamatória do organismo, que tem papel paradoxal – com momentos de destruição e outros de reparação de tecidos. O trabalho revela que há atraso na recuperação do órgão afetado quando a intervenção medicamentosa é feita em momento indevido.   Gustavo Menezes: modelos de lesão hepáticaFoca Lisboa / UFMG Segundo Menezes, anti-inflamatórios são, na maioria das vezes, medicamentos sintomáticos: “Se os sintomas cessaram, não faz qualquer sentido manter o uso. Muitos pacientes continuam a tomar o medicamente prescrito mesmo sem dor ou inchaço, só porque já estão tomando ou por precaução, mas isso pode acarretar malefícios”, explica o pesquisador, lembrando que o estudo, que foi realizado utilizando modelos de lesão hepática, pode ser válido para outros órgãos, pois as células do sistema imunológico são muito parecidas nos diversos tecidos e órgãos do corpo. Dupla face Tida muitas vezes como mal a ser combatido a qualquer custo, a resposta inflamatória pode ter uma parte lesiva e desconfortável inicialmente, mas é necessária ao organismo para que ocorra o reparo tecidual. “É como uma cidade atingida por um míssil: para reconstruir, é preciso demolir as construções danificadas e limpar o terreno. Os neutrófilos, células de defesa que chegam rapidamente ao tecido inflamado, precisam acabar de digerir os tecidos mortos, para que o órgão possa se reconstituir. Assim, bloquear sua ação completamente e por longos períodos impede que o tecido se repare corretamente”, compara Menezes. Ele explica que, quando um médico receita um anti-inflamatório a ser ingerido durante determinado número de dias e enquanto sentir dor, a recomendação “caso haja dor” é mais importante do que o número de dias. “Se houver dor por muito tempo, é necessário voltar ao médico, já que o processo não foi resolvido. Além disso, tomar por vários dias, sem dor, não traz benefícios e tem potencial malefício. É isso que o nosso trabalho mostra experimentalmente”, diz o professor. Nos testes com animais, foi utilizado modelo de lesão hepática por paracetamol, em uma disfunção momentânea na qual ocorreria autorremissão. “Menos sintomas surgem quando a resposta é bloqueada antes. Mas, se não bloquearmos por longos períodos, a disfunção se resolve muito mais rápido, em pelo menos duas vezes menos tempo”, descreve. Ele explica que é necessário saber em que casos o anti-inflamatório deve ou não ser usado. E enfatiza que, exceto em doenças nas quais a causa principal do problema é o próprio processo inflamatório – como artrite e fibrose pulmonar –, os anti-inflamatórios são medicamentos que inerentemente tratam sintomas. Além de investigar como o processo de resposta inflamatória pode ser multifacetado, o artigo mostra que a intervenção farmacológica não pode ser feita a qualquer momento. “Deve-se achar o ponto exato. Às vezes, em pacientes que já estão inflamados, bloquear sintomas pode não ser tão benéfico”, diz. Assim, em termos biológicos, o trabalho esclarece que a resposta inflamatória não tem apenas a face ruim e mostra que as intervenções que bloqueiam a inflamação são momento-dependentes. Há casos, contudo, em que ocorre resposta exacerbada do organismo. “Temos vários trabalhos publicados nessa linha e uma patente de dois medicamentos que podem reduzir a resposta inflamatória, mas isso não significa que a inflamação em si seja ruim, o que não faria sentido do ponto de vista evolutivo”, alerta. “É provavelmente por saber inflamar que os seres humanos ainda estão na Terra. É uma resposta à agressão que foi mantida por quase todos os seres vivos, desde plantas, até mamíferos superiores”, enfatiza. Gustavo Menezes comenta que a inflamação está presente em processos normais do organismo, como a ovulação e a filtração da urina. Por isso, o uso abusivo de anti-inflamatórios afeta a fertilidade, a formação da urina, o sistema nervoso central e o calibre dos vasos do coração. “Medicamentos são substâncias capazes de mudar comportamentos no organismo. A decisão de usá-los deve ser sempre resultado de uma equação entre o quanto de malefício e de benefício vão trazer”, pondera. A pesquisa que gerou o artigo foi realizada pela equipe do Center for Gastrointestinal Biology, coordenado por Gustavo Menezes, e contou com a colaboração do professor Mauro Martins Teixeira, também da UFMG, e de pesquisadores da Universidade Federal de Viçosa (UFV), da Universidade de Calgary (Canadá) e do Harvard Medical School (EUA). Artigo: Paradoxical Role of Matrix Metalloproteinases in Liver Injury and Regeneration after Sterile Acute Hepatic Failure Publicação: Revista Cells Autores: Débora Moreira Alvarenga, Matheus Silvério Mattos, Mateus Eustáquio Lopes, Sarah Cozzer Marchesi, Alan Moreira Araújo, Brenda Naemi Nakagaki, Mônica Morais Santos, Bruna Araújo David, Viviane Aparecida De Souza, Érika Carvalho, Rafaela Vaz Sousa Pereira, Pedro Elias Marques, Kassiana Mafra, Hortência Maciel de Castro Oliveira, Camila Dutra Moreira de Miranda, Ariane Barros Diniz, Thiago Henrique Caldeira de Oliveira, Mauro Martins Teixeira, Rafael Machado Rezende, Maísa Mota Antunes e Gustavo Batista Menezes. Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
18/01/2019

Ducati lança cursos de aperfeiçoamento no Brasil com etapas durante todo o ano

Diário Motor

Ducati lança cursos de aperfeiçoamento no Brasil com etapas durante todo o ano

O Ducati Riding Experience (DRE), chega em duas categorias: Safety e Racetrack

A italiana Ducati traz para o Brasil o Ducati Riding Experience (DRE), nova plataforma de experiências da marca. No primeiro ano, serão duas modalidades, o Safety e o Racetrack. Os cursos são voltados, principalmente, para proprietários de motocicletas da montadora. Mas também estão abertos para quem não tem um modelo da marca. A única exigência é ter habilitação do tipo A. Os valores variam de R$ 1.900 a R$ 2.900. Segundo a montadora, os instrutores são de alto nível com muita experiência acumulada no universo duas rodas. O programa será monitorado pelo piloto Leandro Mello, ele terá companhia, dos também pilotos, Eduardo Tostes, Fernando Alcazar e Fernando Souza. A Ducati selecionou diversas pistas pelo país, todas homologadas pela Confederação Brasileira de Motociclismo, com condições comprovadas de segurança e desempenho para os participantes. Neste primeiro ano, o DRE passará por São Paulo, Paraná e Goiás. DRE Safety Nesta modalidade, o foco é o aperfeiçoamento da pilotagem e condução segura, tanto para o dia a dia, quanto para viagens na estrada. Segundo a marca, o Safety desenvolve motociclistas para ajudá-los a se sentir à vontade durante a pilotagem nas mais variadas situações, simulando diversos cenários que se assemelham aos que encontramos em ambientes urbanos e rodoviários. No Safety também serão trabalhadas técnicas de frenagem de emergência com ABS, frenagem em curva, desvio de objetos inesperados e efeito giroscópio. Os participantes poderão realizar uma sessão na pista para pôr em prática o que aprenderam durante o curso. As aulas, no valor de R$ 1.900, acontecerão sempre no Haras Tuiuti, em Tuiuti, interior de São Paulo, durante um dia e contará com modelos como Monsters 797 e 1200 S, Multistradas 950, 1200 e 1260 e Supersport S. DRE Racetrack Chamado de Track Evo, o curso de alta performance ensina como aumentar o desempenho, aproveitar ao máximo a aceleração e melhorar a fluidez no estilo de pilotagem. Segundo a Ducati, a evolução dos participantes será avaliada durante todo o curso e, antes de cada sessão, um instrutor fará as devidas correções de problemas técnicos. Após o fim de cada bateria, os alunos receberão comentários da performance com o auxílio de vídeos, para facilitar a evolução de cada um. As etapas do Racetrack ocorrerão nos dias 19 de abril em Mogi Guaçu, interior de São Paulo, em julho em Curitiba, em agosto em Goiânia e em novembro na capital paulista. A modalidade custa R$ 2.900 e conta com modelos como 959 Panigale e 1299 Panigale. Inscrições e demais informações no site: dreducati.com.br.
18/01/2019

ANP aprova pagamento de R$ 675,5 milhões em subvenções à comercialização do diesel

Economia

ANP aprova pagamento de R$ 675,5 milhões em subvenções à comercialização do diesel

Subvenções foram aprovadas como parte do acordo do governo federal para acabar com a greve dos caminhoneiros

A diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou o pagamento, para oito distribuidoras, de R$ 675,5 milhões em subvenções à comercialização do óleo diesel. A maior parte desse valor (R$ 622,5 milhões) será destinado à Petrobras. As outras empresas que receberão o dinheiro serão a Blueway (R$ 22,3 milhões), Flamma (R$ 15,8 milhões), Oil Trading (R$ 7,3 milhões), Riograndense (R$ 5,8 milhões), Varo Energy (R$ 1,3 milhão), Farol (R$ 300 mil) e Dax Oil (R$ 232 mil). As subvenções foram estabelecidas pela Lei 13.723 de 2018, aprovada como parte do acordo do governo federal com os caminhoneiros para reduzir o preço do óleo diesel e acabar com a greve geral da categoria, ocorrida em maio. A Lei estabelece que a União conceda subvenção econômica na comercialização de óleo diesel, para abater parte dos custos dos produtores e importadores, no valor de R$ 0,07 (sete centavos) por litro até o dia 7 de junho de 2018 e de R$ 0,30 (trinta centavos) por litro de 8 de junho até o dia 31 de dezembro de 2018. (ABr)
18/01/2019

Governador do DF faz reunião para “alinhar e unir” secretários e administradores

Foco na sociedade

Governador do DF faz reunião para “alinhar e unir” secretários e administradores

Ibaneis pretende a cada dois meses fazer essas reuniões, para analisar metas e definir projetos

Com “objetivo de colocar um pensamento único de governo” Ibaneis Rocha fechou a semana reunindo seus secretários e administradores, para ressaltar que é preciso “estar sempre de portas abertas para a sociedade”, e trabalhar para atender suas demandas, afirmou o governador do Distrito Federal, nesta sexta-feira (18). Ibaneis afirmou que na política antiga, cada secretaria e cada administração do DF tinham um dono, e destacou que elas não se comunicavam. “o Estado agora é um Estado único, não existem feudos”. Durante a reunião, Ibaneis procurou expressar seus objetivos para os próximos meses de governo. “Eu passei por todas as áreas, dizendo como eu quero o governo, a questão do combate à corrupção, a organização dos métodos de gestão, e sobre a prestação de serviços a sociedade”. O governador ressaltou que os servidores públicos, “aqueles que estão na ponta” são o “rosto do GDF” e por isso é necessário trabalhar sempre colocando a sociedade em primeiro lugar. Mais uma vez, Ibaneis lembrou  a necessidade de atender e respeitar a sociedade, e salientou o desejo que os ambientes nas administrações e secretarias sejam sempre acolhedores. “Eu passei uma mensagem muito clara”. Ficou estipulado que a cada dois meses, ocorrerão reuniões como essa, para analisar, e alinhar as próximas medidas e ações do Governo do Distrito Federal.
18/01/2019

Rio de Janeiro se torna a primeira Capital Mundial da Arquitetura

Unesco

Rio de Janeiro se torna a primeira Capital Mundial da Arquitetura

Cidade sediará em 2020 o 27º Congresso Mundial de Arquitetos

O Rio de Janeiro foi escolhido para sediar em 2020 o 27º Congresso Mundial de Arquitetos, evento que pela primeira vez dará à cidade-sede o título de Capital Mundial da Arquitetura. O anúncio foi feito nesta sexta (18) na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação e Cultura (Unesco), em Paris. O congresso acontece a cada três anos e, a partir da próxima edição, toda a cidade que sediá-lo será considerada capital mundial da arquitetura. O Rio foi selecionado para concorrer à vaga em 2014, e disputou com Paris, na França, e Melbourne, na Austrália. O evento será realizado entre 19 e 26 de julho de 2020 e é promovido pela União Internacional dos Arquitetos (UIA). Estarão reunidos no Rio arquitetos e urbanistas do mundo todo para discutir temas como planejamento urbano, cultura, mobilidade, obras públicas e construção de cidades inclusivas. A expectativa é de que cerca de 25 mil pessoas venham à cidade para participar do congresso. Será a primeira vez que o evento será realizado no Brasil, e o presidente do Instituto de Arquitetos Brasileiros, Nivaldo Andrade, ressalta que a cidade é uma referência por abrigar trabalhos de nomes como Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx e Lúcio Costa. “A cidade é também uma referência de desafios contemporâneos para os arquitetos e de experiências positivas no campo do urbanismo, a exemplo dos programas de urbanização de favelas. Podemos dizer que o Rio sintetiza características encontradas em cidades não só do Brasil, mas de diversos países do mundo”, afirma ele. O prefeito Marcelo Crivella prometeu se empenhar em transformar 2020 em um marco na história cultural da cidade, que é marcada pela diversidade de influências. “Teremos a oportunidade de ampliar a relação de pertencimento dos moradores da nossa cidade com o seu patrimônio histórico e arquitetônico, difundindo e preservando esse acervo”, comemorou o prefeito em nota enviada à imprensa pela assessoria de comunicação da Prefeitura. O prefeito foi representado no evento pela secretária municipal de urbanismo, Verena Andreatta, que acredita que a cidade passará por um momento de discussão sobre as condições urbanas. Entre os locais que receberão o evento está o Palácio Gustavo Capanema, um dos principais marcos do modernismo na cidade. O projeto do prédio no centro da cidade é assinado por grandes nomes da arquitetura brasileira, como Lúcio Costa, Oscar Niemeyer e Affonso Eduardo Reidy. (ABr)
18/01/2019

Moedas e santuários contam histórias do culto a Zeus na Grécia Antiga

PASSADO E DINHEIRO

Moedas e santuários contam histórias do culto a Zeus na Grécia Antiga

Os séculos 5⁰ e 4⁰ a.C. são o grande período de vinculação do culto desse deus nas pólis – as cidades-Estado gregas

Os gregos antigos foram um povo politeísta, que habitou o sul da Península balcânica e várias áreas do Mediterrâneo e mar Negro. Para eles, como outros povos antigos, as esferas religiosa, política e econômica se misturavam. A divindade mais importante era Zeus. Seu culto estava ligado, inicialmente, ao agrário e ao pastoril, e era realizado em picos de montanhas ou em cavernas. Posteriormente, foi associado às leis, à justiça e ao poder, e passou a ser cultuado, entre outros lugares da cidade grega, na ágora, espaço onde ficavam os prédios públicos e era o centro da vida social nas pólis (as cidades-Estado gregas). Estudo da arqueóloga Lilian de Angelo Laky no Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da USP mostra que a época clássica (séculos 5⁰ a 4⁰ a.C.) foi o grande período de vinculação do culto de Zeus à pólis grega. A pesquisa, pioneira ao unir a análise de santuários dedicados a Zeus e de moedas gregas antigas com imagens dessa divindade, recebeu o Prêmio Tese Destaque 2018 na categoria Ciências Humanas.   Estater de Olímpia: moeda de prata cunhada em Olímpia, século V a. C. anverso, águia voando e carregando lebre; reverso, raio alado – Foto: Heritage World Coin Auctions Segundo a pesquisadora, esses dois materiais históricos, santuários e moedas, trazem um contexto único. Ambos eram produzidos por uma mesma entidade política: as pólis. E revelam muito sobre o mundo grego, ajudando a entender as mudanças do culto a Zeus na Grécia Antiga, além da apropriação e a consolidação da função dessa divindade nas cidades-Estado. O foco principal do estudo foram as épocas arcaica (séculos 7⁰ a 6⁰ a.C.), quando as pólis começaram a ser formadas; e clássica (séculos 5⁰ a 4⁰ a.C.), quando houve a consolidação dessas cidades-Estado. Foram estudados 60 santuários dedicados a Zeus localizados, entre outras regiões do mundo grego, no Peloponeso, na Ilha de Creta, na Sicília e no sul da Itália, além de 375 moedas do mundo grego com imagens de Zeus, águias e raios. “Os gregos antigos eram muito ligados aos fenômenos da natureza e associavam algumas dessas manifestações com as divindades. Se um raio caía num lugar, poderia ser entendido como uma manifestação de Zeus. Já a águia era considerada a ave mais forte, dominadora, e acabou por ser associada a essa divindade”, explica Lilian. Ela lembra que o culto a Zeus, assim como a algumas outras divindades veneradas na Grécia Antiga, é anterior ao mundo grego e existem indícios de que esse deus já era cultuado muito antes, na Idade do Ferro (entre os séculos 12⁰ a 9⁰ a.C.), quando as cidades gregas ainda não existiam.   Participação na escavação no santuário de Zeus, em Olímpia, Grécia, 2013 – Foto: Lilian de Angelo Laky/MAE-USP   Do alto das montanhas e dentro de cavernas para as pólis A pesquisa revelou ainda que, na Idade do Ferro, apesar dos poucos santuários, o culto a Zeus influenciou as comunidades, principalmente na esfera militar, traço que se conservou nas épocas arcaica (séculos 7⁰ a 6⁰ a.C.) e clássica (séculos 5⁰ a 4⁰ a.C.). A partir da época arcaica, Zeus passou a desempenhar papéis reguladores no funcionamento das cidades gregas, principalmente nas funções políticas e jurídicas. A época clássica foi o grande período de vinculação do culto de Zeus à pólis grega, como mostram as evidências referentes à monumentalização (a edificação de templos, por exemplo, já que nem todos tinham esse tipo de construção) de santuários dessa divindade e o aumento significativo de áreas sagradas urbanas. Outra evidência são os diversos epítetos (palavra ou expressão que se associa a um nome para qualificá-lo), relacionados à esfera política da cidade grega no período, como Zeus Agoraios(da ágora) entre outros. “A apropriação do culto dessa divindade pelas comunidades políticas (as cidades-Estado gregas) iniciada no século 6⁰ a.C., se intensificou no século 5⁰ a.C., atingindo o ápice no século 4⁰ a.C. Uma prova da ocorrência desse fenômeno é o início do uso e a proliferação das imagens de Zeus e de raios em moedas das cidades gregas nos séculos 5⁰ e 4⁰ a.C.”, revela a arqueóloga.   Ovelhas sobre os restos do santuário de Zeus, em Megalópolis, Arcádia – Foto: Lilian de Angelo Laky/MAE-USP   Como uma peregrina A pesquisadora viajou, entre 2011 e 2014, até essas regiões para estudar os santuários de Zeus identificados por relatórios de escavação de sítios arqueológicos catalogados por diversos institutos de pesquisa internacionais. Somente em 2014, ela percorreu, de ônibus, e apenas na Grécia, cerca de 3 mil quilômetros atrás de santuários dedicados ao culto de Zeus.   Trabalho no Museu de Olímpia com as moedas das escavações em Olímpia, Grécia, 2013 – Foto: Lilian de Angelo Laky/MAE-USP Os restos materiais desses santuários, relata Lilian, variavam muito. Alguns estavam em ruínas, outros nem tanto, estivessem eles próximo a cidades, “no meio do mato”, em cavernas ou nas montanhas mais altas. Ela conta que há publicações que mostram as plantas baixas desses sítios históricos. De posse dessas plantas, e de material bibliográfico, Lilian ia até os santuários e observava vários aspectos, entre eles, os restos materiais de onde ficava o altar e outras características do templo, além da paisagem ao redor: alto de uma montanha, em uma caverna, qual a dificuldade para chegar lá, etc.   Santuário de Zeus na caverna do Monte Ida, Creta – Foto: Lilian de Angelo Laky/MAE-USP Já as moedas da Grécia Antiga foram obtidas em catálogos de museus ou associações de numismáticas que publicam coleções. “Há também muito material na internet. Em Olímpia, estudei uma coleção numismática e pude manusear muita coisa”, conta. Durante o período em que passou na Grécia, Lilian também fez um curso de numismática grega e pôde conhecer pessoalmente algumas coleções de moedas. A pesquisa A apropriação e consolidação do culto de Zeus pela cidade grega: moedas e santuários, política e identidade em época arcaica e clássica teve orientação da professora Maria Beatriz Borba Florenzano, do MAE, e coorientação da professora Aliki Moustaka, do Departamento de Arqueologia da Universidade de Thessaloniki, na Grécia. A pesquisa fez parte do Projeto Temático da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) – A organização da khóra: a cidade grega diante da sua hinterlândia – sediado no Laboratório de Estudos sobre a Cidade Antiga (Labeca/MAE). A tese contou com uma etapa de pesquisa no exterior, com bolsa da Fapesp, na Universidade de Thessaloniki e na Escola Britânica de Atenas. A tese será publicada ainda neste ano pela Editora Odysseus com o título Zeus e a Cidade na Grécia Antiga. Mais informações: e-mail lililaky@gmail.com, com Lilian de Angelo Laky   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
18/01/2019

Alvo da PF, deputada empregou marido e irmã na saída do mandato na ALE

Boquinhas da família

Alvo da PF, deputada empregou marido e irmã na saída do mandato na ALE

Deputada Thaíse Guedes foi indiciada na Sururugate por 25 crimes de peculato

A deputada estadual Thaíse Guedes (PTB-AL) mantém seu talento para fabricar escândalos até a reta final de seu mandato e, talvez, de sua carreira política. Não reeleita para o que seria seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), a deputada empregou no Legislativo Estadual o seu marido, sua irmã e até uma pessoa identificada como a babá que trabalha em sua casa. As nomeações foram formalizadas no dia 2 de janeiro, mas somente foram publicadas ontem (17) no Diário Oficial, a duas semanas do fim do mandato da parlamentar indiciada pela Polícia Federal acusada de 25 crimes de peculato, no âmbito da Operação Sururugate. A partir das nomeações revogadas hoje (18) após repercussão na imprensa, os parentes da deputada receberiam salários brutos de R$ 10.702,98, com as famigeradas “gratificações por dedicação excepcional (GDEs)”que poderiam fazer os salários atingirem R$ 21 mil por cargo. Os beneficiados pelas nomeações foram o marido da deputada, Rodrigo Manuci do Carmo; e a irmã Thayane de Souza Guedes. A nomeada no mesmo dia, Rosimeire do Nascimento Azevedo foi citada como tia da deputada. E Edna Maria dos Santos Silva foi apontada como babá na casa de Thaíse Guedes. Os atos do diretor de Administração de Pessoal da ALE, Darlan Cavalcante das Neves não citam a madrinha política dos nomeados. E, com a exceção da nomeação de Rosimeire do Nascimento Azevedo, todos os atos foram revogados hoje. Em nota, a Mesa Diretora do Legislativo de Alagoas comunicou que, para efeito de nomeação, é de inteira responsabilidade dos parlamentares a indicação de seus auxiliares de gabinete. E considerou positivo o controle social dos atos praticados pela administração pública. Escândalos recorrentes Em outubro de 2017, a deputada  Thaise Guedes foi a primeira parlamentar alagoana indiciada pela PF no âmbito da Operação Sururugate, deflagrada em março daquele ano para investigar o rombo de R$ 150 milhões dos cofres do Legislativo de Alagoas. E quando deixava a Superintendência da PF em Maceió (AL), seus assessores agrediram uma equipe de reportagem da TV Gazeta, afiliada à Rede Globo. De acordo com o então superintendente da PF em Alagoas, delegado Bernardo Gonçalves, a deputada foi indiciada pela prática de 25 vezes o crime de peculato, envolvendo o desvio de mais de R$ 220 mil de recursos públicos. As investigações constataram a participação da deputada Thaise Guedes no esquema de desvio de recursos públicos por meio do pagamento de salários a funcionários fantasmas da Assembleia. A parlamentar ganhou fama nacional em reportagem do Fantástico, em 2015, flagrada pelo Ministério Público Estadual usando documentos de duas lavadeiras para desviar recursos da ALE. “Identificou-se uma servidora, por exemplo, que recebia Bolsa Família, porque realmente era pobre, e nunca recebeu esses salários. Foram aproximadamente R$ 140 mil em 13 meses. Ela sequer tinha conhecimento de que era servidora da Assembleia Legislativa. Essa testemunha contou que forneceu cópia de seus documentos pessoais para deputada, com o objetivo de conseguir um emprego no comércio local. Mas seus documentos foram utilizados sem o conhecimento dela, para a prática dessa fraude”, disse o ex-superintendente da PF, em entrevista ao vivo à TV Gazeta. Além do desvio de recursos usando documentos de pessoas que tentavam conseguir emprego, a PF disse ter provas de que a deputada tinha dois servidores vinculados ao seu gabinete, recebendo salários superiores aos valores efetivamente pagos. Nesse caso, a diferença foi de R$ 80 mil. A deputada estadual Thaise Guedes comoveu Alagoas e o Brasil durante a adolescência, após ter tido pernas e braços amputados quando foi vítima de um erro médico no diagnóstico da meningite meningocócica tipo C. A tragédia familiar que a obrigou a viver em uma cadeira de rodas, desde os 13 anos de idade, foi a mesma que deu origem a uma denúncia recebida pela Gazeta de Alagoas, em 2012. Naquele ano, a Previdência Social bloqueou um benefício social pago ilegalmente à deputada durante pelo menos quatro anos, quando ela passou a receber, como vereadora de Maceió, salário acima do limite previsto pela legislação. O valor estimado à época como recebido ilegalmente da Previdência pela era deputada era de R$ 15 mil, que seria cobrado à deputada pela União. O Diário do Poder não obteve respostas para as tentativas de contato com a deputada.
18/01/2019

Duelo eleitoral

Duelo eleitoral

Certa vez, candidato contra João Cleofas em Pernambuco, Agamenon Magalhães encontrou o adversário e foi logo provocando: – Desta vez, vou te derrotar. – Nunca. Nem agora nem em qualquer outra eleição. – Por que? – Porque você tem usinas. Pensa dois terços do tempo em suas usinas e um terço em política. Eu, não. Penso em política 24 horas por dia. Só perdeu para a morte.
18/01/2019

Duelo eleitoral

Duelo eleitoral

Certa vez, candidato contra João Cleofas em Pernambuco, Agamenon Magalhães encontrou o adversário e foi logo provocando: – Desta vez, vou te derrotar. – Nunca. Nem agora nem em qualquer outra eleição. – Por que? – Porque você tem usinas. Pensa dois terços do tempo em suas usinas e um terço em política. Eu, não. Penso em política 24 horas por dia. Só perdeu para a morte.
21/12/2018

Cláudio Humberto comenta os destaques da política desta sexta-feira (21/12/18)

Bastidores do Poder (AO VIVO)

Cláudio Humberto comenta os destaques da política desta sexta-feira (21/12/18)

O programa Bastidores do Poder é apresentado por Fábio Pannunzio, Thays Freitas, Pedro Campos e por Cláudio Humberto, que fala direto de Brasília. Os colunistas Luís Paulo Rosenberg e Gesner Oliveira fazem a análise dos fatos econômicos que mais influencia a vida do brasileiro. De segunda a sexta, às 17h.
20/12/2018

Cláudio Humberto comenta os destaques da política desta quinta-feira (20/12/18)

Bastidores do Poder

Cláudio Humberto comenta os destaques da política desta quinta-feira (20/12/18)

O programa Bastidores do Poder é apresentado por Fábio Pannunzio, Thays Freitas, Pedro Campos e por Cláudio Humberto, que fala direto de Brasília. Os colunistas Luís Paulo Rosenberg e Gesner Oliveira fazem a análise dos fatos econômicos que mais influencia a vida do brasileiro. De segunda a sexta, às 17h.
17/01/2019

Finger do Aeroporto de Maceió dá defeito e Infraero alega que a Latam evitou usá-lo

Novo com defeito

Finger do Aeroporto de Maceió dá defeito e Infraero alega que a Latam evitou usá-lo

Operadora confirma defeito em ponte e diz que buscou desembarque seguro

Cerca de dois anos depois de serem instaladas quatro novas pontes de embarque, após uma longa pela troca dos equipamentos quebrados, ao menos um dos fingers já apresenta defeito e força passageiros a desembarcar de forma desconfortável e menos segura, no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. O flagrante da quebra em uma das pontes foi feito no dia 6 de janeiro, mas a Infraero culpou a Latam por optar pelo desembarque remoto. Além de alegar que tudo não passou de uma opção da Latam pelo desconforto de seus clientes no aeroporto da região metropolitana de Maceió (AL), a Infraero disse ao Diário do Poder que as quatro pontes disponíveis estão funcionando normalmente e não houve problemas com nenhum dos fingers neste ano. A troca das antigas pontes aéreas quebradas foi feita no final de 2016, após anos de espera e uma mobilização da classe política de Alagoas. Um passageiro que se queixou com o desembarque em solo, mesmo havendo fingers à disposição, relatou que um comissário de bordo justificou ao microfone a não utilização do finger, sob a alegação de que ele estava defeituoso. O desembarque do voo de Brasília a Maceió ocorreu normalmente, mas de forma menos confortável e com maiores riscos desnecessários. A Latam deu a seguinte resposta ao Diário do Poder, quando informada sobre a alegação da Infraero e a reclamação do passageiro: A LATAM Airlines Brasil informa que o voo LA3540 (Brasília – Maceió)  pousou em completa segurança no Aeroporto de Maceió, no dia 6 de janeiro. No entanto, devido a um problema momentâneo em um dos fingers do aeroporto, foi necessário realizar o desembarque remoto dos passageiros. A companhia esclarece que o desembarque remoto é uma situação normal e reitera que a segurança é um valor imprescindível e, sobretudo, todas as suas decisões visam garantir uma operação segura.  
17/01/2019

Seca leva Estado a decretar situação de emergência em 38 municípios de Alagoas

Estiagem em Alagoas

Seca leva Estado a decretar situação de emergência em 38 municípios de Alagoas

Decreto facilita liberação de recursos para ações emergenciais durante 180 dias

A estiagem que atinge o semiárido de Alagoas levou o Estado a decretar situação de emergência, por 180 dias, em 38 municípios alagoanos. O Decreto nº 63.536 foi publicado na edição desta quinta-feira (17) do Diário Oficial do Estado (DOE). E facilita liberação de recursos para ações emergenciais nos próximos seis meses. O decreto visa preservar o bem estar da população e das atividades socioeconômicas das regiões atingidas pelo evento adverso, bem como a adotar medidas imediatas necessárias para, em regime de cooperação, combater a situação emergencial. E considerou os níveis sensivelmente inferiores de chuvas nos municípios onde houve queda intensificada das reservas hídricas de superfície, com impactos em perdas significativas na agricultura e agropecuária da região. Também foi levado em consideração o alto comprometimento dos reservatórios hídricos locais, ocasionando grandes dificuldades da população no abastecimento d´água para o consumo humano e animal. E considerou ainda que os habitantes dos Municípios afetados não superaram os danos e prejuízos provocados, haja vista a situação socioeconômica desfavorável da região e o agravamento da situação em virtude da falta de chuvas. Veja a lista dos municípios em situação e emergência: Água Branca, Arapiraca, Batalha, Belo Monte, Cacimbinhas, Canapi, Carneiros, Craíbas, Coité do Nóia, Delmiro Gouveia, Dois Riachos, Estrela de Alagoas, Girau do Ponciano, Inhapi, Igaci, Jacaré dos Homens, Jaramataia, Lagoa da Canoa, Major Izidoro, Maravilha, Mata Grande, Minador do Negrão, Monteirópolis, Olho D’Água das Flores, Olho D’Água do Casado, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Palmeira dos Índios, Pão de Açúcar, Pariconha, Piranhas, Poço das Trincheiras, Quebrangulo, Santana do Ipanema, São José da Tapera, Senador Rui Palmeira e Traipu. A situação de anormalidade é válida apenas para as áreas dos municípios listados, comprovadamente afetadas pelo desastre, conforme prova documental estabelecida pelos respectivos Formulários de Informação de Danos (FIDE). E os órgãos estaduais localizados nas áreas atingidas, competentes para a atuação específica, adotarão as medidas necessárias para o combate à Situação de Emergência, em conjunto com os órgãos municipais. O decreto foi assinado pelo governador Renan Filho (MDB).
17/01/2019

Collor mantém proximidade com Bolsonaro e amplia rumores sobre presidir o Senado

Relação política

Collor mantém proximidade com Bolsonaro e amplia rumores sobre presidir o Senado

Senador já foi elogiado e divulga nas redes sociais imagens com presidente

De partido novo e sem se manifestar sobre especulações de que ingressaria na disputa pela Presidência do Senado, o ex-presidente Fernando Collor de Mello (PROS-AL) voltou a divulgar ontem (16) em suas redes sociais fotos ao lado do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) e reforçou hoje (17) referências à sua proximidade com o novo governo, na busca por soluções para esclarecer as causas de rachaduras e erosões que levaram aflição à vida de milhares de moradores do bairro do Pinheiro, em Maceió (AL). As fotos divulgadas ontem mostram Collor conversando com Bolsonaro e ouvindo seu discurso, durante o almoço em homenagem ao presidente da Argentina, Maurício Macri, no Itamaraty, em Brasília. O evento também reuniu o ex-presidente José Sarney (MDB). Mas não é fato isolado, porque Bolsonaro foi fotografado em conversa descontraída com o senador alagoano, e pelo histórico de sintonia em eventos anteriores, desde a posse no início do mês. Bolsonaro já fez elogios a Collor, durante a transmissão de cargo ao novo ministro da Defesa, o general da reserva Fernando Azevedo e Silva, no Clube do Exército. Na ocasião, o presidente se dirigiu a Collor durante o discurso, para agradecer pela lei que o senador sancionou como Presidente da República, beneficiando militares com a Lei delegada nº 12, que estruturou a carreira militar, criando gratificação pela atividade. Desde o dia da posse presidencial, em 1º de janeiro, Collor vem repercutido nas redes sociais sua proximidade e “troca de ideias” com Jair Bolsonaro. O general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional do governo Bolsonaro também teve registro destacado nos perfis do senador. Hoje, Collor expôs fotos de uma assembleia de moradores do bairro do Pinheiro, e citou o empenho próprio e do presidente da República em apoiar as vítimas do fenômeno estudado pelo Serviço Geológico do Brasil. “Oi, pessoal! Sobre o drama enfrentado pelas famílias do Pinheiro e das áreas adjacentes, daqui do Senado Federal venho adotando gestões para apressar o diagnóstico a ser feito pelos especialistas. O presidente Jair Bolsonaro já determinou a seus ministros que hajam no sentido de esclarecer as causas desse fenômeno que atormenta a vida de milhares de pessoas da região atingida. Minha ação parlamentar está à disposição da causa dos moradores. Contem sempre comigo”, disse o senador Collor, no posto ilustrado por imagens de moradores do Pinheiro reunidos na Praça Menino Jesus de Praga. Se for candidato a presidente do Senado, Collor disputará com outro alagoano, o senador Renan Calheiros (MDB-AL). Mas a assessoria de imprensa de Collor disse ao Diário do Poder que o senador não dará declarações sobre os rumores de que disputaria a Presidência do Senado.
17/01/2019

Marx Beltrão quer políticos e Defesa Civil Nacional contra ‘afundamento’ em Maceió

Fissuras no Pinheiro

Marx Beltrão quer políticos e Defesa Civil Nacional contra ‘afundamento’ em Maceió

Deputado se manifesta após o 'afundamento' do Pinheiro repercutir no Jornal Nacional

Quase dez meses depois de a terra tremer em Maceió (AL) e um dia após o Jornal Nacional citar relatório do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) sobre riscos para a população com imóveis atingidos por rachaduras no bairro do Pinheiro, o deputado federal Marx Beltrão (PSD-AL) pediu ontem (16) à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) a apresentação das ações e estratégias para garantir a segurança dos maceioenses atingidos pelo fenômeno. Hoje (17), cobrou à classe política alagoana que atue para o ‘afundamento’ do bairro não se tornar uma tragédia. Em ofício enviado ontem ao órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Regional, o ex-ministro do Turismo colocou seu gabinete parlamentar à disposição para ajudar e pediu informações detalhadas da linha de atuação da Defesa Civil Nacional, o conjunto de ações a serem implantadas de maneira mais urgente e dados sobre as próximas medidas trabalhadas. No Instagram, na manhã de hoje, Marx Beltrão alertou que a falta de clareza das informações não anula os riscos para a população, ao argumentar a busca oficial por ação rápida e efetiva. “Toda a classe política de Alagoas precisa agir para que esse “afundamento” no Pinheiro não se transforme numa tragédia. As informações ainda são pouco claras, mas há risco à população. Por isso, busquei meios oficiais para garantir ação rápida e efetiva. Propus um plano emergencial entre os órgãos de proteção, com medidas prioritárias para garantir a segurança e apoio aos moradores. A população do Pinheiro pode contar com meu apoio total nesta luta! Esta gente está aflita, apreensiva, e merece respostas e atitudes… Com clareza, dignidade e respeito!”, escreveu o deputado federal reeleito. O ofício encaminhado ao secretário nacional da Defesa Civil Alexandre Lucas Alves foi protocolado no mesmo dia em que autoridades se reuniram com moradores para detalhar ações e os dados preliminares dos estudos iniciados. Marx Beltrão disse que gostaria de que fossem compartilhadas pela Defesa Civil Nacional as orientações e condutas a serem amplamente repassadas aos moradores. E ainda pediu que sejam informados os fatores e causas que levaram o bairro a chegar à situação atual. Também ontem, o deputado estadual, Cabo Bebeto (PSL-AL) defende celeridade na conclusão do laudo que pode diagnosticar as possíveis causas para o fenômeno. O parlamentar disse que enviou ofício ao ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, colocando-se à disposição para ajudar no que for necessário. Até a semana passada, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) atuava praticamente sozinho na busca por respostas para os moradores do Pinheiro. Diante dos apelos do prefeito tucano, o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) reuniu parte de seus ministros no último dia 11 e determinou um esforço federal e atenção especial para diagnosticar e solucionar o caso. As rachaduras no solo e em imóveis são relatadas há cerca de uma década por moradores do bairro do Pinheiro. Mas foram agravadas após dois tremores de terra registrados entre fevereiro e março de 2018, após chuvas torrenciais.
Mais Alagoas
17/01/2019

Autódromo de Brasília recebe propostas de parcerias para sua revitalização

Parceria Público Privada

Autódromo de Brasília recebe propostas de parcerias para sua revitalização

Para ganhar concessão por 35 anos terá que investir R$73 milhões

Um empresa e um consórcio apresentaram, nesta quinta-feira (17), propostas para administrar o Autódromo Internacional Nelson Piquet, de Brasília, por meio da Parceria Público Privado (PPP), pelos próximos 35 anos. O GDF pretende reabrir o local em agosto. As empresas que têm interesse em administrar o local são, a Comercial Calbox Serviços Comércio Importação e Exportação, e o consórcio Autódromo BSB, formado pelas empresas RNGD Consultoria de Negócios e a Rígido Engenharia. O presidente da Agência de desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), Gilberto Occhi, ressalta a importância para o Distrito Federal da revitalização de um espaço tão importante. “É um marco importante. “É a primeira PPP do governo Ibaneis e esperamos que tenhamos muito mais outras oportunidades de negócio para os empresários de Brasília e do Brasil e até mesmo estrangeiros, para que possamos cumprir com o que a a Terracap tem como principal objetivo: desenvolvimento de Brasília”. O resultado será divulgado em 30 dias, vence a licitação quem pedir o menor aporte público para a revitalização do autódromo. A vencedora ficará responsável pelas obras de reforma da pista, dos boxes, e das arquibancadas e a criação de um centro de excelência. A estimativa é que o investimento para a revitalização dos 726.822 metros é de R$ 73.17 milhões, sendo que, a Terracap vai disponibilizar R$ 14 milhões.
17/01/2019

Almoço de Moro em restaurante-escola do Senac é visto como aval ao Sistema S

Bom e barato

Almoço de Moro em restaurante-escola do Senac é visto como aval ao Sistema S

Presença do ministro reforça qualidade do serviços prestados

O restaurante-escola do Senac no Ministério da Justiça tem recebido um visitante ilustre desde o início do ano, o próprio ministro Sérgio Moro. Ele foi fotografado com bandeja na mão, sem furar fila por alguns clientes e elogiado por escolher o restaurante-escola em vez dos caríssimos estabelecimentos utilizados por ex-comandantes da pasta. Para o Senac, a presença do ministro no restaurante-escola confirma o reconhecimento da qualidade da comida e do serviço prestado no local. O restaurante-escola do Senac recebe dezenas de alunos que aprendem, na prática, como lidar com o público. “A credibilidade desse trabalho é tão grande e a carência por mão de obra qualificada é tamanha que quase todos os estudantes já saem do curso empregados pelo mercado”, diz o órgão.
17/01/2019

Governador do DF envia projetos emergenciais para a Câmara Legislativa

Pacotes emergenciais

Governador do DF envia projetos emergenciais para a Câmara Legislativa

O governador do DF também esteve reunido com distritais da base aliada para tratar da convocação de emergência

O governador Ibaneis Rocha enviou dois projetos de lei para a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), um sobre a saúde pública e outro em relação à segurança pública. Logo após, houve reunião com a base aliada no Palácio do Buriti, para que os “pacotes emergenciais” venham a ser analisados antes da volta do recesso parlamentar. O texto que busca melhoras na saúde pública, prevê que as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), o Samu e os hospitais regionais passem a ser geridos pelo Instituto Hospital de Base, que começaria a se chamar Organização Hospitalar do DF. Ibaneis quer devolver para a população, o quanto antes, os leitos que estão fechados. Para o governador com ajuda do Poder Legislativo será possível a contratação de mil profissionais para a saúde. “É isso que eu quero fazer. Eu quero dar um atendimento imediato para desafogar de vez as filas dos hospitais do Distrito Federal. E a partir daí fazer de forma organizada a gestão de todos os recursos da saúde”. A ideia é que a Secretaria de Saúde fique com a responsabilidade da gerência das menores unidades de saúde, como os postos de saúde e os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs). Já o projeto de lei sobre a segurança, cria o “serviço voluntário gratificado” para policiais civis trabalharem durante a folga, já que na PMDF já existe esse tipo de gratificação. Ibaneis acredita que com aumento do número de agentes da PCDF, será possível reabrir as delegacias. “A população está sofrendo com a violência. Nós estamos tratando de vidas. São pessoas que estão morrendo por falta de segurança no Distrito Federal. É um projeto que eu tenho certeza que tanto a base quanto a oposição vão querer aprovar”. Base aliada Com a maioria dos distritais na sua base aliada, o governador  convocou os parlamentares em busca de apoio na mobilização dos deputados, para a votação dos textos já na semana que vem. O recesso parlamentar vai até o dia 1º de fevereiro. Outras pautas estiveram na reunião desta tarde, entre elas, a renegociação e conciliação de R$ 32 bilhões em débitos, para isso o governador pretende trabalhar em parceria com o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). “Nós estamos com bastante dificuldade financeira, com carência na grande maioria dos serviços – que precisam ser supridos –, e se eu tiver esse instrumento em mãos já a partir de 1º de fevereiro a gente começa a convocar para negociar esses débitos, entrando recursos no caixa para melhorar a vida da nossa população”. O chefe do Executivo disse ter ficado otimista com o encontro. “Eu senti um clima positivo. Eles entenderam e sabem que estão tratando de vidas. Temos condições sim (de aprovar) e eles (deputados) estão bastante convencidos dessa necessidade dessa convocação.” Estiveram no Palácio do Buriti, nesta quinta os distritais: o presidente da Câmara Legislativa do DF, Rafael Prudente (MDB), o líder do GDF na Casa, Cláudio Abrantes (PDT), e Hermeto (PHS), Jorge Viana (Podemos), José Gomes (PSB), Telma Rufino (PROS), Valdelino Barcelos (PP).
17/01/2019

Governador do DF faz vistorias nas obras do viaduto do Eixão e da Ponte do Bragueto

Obras em andamento

Governador do DF faz vistorias nas obras do viaduto do Eixão e da Ponte do Bragueto

Outros locais, apontados pelo relatório do Tribunal de Contas do DF também foram visitados

Logo pela manhã desta quinta-feira (17), o governador Ibaneis Rocha começou o dia nas ruas,  para vistoriar todas as obras que estão em andamento, e foram citadas no relatório do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF). O primeiro compromisso ocorreu na saída norte do DF, nas obras do Trevo de Triagem Norte, Ibaneis acompanhou de perto o trabalho que está sendo realizado ao lado da Ponte do Bragueto, onde duas pontes estão sendo levantadas paralelamente. “A condição dos viadutos já é de conhecimento dos engenheiros. Já me passaram a situação, agora é hora de tocar as obras”, afirmou Ibaneis. As pontes Costa e Silva e das Garças, no Lago Sul, também receberam a visita do governador e sua equipe. Durante a manhã, também foram fiscalizadas as tesourinhas do Eixo L e Eixo W na Asa Norte e na Asa sul. O viaduto do Eixão Sul, que desabou em 6 de fevereiro do ano passado, não podia ficar fora das vistorias, o governador também foi a  Galeria dos Estados. “Queremos transformar a galeria em um espaço que a população tenha orgulho e que não seja só um ponto de passagem e acesso ao trabalho, mas que se torne mais um endereço de visitação e lazer da cidade”.     Relatório do TCDF Em dezembro do ano passado, após a queda do viaduto, o Tribunal de Contas do DF fez inspeções nas obras em todo o DF e elaborou um relatório com os pontos mais perigosos, e fez um alerta, das 11 pontes e viadutos vistoriados, somente três tinham sido reformados. Foram diagnosticados problemas como oxidação de estruturas, trincas, marcas de infiltração, nos seguintes pontos: Ponte do Bragueto, passagem subterrânea de pedestres, entre as quadras 15 e 16 norte, – tesourinha do Eixo L, entre as quadras 215/216 norte,  tesourinha do eixo W, entre as quadras 115/116 norte, viaduto sobre a via N2, ao lado do Conjunto Nacional, viaduto da DF-002 (Eixão), saída do Buraco do Tatu, sentido norte/sul, viaduto da DF-002 (Eixão) sobre a via S2,  Galeria dos Estados (os dois trechos, L e W), tesourinha do Eixo L, entre as quadras 203/204 sul, Ponte Costa e Silva,  Ponte das Garças e as tesourinha do Eixo L, entre as quadras 215/216 sul. Distrito Federal vai ganhar mais cinco viadutos As regiões do Sudoeste, Riacho Fundo I, Itapoã, Recanto das Emas e Jardim Botânico vão ganhar viadutos. De acordo com Ibaneis, o governo já prepara o lançamento dos editais. “Designei uma equipe de engenharia para concluir todos os editais. Vamos deixar tudo pronto e, assim que as emendas parlamentares forem liberadas, tocamos a obra”.
Mais Distrito Federal
24/11/2018

MP quer que Aécio devolva R$ 11,5 milhões aos cofres públicos de Minas

Uso indevido de aeronaves

MP quer que Aécio devolva R$ 11,5 milhões aos cofres públicos de Minas

Aécio usou aviões oficiais 1.337 vezes a pretexto de duvidoso interesse público

O Ministério Público de Minas Gerais entrou com uma Ação Civil Pública na qual pede que o atual senador e ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) devolva cerca de R$ 11,5 milhões aos cofres públicos. O valor se refere ao uso, sem comprovação de interesse público, de aeronaves oficiais do estado em 1.337 voos para as cidades do Rio de Janeiro, Cláudio (MG) e outros municípios. Além do ressarcimento, a ação do MP pede a indisponibilidade de bens do tucano. De acordo com o MP, o então governador de Minas realizou 1.424 deslocamentos aéreos entre janeiro de 2003 e março de 2010, quando deixou o cargo para concorrer ao Senado. Destes, apenas 87 tiveram justificativa. Os demais foram feitos para transporte de passageiros que não foram identificados no momento dos voos. “A circunstância, por si só, não se harmoniza com a alegação, encetada pela defesa na fase inquisitiva, de que a finalidade dos voos tinha o objetivo de garantir a segurança do requerido na qualidade de então chefe do Executivo”, diz trecho da ação. O MP afirma que a prática configura ato de improbidade administrativa que importa enriquecimento ilícito. Na cidade de Cláudio, que recebeu 116 dos voos do ex-governador questionados pelo MP, está um aeroporto que foi construído dentro de uma fazenda de um parente do tucano. O local, descoberto por reportagem da Folha em julho de 2014, abalou a candidatura de Aécio à Presidência naquele ano. Aécio foi eleito deputado federal na última eleição e passará do Senado para a Câmara em 2019. Outro lado Por meio de nota de sua assessoria, Aécio “considera incompreensível a relação de voos questionados pelo Ministério Público, que contém praticamente todos os voos realizados ao longo de oito anos e, segundo a qual, nem o governador nem os secretários de Estado poderiam utilizar aeronaves para deslocamentos oficiais”. O senador também afirmou que “lamentavelmente não foi sequer solicitado ao senador que apresentasse as razões dos voos, o que poderia ter evitado a compreensão equivocada dos fatos”. “Será comprovada a legalidade e correção de todos os voos realizados”, finaliza a nota. (Folhapress)
21/11/2018

Partido Novo celebra 30 mil filiados, vinte parlamentares e o governo de Minas

Celebração

Partido Novo celebra 30 mil filiados, vinte parlamentares e o governo de Minas

Foram conquistados 22,7 milhões de votos pelo Novo, este ano

O partido político Novo comemora neste mês a marca de 30 mil filiados. Nas eleições de 2018, o Novo conquistou mais de 22,7 milhões de votos, elegeu 20 parlamentares e Romeu Zema para o governo de Minas Gerais. Apesar ter sido criado em 2011, a legenda ganhou destaque no cenário político brasileiro a partir das eleições deste ano. Em 2016,o partido obteve seu registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e nas eleições daquele ano elegeu 4 vereadores. A legenda busca trabalhar de forma independente do sistema político, sempre na busca de fazer a diferença. “O partido aumenta suas possibilidades de mostrar ao Brasil que é possível fazer política sem usar dinheiro público, sem fazer coligações com a velha política, respeitando seus princípios e valores”, afirma o Novo por meio de nota.
21/11/2018

No apagar das luzes, Pimentel ameaça vender parte da Light controlada pela Cemig

Fim de mandato

No apagar das luzes, Pimentel ameaça vender parte da Light controlada pela Cemig

Negócio pode ser fechado antes do fim do mandato do petista

O governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), acaba de sofrer derrota vexatória na tentativa de reeleição, e teve sua gestão marcada por escândalos de corrupção como a Operação Acrônimo, da Polícia Federal. Mas, desafiando a sorte, no apagar das luzes do seu governo ele se prepara para vender parte da Light, concessionária de energia do Rio de Janeiro controlada pela Cemig, a estatal mineira de energia. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. As negociações estariam avançadas com o GP Investimentos, podendo inclusive assumir o controle da Light em lugar da Cemig. Fundado por Jorge Paulo Lemann, o GP é controlado pelos executivos Antonio Bonchristiano, Fersen Lamas Lambranho e Marcelo Peano. A Cemig tem sofrido nas mãos do PT. Teve de abrigar mais de 500 petistas que perderam boquinhas no governo Dilma e vários estados.
16/11/2018

Municípios de MG e ES recebem proposta para abrir mão de ações contra mineradoras

Tragédia de Mariana

Municípios de MG e ES recebem proposta para abrir mão de ações contra mineradoras

Cidades receberiam R$ 53 milhões como ressarcimento dos gastos extraordinários feitos em decorrência da tragédia de Mariana

Municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo receberam uma proposta para obter pouco mais de R$ 53 milhões como ressarcimento dos gastos extraordinários feitos em decorrência da tragédia de Mariana (MG). Porém, há contrapartidas como abrir mão de ações judiciais em curso, entre elas a que foi movida na Justiça do Reino Unido. A proposta foi encaminhada às prefeituras pela Fundação Renova, entidade criada para gerir a reparação de todos os danos causados na Bacia do Rio Doce, e detalha todas as contrapartidas. O rompimento da barragem da mineradora Samarco completou três anos no último dia 5. O cálculo e ressarcimento dos gastos públicos extraordinários fazem parte de um dos programas previstos no acordo para reparação dos danos causados, firmado em março de 2016 entre a Samarco, suas controladoras Vale e BHP Billiton, a União e os governos de Minas Gerais e do Espírito. O acordo também estabeleceu a criação da Fundação Renova para gerir todas as ações definidas. A fiscalização ficou sob responsabilidade do Comitê Interfederativo, composto por representantes de Poder Público e presidido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Despesas Os gastos extraordinários incluem, por exemplo, a mobilização de funcionários da prefeitura além da jornada de trabalho, a contratação de serviços emergenciais e a aquisição de equipamentos para lidar com a tragédia. Pela proposta da Fundação Renova, os 39 municípios atingidos repartiriam os R$ 53 milhões, sendo cerca de R$ 41 milhões apenas para as cidades mineiras e os outros R$12 milhões para cidades mineiras e capixabas. Esses montantes foram aprovados pelo Comitê Interfederativo, conforme deliberação do dia 28 de setembro. A distribuição dos recursos se daria conforme decisão do Fórum Permanente dos Prefeitos do Rio Doce. Detalhes A Agência Brasil teve acesso ao termo de quitação que precisaria ser assinado pelas prefeituras. A cláusula 6 estabelece que, para receber os recursos, o município deverá dar à Fundação Renova e às três mineradoras irrestrita e irrevogável quitação de valores relativos ao ressarcimento dos gastos públicos extraordinários. Ações que já estejam em curso precisariam ser encerradas, conforme a cláusula oito. “O município se obriga a tomar, em até dez dias contados da assinatura desse termo, todas as providências necessárias para que o referido procedimento seja imediatamente extinto, sem qualquer ônus para as referidas partes”, diz o termo de quitação. Outro lado Em nota, a Fundação Renova informou que já ressarciu 90% das despesas extraordinárias do governo federal e dos governos estaduais e que, para os municípios, foi adotada nova metodologia para calcular esses gastos, baseada na estimativa. Segundo a Fundação Renova, após a entrega dos documentos, o prazo para transferência dos recursos será de 30 dias. “Os pagamentos às prefeituras serão feitos mediante o envio do termo de quitação assinado e a emissão do Documento de Arrecadação Municipal (DAM)”, diz o texto. Justiça estrangeira O tema é constante nas discussões do Fórum Permanente dos Prefeitos do Rio Doce. No município de Mariana, o mais atingido, o prefeito Duarte Júnior (PPS) se queixa da burocracia da Fundação Renova. Ele reclamou  à Agência Brasil na semana passada que nenhuma medida compensatória havia saído do papel após três anos da tragédia. “Muita gente atingida de forma indireta e ninguém está se responsabilizando. Toda a população que depende dos serviços públicos da prefeitura é também afetada. O melhor caminho seria resolver de forma administrativa”, disse o prefeito na ocasião. “Estão correndo em paralelo uma ação aqui no Brasil e outra no exterior. Em algum momento, teremos que decidir qual delas é mais interessante para o município. Porque sabemos que não dá para ganhar lá e aqui.” Reino Unido A ação movida no exterior é uma das que deveriam ser abandonadas, conforme a proposta da Fundação Renova. O processo foi aberto na Justiça do Reino Unido pelo escritório anglo-americano SPG Law e tem como alvo a mineradora inglesa BHP Billiton. A SPG Law tem tradição em mover ações coletivas contra empresas multinacionais e obteve sucesso recentemente contra grandes representantes da indústria farmacêutica dos Estados Unidos. Na Justiça do Reino Unido, ele também cobra atualmente indenizações da companhia aérea British Airways pelo vazamento de informações de 380 mil consumidores, e da Volkswagen, acusada de ter burlado as leis de emissões de gases da União Europeia. No caso da tragédia de Mariana, tanto pessoas físicas quanto jurídicas foram incluídas na ação. Para advogados do escritório, a tramitação no Reino Unido tende a ser mais rápida do que a que está no Brasil. No início do mês, eles anunciaram que houve mais de 250 mil adesões, entre elas empresas e prefeituras, além da Igreja Católica. A cláusula 8 do termo de quitação proposto pela Fundação Renova às prefeituras menciona diretamente essa ação judicial. O pagamento a cada prefeitura ficaria condicionado à comprovação de que ela desistiu do processo no Reino Unido. Além disso, o município precisaria se comprometer a não abrir em jurisdições estrangeiras nenhum outro procedimento que esteja relacionado à tragédia de Mariana. Ao tomar conhecimento da proposta, a SPG Law enviou mensagem às prefeituras alegando que o valor oferecido pela Fundação Renova, de R$53,3 milhões é inferior a 0,5% da previsão inicial de indenização que poderia ser obtida no âmbito da ação movida no Reino Unido. “A proposta de acordo encaminhada trata tão somente de indenização dos gastos extraordinários, não da indenização integral dos danos, como pleiteado perante o tribunal inglês”, destaca o texto. Ainda conforme o documento, a proposta fere a lei inglesa, pois foi apresentada após a notificação da ação. “A SPG Law comunicará imediatamente a eventual ilicitude à High Court of Justice em Liverpool – Reino Unido”, acrescenta o texto. O escritório defende que acordos celebrados entre a Fundação Renova e os municípios para o recebimento de valores de direito não devem implicar a desistência de ações já propostas e a concessão da quitação integral.
Mais Minas Gerais
13/01/2019

Carro da deputada estadual Martha Rocha é alvo de tiros no Rio

Neste domingo

Carro da deputada estadual Martha Rocha é alvo de tiros no Rio

Parlamentar não teria se ferido; motorista foi baleado, mas não há informações sobre o estado de saúde dele

O carro onde estava a deputada estadual Martha Rocha (PDT-RJ) foi alvo de tiros na manhã deste domingo (13), no bairro da Penha, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Segundo primeiras informações, a delegada não teria se ferido. O motorista, no entanto, foi baleado na perna e levado a um hospital, mas não se sabe o estado de saúde dele. Um outro veículo teria interceptado o carro onde estava a deputada. Os tiros teriam partido de um homem armado com um fuzil. Ainda não se sabe se o ocorrido se trata de um ataque contra a delegada ou uma tentativa de assalto. O caso está sob responsabilidade da Delegacia de Homicídios da capital. Eleita em 2014 e reeleita nas eleições do ano passado, a delegada tem como prioridade atuação nas áreas de segurança pública e de combate à violência contra as mulheres. Martha Rocha foi a primeira mulher a chefiar a Polícia Civil do Rio de Janeiro, atuando sempre no combate à violência contra mulher.
12/01/2019

Investigações sobre a morte de Marielle estão próximas de um desfecho, diz governador do Rio

Até o fim do mês

Investigações sobre a morte de Marielle estão próximas de um desfecho, diz governador do Rio

A vereadora e o motorista Anderson Gomes foram executados em março do ano passado

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, disse neste sábado (12) que as investigações dos homicídios da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco (PSOL), e do seu motorista Anderson Gomes, estão próximas de um desfecho. Ambos assassinados em 14 de março de 2018, na região central do Rio, quando o carro em que estavam foi alvejado por criminosos. “Talvez isso aconteça até o final desse mês”, afirmou. O governador ressaltou, no entanto, que não tem conhecimento de quem são as pessoas envolvidas. “Não tenho atribuição legal para olhar os autos, que estão sob sigilo”. Witzel falou das investigações sobre a morte de Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, durante entrevista à imprensa para explicar os ajustes na administração prisional e na área de segurança pública fluminense. Entre os ajustes, estão a nomeação do coronel da Polícia Militar, Alexandre Azevedo de Jesus, para o comando da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) e a extinção da Secretaria Executiva do Conselho de Segurança Pública. O coronel Azevedo substitui André Caffaro de Andrade, que pediu exoneração 11 dias após a posse. André seria o primeiro servidor público de carreira da Seap a assumir o comando da secretaria, confirmando promessa de campanha de Witzel. “O André é meu amigo. Ele estava muito motivado. Infelizmente, esta semana ele teve um problema pessoal que eu não posso aqui mencionar. Isso afetou muito a vida dele”, disse o governador. De acordo com Witzel, André continuará auxiliando a gestão da secretaria na medida de suas possibilidades. Sobre a extinção  da Secretaria Executiva do Conselho de Segurança Pública, anunciada apenas 11 dias após a sua criação. O governador explicou que a estrutura era prevista para durar seis meses e promover uma transição até que as novas secretarias da Polícia Militar e da Polícia Civil absorvessem todas as funções que eram desempenhadas pela extinta Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg). (ABr)
11/01/2019

Justiça bloqueia bens de Cabral, Pezão e de quatro deputados do Rio

Contas bancárias

Justiça bloqueia bens de Cabral, Pezão e de quatro deputados do Rio

Pezão teve bloqueados R$31 milhões; Cabral, R$33 milhões e Picciani R$ 40 milhões

A juíza Roseli Nalin, da 15ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, determinou o bloqueio e indisponibilidade de bens de seis políticos, entre os quais os ex-governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão e o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Jorge Picciani por suspeita de improbidade administrativa. A decisão partiu de um pedido do Ministério Público estadual, que tinha ajuizado em dezembro uma ação civil pública contra dez envolvidos em irregularidades em doações de campanha do então governador Luiz Fernando Pezão, do ex-governador Sérgio Cabral e de deputados estaduais em troca da concessão de benefícios fiscais e financeiros, que teriam financiado o grupo político. Na decisão, a juíza Roseli Nalin escreveu que “através da utilização indevida da máquina estatal os réus beneficiaram ao arrepio da lei, diversas sociedades empresariais com incentivos fiscais e financeiros em troca de propina, sendo que parte desses recursos ilícitos foi utilizada em proveito dos réus, para financiar a campanha majoritária do MDB ao governo do estado (chapa Pezão/Dornelles), bem como do então candidato a deputado federal Marco Antônio Cabral, pelo mesmo partido”, disse. A magistrada disse na decisão que houve financiamento ilícito de campanha do então deputado estadual Chistino Áureo, por meio do diretório nacional do PSD e pagamentos indevidos ao PDT, todos relativos às eleições de 2014. “Os fatos praticados constituem improbidade administrativa, tendo causado dano ao erário e enriquecimento ilícito do grupo, formando ciclo vicioso que em última seara, visou à perpetuação dos mesmos no poder político do Estado”, escreveu a juíza Roseli Nalin. Bloqueio das contas Nas contas bancárias, Pezão teve bloqueados R$ 31 milhões; Sérgio Cabral Filho, R$ 33 milhões;  Jorge Picciani , R$ 40 milhões; Hudson Braga, R$ 31 milhões;  Christino Áureo da Silva, R$ 12 milhões e o deputado federal Marco Antônio Cabral, R$ 12 milhões. A Justiça determinou também o bloqueio de R$ 37 milhões do MDB, R$ 900 mil do PDT e R$ 25 mil do PSD.(ABr)
11/01/2019

Ex-secretário de Obras de Eduardo Paes é condenado a mais de 22 anos de prisão

Corrupção no Rio

Ex-secretário de Obras de Eduardo Paes é condenado a mais de 22 anos de prisão

Alexandre Pinto recebeu mais de R$ 1 milhão em propina por duas obras necessárias para a realização das Olimpíadas no Rio

O ex-secretário de Obras Alexandre Pinto, que atuou durante a gestão do ex-prefeito Eduardo Paes, foi condenado a mais 22 anos e 11 meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e participação em organização criminosa. O ex-secretário atualmente cumpre outra sentença, de 23 anos e cinco meses, por lavagem de dinheiro. A pena foi proferida nesta quinta (10) pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, no âmbito da Operação Rio 40 Graus, que investigou pagamento de propinas por empreiteiras, deflagrada em 2017. Em sua sentença, Bretas ressaltou que entre os agravantes estão o nível intelectual, profissional e sua posição no governo à época. “Entendo ser elevada a sua culpabilidade, diante do nível de formação intelectual e profissional do réu, tendo ocupado o importante cargo público de Secretário Municipal de Obras da Prefeitura do Rio de Janeiro, tendo agido contra a moralidade e o patrimônio públicos, motivado por mera ganância e ambição desmedidas… As circunstâncias em que se deram as práticas corruptas, além das altas cifras envolvidas, revelam desprezo pelas instituições públicas”, escreveu o magistrado. Segundo o juiz, Alexandre Pinto teria recebido da empreiteira Carioca Engenharia R$ 750 mil, em propinas, durante a construção do corredor expresso Transcarioca, e mais R$ 500 mil pelas obras de Recuperação Ambiental da Bacia de Jacarepaguá, ambas obras necessárias para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016. Foi Bretas quem também condenou Alexandre Pinto pelo crime de lavagem de dinnheiro, em sentença decretada em outubro de 2018. (ABr)
Mais Rio de Janeiro
11/01/2019

Fortes chuvas de ontem ainda atrasam voos previstos para Congonhas

São Paulo

Fortes chuvas de ontem ainda atrasam voos previstos para Congonhas

Dos 92 voos programados para pousar e decolar do terminal a partir das 6h de hoje, seis foram cancelados e 11 sofreram atrasos

Depois das fortes chuvas que atingiram São Paulo na noite de ontem (10), o Aeroporto de Congonhas segue com voos atrasados. Dos 92 voos programados para pousar e decolar do terminal a partir das 6h de hoje (11), seis foram cancelados e 11 sofreram atrasos. O terminal ficou fechado entre 21h15 e 22h de ontem. Segundo a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), nesse período 25 voos foram cancelados e 14 alternados para outros aeroportos. O terminal funciona das 6h às 23h. A capital paulista ficou em estado de atenção para alagamentos em vários locais. Foram registrados sete pontos de alagamento, dos quais três transitáveis e quatro intransitáveis. Segundo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a Zona Leste foi a região menos atingida na capital. Durante a madrugada, o CGE registrou que o céu seguia nublado, mas sem registro de chuva na cidade, com as temperaturas oscilando em torno dos 21ºC, sem expectativa de chuva forte para as horas seguintes. No momento, a cidade está em estado de observação, mas não são registrados pontos de alagamento. Hoje, o dia começou com sol entre nuvens e os termômetros na casa dos 20°C, com expectativa de mais um dia de muito calor em São Paulo. As temperaturas estão em elevação rápida e a máxima deve chegar aos 33°C nas horas mais quentes. As taxas de umidade do ar um pouco mais elevadas causam sensação de tempo abafado ao longo do dia, variando entre 50% e 95%. Granizo Segundo o CGE, a combinação de calor e entrada da brisa marítima favorece a formação de nuvens carregadas que provocam chuva em forma de pancadas isoladas com forte intensidade e potencial para rajadas de vento. É possível ainda que caia granizo. De acordo com o CGE, a massa de ar quente e úmido continua atuando sobre o estado de São Paulo e assim o sol predomina na maior parte do dia, com chuvas ocorrendo entre a tarde e a noite. “As precipitações terão forte intensidade e potencial para rajadas de vento e eventualmente queda de granizo, condição bastante normal para a época do ano. Portanto, as condições do tempo durante os eventos chuvosos são favoráveis para a formação de alagamentos, bem como transbordamentos de rios e córregos”, informou o CGE. Mais chuvas no fim de semana A previsão para o sábado (12) deve ser uma repetição dos dias anteriores, com sol na parte da manhã e pancadas isoladas de chuva entre a tarde e o início da noite. A temperatura oscilará entre mínima de 21°C durante a madrugada e máxima de 31°C à tarde, com percentuais de umidade do ar entre 52% e 95%. O domingo (13) também terá forte calor  e madrugada com poucas nuvens e termômetros em torno dos 21°C. A máxima prevista é de 32°C. (ABr)
10/01/2019

Em Davos, Bolsonaro defenderá agronegócio, indústria, ciência e tecnologia

Reunião com Doria

Em Davos, Bolsonaro defenderá agronegócio, indústria, ciência e tecnologia

O presidente se reuniu nesta quinta-feira com Doria; decreto sobre armas deve sair amanhã, segundo o governador

O presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, fará sua estreia internacional no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que será realizado de 22 a 25 deste mês com representantes do G20, que engloba as maiores economias mundiais, e convidados estrangeiros. Segundo o governador de São Paulo, João Doria, que se reuniu nesta quinta-feira, 10, com Bolsonaro, o presidente vai apresentar as oportunidades de investimento no Brasil nos setores do agronegócio, da indústria, comércio, serviços, ciência, tecnologia e empreendedorismo. “É um grande palco para a apresentação do novo Brasil. O Brasil que acredita numa economia liberal, transformadora, que gera empregos e oportunidades”,disse Doria. No total, líderes de cerca de cem países estarão presentes. Reforma da Previdência Na reunião com Bolsonaro, Doria reafirmou seu apoio à proposta de reforma da Previdência que será enviada pelo governo ao Congresso Nacional. Segundo ele, a bancada paulista do PSDB votará favoravelmente à proposta. Para o tucano, a aprovação da reforma previdenciária terá “efeito transformador” no país, “permitindo que o crescimento possa saltar dos 3% hoje previstos para 5%”. Segundo o governador, a reforma vai atrair investimentos internacionais e aumentar a geração de emprego e renda. Perguntado, Doria disse ser favorável ao regime de capitalização proposto pela equipe econômica, no qual cada trabalhador faz sua poupança individual para a aposentadoria. Decreto sobre armas Doria disse que é favorável à flexibilização da posse de armas e, questionado pelos jornalistas, disse que o decreto sobre a questão deve ser assinado amanhã pelo presidente Jair Bolsonaro.  (ABr)
08/01/2019

De olho na reeleição, Bruno Covas demite secretários em troca de apoio político

São Paulo

De olho na reeleição, Bruno Covas demite secretários em troca de apoio político

Uma das mudanças do prefeito de SP foi Educação para agradar ex-governador Márcio França

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), realizou uma reforma no primeiro escalão atrás de apoio político de diferentes partidos para o restante de sua gestão e também preparar terreno já de olho na campanha à reeleição do ano que vem. Ele demitiu secretários, já nomeou os seus substitutos e novos adjuntos e exonerou dezenas de assessores em cargos de confiança. Todas as trocas foram publicadas no Diário Oficial da cidade desta terça-feira, 8. A principal mudança está na Secretaria da Educação. Alexandre Schneider foi substituído pelo ex-secretário de Educação de Márcio França (PSB) no Governo de São Paulo, João Cury Neto, expulso do PSDB por aliados do atual governador João Doria (PSDB). Em abril, Cury aceitou o cargo de secretário estadual de Educação da gestão França, o que foi entendido pelos tucanos ligados a Doria como apoio ao pessebista contra Doria na disputa eleitoral. Reconhecido na área, Schneider conseguiu zerar a fila de pré-escola e superou a meta de colocar ao menos 50% das crianças em creches na atual gestão. Covas começou a atual gestão paulistana como vice de Doria e virou prefeito da cidade em abril do ano passado, quando o então titular decidiu abandonar o cargo para disputar (e vencer) as eleições ao Governo de São Paulo. MUDANÇAS Nesta terça-feira, entre outras mudanças na prefeitura, Aloisio Pinheiro, membro do PRB, assume a pasta da Habitação. Pinheiro foi advogado do PRB e secretário do Meio Ambiente de Suzano, cidade da Grande São Paulo. Fernando Chucre, atual titular da pasta, deixa a Habitação para assumir a Secretaria de Urbanismo e Licenciamento. Heloísa Proença, atual titular de Urbanismo e muito próxima do mercado imobiliário, sairá do governo. Parte dos secretários será trocada em uma dança das cadeiras na prefeitura, entre secretários, adjuntos e secretários-executivos. Cesar Boffa de Azevedo, secretário de Gestão, será trocado por sua adjunta, Malde Vilas Bôas. Boffa vai ser adjunto da pasta de Urbanismo e Licenciamento. Affonso Massot foi exonerado do cargo de secretário das Relações Internacionais, e Luiz Alvaro Menezes assumirá o cargo temporariamente. Covas também exonerou ao menos 45 cargos comissionados. Além dos arranjos com partidos para sua reeleição, Covas também prepara sua base para a votação de projetos importantes, como a operação urbana Jurubatuba, sem a qual a privatização do autódromo de Interlagos não deverá sair. Na Câmara Municipal, o PRB, contemplado com a Secretaria de Habitação, é um dos partidos mais numerosos da base do prefeito, que conta com 43 de 55 vereadores. Com quatro vereadores, o PRB está atrás apenas de PT (9), PSDB (8) e DEM (5) em termos de representatividade na Câmara. (Com informações da FolhaPres)
08/01/2019

Prefeitura de SP retoma concessão do Ibirapuera e outros cinco parques

Privatização

Prefeitura de SP retoma concessão do Ibirapuera e outros cinco parques

O edital havia sido suspenso em julho do ano passado devido a divergências com o então governador Márcio França

A Prefeitura de São Paulo anunciou hoje (8) a retomada da concessão para a iniciativa privada do Ibirapuera e outros cinco parques na capital paulista. O edital havia sido suspenso em julho do ano passado devido a divergências com o então governador Márcio França. À época, França afirmou que a proposta envolvia áreas estaduais e que o governo não havia sido consultado sobre o projeto. Entre os pontos em disputa estavam os estacionamentos, com um potencial de receitas avaliado em R$ 5 milhões por ano. O edital original havia sido lançado em maio de 2018, cerca de um mês depois de o atual governador de São Paulo, João Doria, ter deixado a prefeitura para concorrer ao governo do estado. Uma eleição em que teve como principal adversário Márcio França, que era vice de Geraldo Alckmin, que saiu do cargo para disputar a Presidência da República. Investimentos e serviços A licitação passa para a iniciativa privada os serviços de gestão, operação e manutenção dos parques do Ibirapuera (zona sul), Lajeado (zona leste), Eucaliptos (zona sul), Jacintho Alberto (zona norte), Tenente Brigadeiro Faria Lima (zona sul) e Jardim Felicidade (zona norte). A prefeitura prevê que a concessionária faça investimentos de R$ 167 milhões nas áreas. A empresa vencedora poderá explorar os serviços prestados aos usuários dos espaços, como alimentação e estacionamentos. O Ibirapuera conta ainda com espaços culturais e para eventos, como a Oca, o Auditório e o Planetário. O acesso às áreas verdes deve permanecer gratuito. O contrato terá validade de 35 anos, com um valor de R$ 1,26 bilhão. A prefeitura espera economizar R$ 1,08 bilhão com despesas relativas às áreas e receber R$ 85 milhões com o pagamento das outorgas pelos parques. O edital para a concorrência internacional ficará aberto por 60 dias, quando haverá o recebimento e análise das propostas. O valor mínimo para primeira parcela de outorga é de R$ 2,1 milhões. A concessionária também deverá pagar uma outorga variável a partir das receitas obtidas com os serviços prestados nos parques. (ABr)
Mais São Paulo
18/01/2019

Ducati lança cursos de aperfeiçoamento no Brasil com etapas durante todo o ano

Diário Motor

Ducati lança cursos de aperfeiçoamento no Brasil com etapas durante todo o ano

O Ducati Riding Experience (DRE), chega em duas categorias: Safety e Racetrack

A italiana Ducati traz para o Brasil o Ducati Riding Experience (DRE), nova plataforma de experiências da marca. No primeiro ano, serão duas modalidades, o Safety e o Racetrack. Os cursos são voltados, principalmente, para proprietários de motocicletas da montadora. Mas também estão abertos para quem não tem um modelo da marca. A única exigência é ter habilitação do tipo A. Os valores variam de R$ 1.900 a R$ 2.900. Segundo a montadora, os instrutores são de alto nível com muita experiência acumulada no universo duas rodas. O programa será monitorado pelo piloto Leandro Mello, ele terá companhia, dos também pilotos, Eduardo Tostes, Fernando Alcazar e Fernando Souza. A Ducati selecionou diversas pistas pelo país, todas homologadas pela Confederação Brasileira de Motociclismo, com condições comprovadas de segurança e desempenho para os participantes. Neste primeiro ano, o DRE passará por São Paulo, Paraná e Goiás. DRE Safety Nesta modalidade, o foco é o aperfeiçoamento da pilotagem e condução segura, tanto para o dia a dia, quanto para viagens na estrada. Segundo a marca, o Safety desenvolve motociclistas para ajudá-los a se sentir à vontade durante a pilotagem nas mais variadas situações, simulando diversos cenários que se assemelham aos que encontramos em ambientes urbanos e rodoviários. No Safety também serão trabalhadas técnicas de frenagem de emergência com ABS, frenagem em curva, desvio de objetos inesperados e efeito giroscópio. Os participantes poderão realizar uma sessão na pista para pôr em prática o que aprenderam durante o curso. As aulas, no valor de R$ 1.900, acontecerão sempre no Haras Tuiuti, em Tuiuti, interior de São Paulo, durante um dia e contará com modelos como Monsters 797 e 1200 S, Multistradas 950, 1200 e 1260 e Supersport S. DRE Racetrack Chamado de Track Evo, o curso de alta performance ensina como aumentar o desempenho, aproveitar ao máximo a aceleração e melhorar a fluidez no estilo de pilotagem. Segundo a Ducati, a evolução dos participantes será avaliada durante todo o curso e, antes de cada sessão, um instrutor fará as devidas correções de problemas técnicos. Após o fim de cada bateria, os alunos receberão comentários da performance com o auxílio de vídeos, para facilitar a evolução de cada um. As etapas do Racetrack ocorrerão nos dias 19 de abril em Mogi Guaçu, interior de São Paulo, em julho em Curitiba, em agosto em Goiânia e em novembro na capital paulista. A modalidade custa R$ 2.900 e conta com modelos como 959 Panigale e 1299 Panigale. Inscrições e demais informações no site: dreducati.com.br.
18/01/2019

ANP aprova pagamento de R$ 675,5 milhões em subvenções à comercialização do diesel

Economia

ANP aprova pagamento de R$ 675,5 milhões em subvenções à comercialização do diesel

Subvenções foram aprovadas como parte do acordo do governo federal para acabar com a greve dos caminhoneiros

A diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou o pagamento, para oito distribuidoras, de R$ 675,5 milhões em subvenções à comercialização do óleo diesel. A maior parte desse valor (R$ 622,5 milhões) será destinado à Petrobras. As outras empresas que receberão o dinheiro serão a Blueway (R$ 22,3 milhões), Flamma (R$ 15,8 milhões), Oil Trading (R$ 7,3 milhões), Riograndense (R$ 5,8 milhões), Varo Energy (R$ 1,3 milhão), Farol (R$ 300 mil) e Dax Oil (R$ 232 mil). As subvenções foram estabelecidas pela Lei 13.723 de 2018, aprovada como parte do acordo do governo federal com os caminhoneiros para reduzir o preço do óleo diesel e acabar com a greve geral da categoria, ocorrida em maio. A Lei estabelece que a União conceda subvenção econômica na comercialização de óleo diesel, para abater parte dos custos dos produtores e importadores, no valor de R$ 0,07 (sete centavos) por litro até o dia 7 de junho de 2018 e de R$ 0,30 (trinta centavos) por litro de 8 de junho até o dia 31 de dezembro de 2018. (ABr)
18/01/2019

Obras financiadas do BNDES no exterior é o ‘mapa da mina’ da corrupção do PT

Últimos 15 anos

Obras financiadas do BNDES no exterior é o ‘mapa da mina’ da corrupção do PT

Lista dos '50 mais' do BNDES revela origem da propina milionária da Odebrecht

O BNDES divulgou nesta sexta (18), por ordem do presidente Jair Bolsonaro, uma lista com os 50 maiores tomadores de recursos do banco dos últimos 15 anos. A lista é um autêntico “mapa da mina” da corrupção, mostrando empresas privadas protagonistas da corrupção nos governos do PT, como a Odebrecht, que sozinha teve R$18 bilhões para realizar obras no exterior, em contratos sem licitação, obtidos graças ao lobby político exercido por tipos como o ex-presidente Lula, um dos maiores destinatários das propinas da construtora. O banco divulgou que a estatal Petrobras foi a empresa que mais tomou dinheiro, R$62 bilhões, mas não destaca que os negócios bancados com esses recursos envolveu empresas privadas envolvidas na corrupção dos governos Lula e Dilma. Outros envolvidos em investigações da Operação Lava Jato aparecem no ranking como a JBS, na 20ª posição, com R$ 7 bilhões. A Andrade e Gutierrez também aparece com financiamentos que somam cerca de R$ 5 bilhões. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) usou sua conta no Twitter para falar sobre a divulgação da lista: “Ainda vamos bem mais a fundo! BNDES divulga interessante link identificando os países que usaram os recursos financeiros do Brasil e os motivos dos empréstimos. Tire suas conclusões”, declarou o presidente. Confira os cinco maiores tomadores de recursos do BNDES nos últimos 15 anos: 1. Petrobras: R$ 62 bilhões; 2. Embraer: R$ 49 bilhões; 3. Norte Energia: R$ 25 bilhões; 4. Vale: R$ 22 bilhões; 5. Odebrecht: R$ 18 bilhões. Obras no exterior O banco divulgou ainda a discrição de contratos de apoio à exportação brasileira para obras no exterior dividas por países. Na lista aparecem Angola, Argentina, Costa Rica, Cuba, Equador, Gana, Guatemala, Honduras, México, Moçambique, Paraguai, Peru, República Dominicana e Venezuela. Na página, é possível acessar todos os contratos com cada país na íntegra. Veja a lista completa:

Charge

banner-brasilcti (1)
18/01/2019

Pesquisas avaliam processos e características da carne maturada a seco

MACIEZ, SABOR E AROMA

Pesquisas avaliam processos e características da carne maturada a seco

Processo de maturação a seco ainda é recente no Brasil

Acompanhando o que existe de novo no cenário externo e interno, pesquisadores da Embrapa Pecuária Sudeste estão iniciando estudos com a carne maturada a seco, também conhecida como “dry aged beef”. Em parceria com a Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o centro de pesquisa vai avaliar características sensoriais, como maciez, sabor e aroma dessa carne. De acordo com a pesquisadora Renata Tieko Nassu, o processo de maturação a seco ainda é recente no Brasil. Não existem protocolos de segurança e qualidade, nem legislação específica para regulamentá-lo. Além disso, há muitas dúvidas sobre os parâmetros do processo de maturação e seus efeitos no produto final. Para otimizar as pesquisas sobre o tema, a Embrapa Pecuária Sudeste e a Unicamp estão unindo esforços em busca de um entendimento mais aprofundado. O professor Sérgio Bertelli Pflanzer Júnior, da Faculdade de Engenharia de Alimentos, está avaliando diferentes sistemas de maturação, entre eles o de maturação a seco, estudando parâmetros como congelamento, temperatura, umidade relativa e tempo de estocagem, dentre outros, visando desenvolver protocolos de maturação específicos a serem utilizados pela indústria frigorífica nacional. A partir dos parâmetros estabelecidos, na Embrapa Pecuária Sudeste serão avaliados os aspectos sensoriais e percepção do consumidor em relação à carne maturada a seco. Segundo Renata, a ideia é medir os compostos voláteis e metabólitos formados durante o processo de maturação, responsáveis pelo sabor e aroma, e, assim, conhecer o efeito dos diferentes parâmetros de processo nas características sensoriais desse produto. Além dessas análises, estão previstos testes de preferência e percepção do consumidor sobre a carne dry aged ainda no primeiro semestre deste ano. Os resultados vão contribuir para incrementar os conhecimentos sobre a maturação a seco e seus efeitos na qualidade da carne, bem como a percepção do consumidor, já que as pesquisas realizadas têm apresentado resultados variados quanto aos aspectos sensoriais desse produto. Carne maturada a seco A maturação é utilizada para melhorar as características sensoriais da carne. Nesse processo, ocorre a ação de enzimas musculares endógenas, presentes no músculo e que contribuem para transformações na textura, principalmente. Pode ser úmida (wet aging) ou realizada a seco (dry aging). A mais usada é a úmida, com o produto embalado a vácuo e refrigerado. No método a seco, tradicionalmente a carne é refrigerada sem embalagem, exposta às condições controladas de temperatura, umidade e tempo. Comparando-se os dois processos, a carne maturada a seco perde cerca de 20% do seu volume, tem alto custo de produção e, após a maturação, existe a necessidade de remoção das superfícies ressecadas (aparas). No entanto, pela maciez e sabor diferenciado, está associada a nichos de mercado mais exigentes e dispostos a pagar altos preços pelo produto.   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
18/01/2019

Pesquisa na Antártica é tema de exposição do Museu Nacional

CONTINENTE GELADO

Pesquisa na Antártica é tema de exposição do Museu Nacional

Exposição fica no Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil, no Centro do Rio de Janeiro

O Museu Nacional inaugurou, durante coletiva nessa quarta-feira, 16, a exposição Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico, no Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil, no Centro do Rio. A exposição, a primeira após o incêndio, no dia 2 de setembro do ano passado, vai apresentar as novas descobertas do Projeto PALEOANTAR, vinculado ao Programa Antártico Brasileiro (Proantar), que conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A exposição tem curadoria da paleontóloga Juliana Sayão, bolsista de Produtividade em Pesquisa (PQ) do CNPq, que, junto com o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, também bolsista PQ, coordenou o projeto. A pesquisadora Juliana Sayão fala, ao lado de Alexander Keller, durante a coletiva de abertura da exposição. Foto: Maurício Salles Durante três anos, Juliana liderou as equipes em campo. A pesquisadora destaca a importância dos achados do projeto para contar uma história do continente antártico ainda desconhecida para muitas pessoas. “Nem sempre a Antártica foi congelada. Ela era mais quente e tinha uma fauna e flora completamente diferentes daquelas que a gente encontra hoje. Através dos fósseis resgatados pelo projeto Paleoantar a gente consegue contar essa historia e trazer essa informação para a população”, aponta. Juliana ressalta que as pesquisas são responsáveis, também pela formação de recursos humanos, já tendo levado dois alunos de doutorado cujo foco da tese é entender a paleontologia da Antártica e alunos da iniciação científica. Além disso, estagiários e alunos de graduação, mestrado e doutorado estão envolvidos nas análises dos materiais coletados pelo projeto nos laboratórios da universidade. Para Kellner, o apoio do Governo Federal, por meio da Marinha, com o apoio logístico; e do CNPq, com o financiamento das pesquisas, é essencial para a pesquisa naquela região, que tem uma importância geopolítica, segundo o pesquisador. “A sociedade brasileira tem que entender que somente quem está fazendo pesquisa científica na região antártica vai definir o futuro do continente. Então, é fundamental que o governo brasileiro continue incentivando o Proantar nas mais diversas áreas do saber”, complementa. A exposição A exposição permite que crianças e adultos entendam, de forma didática, através de vídeos, imagens, amostras, réplicas e fósseis, o que acontece na Antártica. Ela tem entrada gratuita a partir desta quinta-feira, 17, e poderá ser visitada até maio. “Essa exposição, aberta pouco mais de quatro meses depois da tragédia que se abateu sobre a nossa instituição, tem inúmeros significados: é a primeira realizada desde o incêndio, acontece no prédio que foi a primeira sede do Museu Nacional e será uma oportunidade incomparável para o público conhecer uma Antártica apresentada de forma única e surpreendente. Uma experiência inesquecível que inclui os equipamentos originais usados pelos pesquisadores brasileiros”, destaca Kellner. A curadora acrescenta que estão apresentadas na exposição as mais recentes descobertas das expedições realizadas entre 2015 e 2018. “Nesse período, nossos pesquisadores trabalharam na região mais ao sul da Antártica na prospecção e coleta de fósseis para fins de reconstrução paleoclimática, paleoambiental e paleobiogeográfica da fauna e flora do Cretáceo no continente. O objetivo é convidar o público a acompanhar de perto esta missão”, destaca a curadora. Segundo Juliana, a exposição Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico foi pensada para estimular o diálogo com o grande público e, assim, gerar conhecimento e reforçar a importância das expedições realizadas ao continente gelado. “É uma forma de facilitar o entendimento das pessoas sobre questões que afetam as vidas de todos nós e entender, por exemplo, porque os dias no Rio de Janeiro estão cada vez mais quentes. Afinal, as correntes que chegam ao Brasil, no verão, saem justamente da Antártica. E qual a origem das massas polares que trazem chuva e, ao se encontrarem com massas quentes, geram tantos alagamentos? Ou seja, é fundamental conhecer esses fenômenos para que possamos trabalhar em pesquisas que contribuam para manter as pessoas vivas”, explica. Os visitantes vão se surpreender logo na entrada, onde chama a atenção a réplica de um mosassauro, com impressionantes cinco metros de comprimento, semelhante ao que aparece no filme Jurassic World (2015). O espécime pertence a um grupo extinto de criaturas marinhas que habitaram os mares do final do período Cretáceo. Considerados grandes predadores, os mosassauros chegavam a medir 17 metros e pesar seis toneladas. A curadoria da exposição convida o visitante a percorrer diferentes momentos da história do continente gelado. O percurso começa pela sala que apresenta a situação atual, com direito à réplica de um navio da marinha do Brasil e a reconstituição do trajeto percorrido pelos pesquisadores, com detalhes sobre a vida nos acampamentos e laboratórios. Em outra sala, o público terá contato com detalhes do trabalho realizado pelos paleontólogos e saber como trabalham esses pesquisadores, que equipamentos usam e como eles encontram fósseis e amostras de rochas. A sala seguinte é a da Antártica de 90 milhões de anos atrás, completamente diferente da atual. Um continente quente, coberto por uma floresta tropical e com uma fauna exuberante. A proposta é justamente gerar a curiosidade e os questionamentos do público: por que essa Antártica era tão diferente? Por que mudou? O que aconteceu? Essa mudança pode acontecer em outros continentes no futuro? O Proantar O Proantar é um programa de Estado que tem como objetivo a produção de conhecimento científico sobre a Antártica e suas relações com o restante do sistema climático global. Ele garante a presença da comunidade científica brasileira na Antártica desde o verão de 1982/83. De acordo com o artigo IX do Tratado da Antártica, os países que se tornaram membros por adesão, como é o caso do Brasil, devem manter na região um programa científico de excelência, de forma que possam participar das reuniões consultivas que decidem o futuro da região com direito a voz e voto, inclusive com atuação no Scientific Committee on Antarctic Research (SCAR) órgão interdisciplinar do Conselho Internacional para a Ciência (ICSU), responsável por promover, desenvolver e coordenar a investigação científica internacional de alta qualidade na região Antártica, inclusive o Oceano Antártico. O CNPq participa da realização dos objetivos científicos do programa desde 1991, sendo responsável pelo financiamento das pesquisas científicas na Antártica. Junto com o MCTIC é responsável pelo fomento e pela coordenação da execução das pesquisas científicas realizadas pelas Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs). A implementação logística do PROANTAR está a cargo da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), vinculada ao Comando da Marinha (Ministério da Defesa – MD). Também são parceiros na execução do Programa o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Ministério das Relações Exteriores (MRE), entre outros atores do setor público (PETROBRAS) e privado. Sobre o Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil Com cerca de 200 anos de idade, o Palacete da Casa da Moeda é uma edificação de grande valor histórico, especialmente para a memória da pesquisa científica do país. O Palacete abrigou a primeira instituição de pesquisa do país, a Casa de História Natural e foi nesse imóvel que Dom João VI abrigou o primeiro museu do país, o Museu Real, criado por decreto em 6 de junho de 1818. Tombado pelo IPHAN em 2016, o Palacete é uma construção eclética, de traços neoclássicos. SERVIÇO Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico Período da exposição: de 17 de janeiro a 17 de maio Local: Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil (Praça da República ¿ nº26 – Centro) Horário de funcionamento: de terça a sábado, das 10h às 16h e domingo, das 10h às 15h Entrada franca Com informações da Asssessoria de Imprensa do Museu Nacional    Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Ferramenta desenvolvida na UnB comprova integridade de gravações de áudio

Gravações sem manipulação

Ferramenta desenvolvida na UnB comprova integridade de gravações de áudio

Em testes pela PF, protótipo mostra-se mais eficiente que métodos anteriores

O nome é longo e pode parecer misterioso para leigos, ainda assim, a dissertação de mestrado Detecção robusta de adulteração em áudio explorando a forma analítica e o subespaço dos sinais interferentes da rede elétrica tem aplicação em um cenário já bem conhecido no noticiário brasileiro. Desenvolvida pelo engenheiro e perito da Polícia Federal (PF) Paulo Max Innocencio, no mestrado profissional do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE) da UnB, a pesquisa propõe um novo método de detecção de adulteração em gravações de áudio digital. Aquelas mesmo, que frequentemente são apresentadas nos jornais como prova em denúncias de crimes. Pela inserção do tema no cotidiano social, o trabalho foi escolhido pela Sociedade Brasileira de Ciências Forenses (SBCF) como o melhor em Ciências Forenses de 2018. O objetivo central do estudo é apresentar uma ferramenta que identifica se há alteração anormal na frequência de oscilação de sinais interferentes da rede elétrica. Esses sinais costumam ser incorporados em registros de áudio, porque nas gravações feitas em ambientes urbanos, o sinal eletromagnético emitido por rede e aparelhos elétricos é captado no arquivo e apresenta uma pequena variação. “É suave, como se fosse um sinal de sirene que aumenta e diminui”, descreve Paulo Max. Quando há edição, contudo, é possível identificar uma variação abrupta, captada pela ferramenta. Do ponto de vista técnico, pericial, a pesquisa é relevante para atestar que uma escuta devidamente autorizada pela autoridade judicial, ou mesmo feita por um indivíduo de forma autônoma, por exemplo, não foi adulterada. Essa verificação pode ser determinante para a decisão de utilizar ou não o material como evidência em alguma investigação. “É muito comum que o acusado tente negar o conteúdo registrado no áudio, alegando que as gravações foram adulteradas”, comenta o professor João Paulo Lustosa, orientador de Paulo Max. Aplicação Existem várias formas de editar um áudio, como a mudança na frequência das palavras registradas, que altera o significado do que foi dito. Uma vez que o áudio esteja com a autenticidade questionada, o perito precisa saber identificar possibilidades de alteração no material. Para tanto, aplica várias ferramentas de identificação de veracidade do áudio. “Algo em torno de dez e 15”, quantifica o professor Lustosa. O produto do estudo de Paulo Max é justamente uma dessas ferramentas de validação. “A pesquisa propõe usar um estimador estatístico, que é um bom parâmetro para identificar anomalias, e, portanto, adulteração”, diz o egresso. “Na Polícia Federal, é frequente recebermos áudios como meio de prova e eu trabalho diretamente com isso. Esse tipo de análise já ocorre, só que de forma assistida, e não de maneira automatizada. Essa mudança é o que proponho”, explica o perito e pesquisador. De acordo com ele, a perícia para esses casos se vale cotidianamente de gráficos, nos quais são buscadas anomalias. Dessa forma, a avaliação está sujeita à subjetividade do analista. Com a ferramenta automática, pode-se obter um resultado com maior acurácia e com tempo de execução mais célere. “O perito pode ter acesso a algo que, em uma situação a olho nu, talvez não captasse”, resume Paulo Max. O protótipo da ferramenta está sendo aplicado no Instituto Nacional de Criminalística, órgão central da Perícia Criminal Federal, localizado em Brasília. Paulo conta que os colegas têm dado retorno positivo sobre a utilização. “Dizem que é uma ferramenta fácil de aplicar no uso corriqueiro, de muita utilidade.” A ideia é ampliar o uso do protótipo dentro da PF. A técnica deve passar a integrar um programa em desenvolvimento na Polícia que agregará outras ferramentas de perícia. A proposta também tem potencial de uso pelo mercado pericial, por assistentes técnicos que fornecem serviços e para perícia em área civil. Mais Eficaz O método proposto teve resultados validados utilizando uma base de dados que contém uma centena de gravações telefônicas autorizadas de áudios não editados, e igual quantidade de gravações telefônicas de áudios editados. Além disso, os resultados obtidos foram comparados com estudos correlatos anteriores. “Os trabalhos que já existiam tinham acurácia inferior àquela da técnica proposta por Paulo”, comenta o professor João Paulo Lustosa. O curso em que a pesquisa foi desenvolvida ocorreu graças a uma parceria da UnB com a PF para oferecer mestrado na área de informática forense e segurança da informação. A finalidade do mestrado profissional é justamente criar soluções com aplicação direta em contribuições para a sociedade.   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Largar a chapinha é mais que uma atitude estética; tornou-se um ato político-social

BELEZA E PRECONCEITO

Largar a chapinha é mais que uma atitude estética; tornou-se um ato político-social

É o que consta em dissertação na Pós-Graduação em Sociologia da UFPE

Cabelos crespos e cacheados nem sempre foram sinônimo de beleza na sociedade, mas processos como o de transição capilar na contemporaneidade ressignificam não só o cabelo, como, também, a estética negra. A partir, principalmente, deste marco, em que cabelos com texturas mais crespas passam a ser assumidos e valorizados, a socióloga Anita Maria Pequeno Soares analisa que, ao largarem as chapinhas e alisamentos, as mulheres negras atuam além de sua autoestima e identidade, e conclui: “Por se tratar de uma expressão, a atitude não pode ser dissociada do seu carátersocial e político, uma vez que o cabelo crespo contempla uma forte dimensão simbólica, como sinal de inferioridade em uma sociedade racista”. Na dissertação “Cabelo importa: os significados do cabelo crespo/cacheado para mulheres negras que passaram pela transição capilar”, defendida no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE (PPGS) e orientada pela professora Liana Lewis, Anita Soares identifica essa relação – cabelo-autoestima-identidade – não só como a valorização de uma negritude ou da descendência africana, mas como uma rejeição direta de beleza feminina, majoritariamente branca. “A negação da beleza negra alude o período da escravidão. E o cabelo foi e continua sendo, juntamente à cor da pele, sinais que destacam a negritude; não acidentalmente, o cabelo surge como uma questão desde a infância para as meninas negras de cabelo crespo, tendo como única alternativa o alisamento”, explica. A dissertação aponta as razões que tornam o cabelo importante na vida das mulheres negras de cabelo crespo. “Os significados do cabelo perpassam a negociação de identidades políticas complexas marcadas pela interseccionalidade entre raça e gênero”. Segundo a autora, a autoestima estava condicionada ao cabelo liso e a assunções de branquitude, que exigiam um grande esforço de manipulação estética. Na pesquisa, Anita relata que a consequência dessa lógica excludente é “interiorizada e marca profundamente a autoestima delas (mulheres negras), pois suas características corporais são subjugadas à condição de menor prestígio e valor estético”. Para entender melhor a dinâmica que coloca o cabelo crespo num status de “ruim” e o significado disso na subjetividade das mulheres negras, Anita faz uma cronologia da história da estética negra desde a colonização até o processo da transição capilar; passando por questões que se relacionam ao movimento “black is beautiful”, o “black power” e também o feminismo negro brasileiro. Segundo a autora, “a escolha de trabalhar sobre um tema contemporâneo e fortemente significativo para a vida de milhares de mulheres negras busca mostrar uma realidade tão negligenciada além de alargar a compreensão e a importância do feminismo negro”. Metodologia A metodologia utilizada neste trabalho foi a entrevista, norteadas por um tópico-guia e pela pergunta “Quais são as suas primeiras lembranças sobre quando começou a alisar o cabelo?”, a fim de compreender o significado do cabelo crespo/cacheado para essas mulheres. A partir desse levantamento, a autora analisou o discurso das entrevistadas buscando compreender também “os efeitos sociais do discurso do racismo na vida das minhas entrevistas”. Baseada nisso, Anita percebeu que o cabelo crespo torna-se uma questão na vida das meninas negras muito cedo, pois a maioria das entrevistadas lembra de alisar os cabelos ainda na infância. Os danos causados por esse ‘ritual de beleza’, como corte no couro cabeludo, feridas e afins, também são comentados pela socióloga. Os sujeitos da pesquisa foram mulheres negras, com média de 25 anos, com exceção de uma entrevistada, que tinha 48 anos e vivenciou outro contexto, que passaram pela transição capilar, em certa medida. De acordo com a pesquisa, escolher apenas mulheres que passaram pela transição direciona o discurso e, segundo um dos autores utilizados para embasar o estudo, “as mulheres que alisam o cabelo tendem a discordar mais do ‘self-hatred’, ideia segundo a qual o alisamento seria reflexo de uma autoestima baixa das mulheres negras e do consequente ‘ódio a si mesmas’; enquanto as mulheres que usam o cabelo ‘natural’ tendem mais a concordar com essa ideia”. Já nos casos de transição capilar, Anita define a transformação como “um processo rumo ao conhecimento de uma parte desconhecida”, pois a maioria das mulheres entrevistadas passaram pelo processo de alisamento sem antes conhecer o cabelo natural. Por fim, a mestranda analisa a importância do “big chop” para essa mulheres. O ato de cortar o cabelo muito curto “significou uma mudança muito além do cabelo”, é uma luta política por reconhecimento. Mais informações Programa de Pós Graduação em Sociologia da UFPE (81) 2126.8285 ppgs.ufpe@gmail.com Anita Maria Pequeno Soares anita.mps@hotmail.com   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Aplicativo desenvolvido por estudantes da UFPA auxilia no aprendizado de idiomas

APP Poliglota

Aplicativo desenvolvido por estudantes da UFPA auxilia no aprendizado de idiomas

Estudantes da Universidade Federal do Pará (UFPA) desenvolveram um aplicativo para auxiliar no aprendizado de idiomas estrangeiros. Chamado Tellou, o aplicativo tem como objetivo conectar pessoas que desejam praticar um determinado idioma com outras pessoas que estão aprendendo ou já dominam esse idioma, priorizando o desenvolvimento das habilidades de conversação. O aplicativo foi desenvolvido pelos estudantes Risonaldo Moura, graduando em Engenharia da Computação pela UFPA, e Weverton Barros, pós-graduando em Gestão Financeira Pessoal (PPGFE/UFPA). A equipe, atualmente, conta também com a estudante Jéssica Carvalho, graduanda em Letras – Língua Inglesa pela Universidade da Amazônia (UNAMA). Segundo Risonaldo Moura, o aplicativo foi idealizado pensando na ineficiência de escolas e de institutos de idiomas no desenvolvimento das habilidades de fala e escuta. “Nestes ambientes, os estudantes aprendem essas habilidades em um cenário ideal, com um tema já pré-definido e sob tutoria de alguém, porém, num cenário real, a situação é bem diferente, e o falante da língua deve dominar a ‘arte do improviso’ para manter uma boa conversa em diversas situações, até mesmo numa entrevista de emprego”, explicou. Tellou No aplicativo, que se encontra em fase de testes, o usuário poderá praticar outros idiomas com outros usuários, por meio de chat ou pessoalmente. Para Risonaldo, o Tellou pretende ser uma ferramenta inovadora no ensino de idiomas, possibilitando que o usuário aprenda o idioma em imersão. “Acreditamos que tornar mais acessível o aprendizado de idiomas é também tornar possível o desenvolvimento profissional, acadêmico e social de aproximadamente 89% da população brasileira, que, por algum motivo, não possui ferramentas necessárias para o domínio de uma segunda língua”, afirmou. O aplicativo conta com o apoio do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Tecnologia da Informação (PPGTI/UFPA) e da INTECELERI, empresa parceira da Google, na Região Norte. Campus Mobile O Tellou está competindo na categoria Educação do Campus Mobile, competição anual do Instituto NetClaroEmbratel, que está na sua sétima edição. Os projetos participantes serão avaliados por uma banca de investidores, empresários e avaliadores. Três projetos de cada uma das quatro categorias serão premiados com um determinado valor, e uma equipe de cada categoria conquistará uma viagem de imersão para o Vale do Silício, em São Francisco, nos Estados Unidos. Para Risonaldo, a expectativa é amadurecer a ideia do aplicativo por meio de feedbacks e opiniões de pessoas com visão global, adquirir conhecimento e experiência em empreendedorismo, além de trocar experiências com outros participantes da competição e trazer essas experiências para o Estado do Pará e para a UFPA.   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Descoberto número primo com quase 25 milhões de dígitos

Conta Gigante

Descoberto número primo com quase 25 milhões de dígitos

O ano começou com uma boa notícia para a ciência. Matemáticos — profissionais e amadores — do projeto de pesquisa mundial Great Internet Mersenne Prime Search (GIMPS) – descobriram o maior número primo conhecido. Com 24.862.048 dígitos, mais de 1,5 milhão do que o número primo recorde descoberto em 2017, ele pode ser expresso como 282,589,933-1. Pertencente à classe especial de números primos raros, conhecidos como primos de Mersenne, este é o 51º primo de Mersenne descoberto e já foi apelidado de M82589933. Os primos de Mersenne, assim nomeados em homenagem ao monge francês Marin Mersenne, que estudou primos há cerca de 350 anos, têm uma fórmula simples: 2n -1. Neste caso, foi achado após o computador calcular dois elevado a 82.589.933, menos um. Criado em 1996, o projeto GIMPS permite que se faça o download de um software especial executado em segundo plano para encontrar números primos. Desde então, descobriu os últimos 17 primos de Mersenne. Desta vez, a novidade saiu do computador de Patrick Laroche, de Ocala (Flórida, EUA). Encontrado em 7 de dezembro, o M82589933 passou duas semanas sendo verificado por matemáticos do projeto e foi oficialmente anunciado em 21 de dezembro. Mais que uma simples descoberta matemática, os primos de Mersenne são úteis na geração de números razoavelmente aleatórios, ideais para a elaboração de algoritmos de criptografia. O pai do M82589933 Patrick Laroche, 35 anos, é um profissional de TI que usava o software GIMPS como um “teste de estresse” gratuito para suas compilações de computador. Há menos de quatro meses, ele começou a caça ao número primo de verdade. Em sua quarta tentativa, Laroche descobriu o novo número primo. A descoberta lhe renderá um prêmio de aproximadamente R$ 11 mil.   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.

Poder em Números


31/10/2018

Mapa de governadores

Eleições 2018

Mapa de governadores

13 partidos governarão os estados a partir do ano que vem.

13 partidos governarão os estados a partir do ano que vem, você sabe quais são? O PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro, não tinha governadores até esta eleição. Já o MDB, depois de eleger o seis governadores em 2014, passou para três. Outro partido a eleger seu primeiro governo é o NOVO. Confia abaixo todos os outros partidos e estados, e fique por dentro.
17/10/2018

Saiba como funciona a Cláusula de Barreira

Reforma política

Saiba como funciona a Cláusula de Barreira

Veja abaixo como os partidos se saíram nas eleições de 2018

O Plenário do Senado Federal aprovou a proposta de emenda à Constituição (PEC 33/2017) que cria, a partir do resultado das eleições de 2018, cláusulas de desempenho eleitoral para que os partidos políticos tenham acesso ao fundo partidário e ao tempo gratuito de rádio e televisão, além de acabar com as coligações para eleições proporcionais para deputados e vereadores, nesse caso a partir de 2020. A PEC foi aprovada em primeiro turno com 62 votos favoráveis e em segundo turno por 58 votos a favor. Para restringir o acesso dos partidos a recursos do Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV, a proposta cria uma espécie de cláusula de desempenho, com exigências gradativas até 2030. Mas você sabe como funciona essa cláusula de desempenho? Quais critérios deve cada partido deve cumprir? E como cada partido se saiu? Confira abaixo.
08/10/2018

Confira a bancada na Câmara dos Deputados

Eleições 2018

Confira a bancada na Câmara dos Deputados

Saiba como era e como ficaram os partidos na Câmara

A partir de 2019, a Câmara dos Deputados que é composta por 513 deputados federais sairá de 28 partidos representativos para 30 partidos diferentes. O PT, donos de uma das maiores bancadas caiu de 69 para 56 deputados, mas ainda continua sendo a maior bancada dentro da Câmara, por outro lado o PSL passou de 1 para 52 deputados eleitos. O PSDB perdeu grande parte da sua representatividade no parlamento e seguirá no próximo ano com apenas 29 deputados . Menos da metade dos deputados conseguiu se reeleger. Confira abaixo como a Câmara dos deputados segue no próximo ano.
25/09/2018

Saiba quais são os documentos necessários para votar

Eleições 2018

Saiba quais são os documentos necessários para votar

Eleitor pode votar sem título?

Escolher conscientemente um candidato que irá nos representar é um dever de todos os brasileiros. Para desfrutar desse direito você deve se dirigir no dia 7 de outubro/2018 até sua zona eleitoral com os documentos necessários para você fazer parte desse processo democrático. O seu voto é a chance de fazer toda a diferença na história do Brasil, mas você sabia que até mesmo sem o título de eleitor em mãos você pode participar das votações? É importante lembrar que o eleitor que não regularizou sua situação (o prazo foi até dia 9 de maio de 2018) teve seu título cancelado, portanto, não poderá votar (com ou sem o título em mãos). Acompanhe agora quais são os documentos necessários para você levar no dia da votação, e o que fazer para votar sem o título em mãos.