Mais Lidas

acessibilidade:

O silêncio de Bárbara

Para desgosto de seus algozes, Bárbara Destefani, do canal “Te atualizei”, vai entrar para a história e para o futuro da comunicação social no Brasil. Ninguém como ela conseguiu realizar tanto, de modo tão criativo, com poucos recursos, mobilizando para isso um invejável leque de talentos.

Sua ironia e sua posição politica incomodaram a Corte. Seus membros, habituados às máximas vênias, lisonjas, rapapés – e às próprias ironias – têm-se como credores eternos dessas incondicionais reverências.

Na guerra que travam contra a vontade popular consagrada nas urnas de 2018, procederam como generais de um alto comando, cortando estrategicamente as fontes de suprimento do inimigo. Dizendo agir em nome da democracia, atropelando a Constituição, o Supremo censura dezenas de jornalistas, veículos de comunicação, influenciadores, youtubers e sites ditos “de direita”.

Anteontem (26/08), o ministro presidente de STF, com uma retórica de faroeste, foi bem enfático: “É preferível evitar que o cão morda”. Ele justificava as ações ordenadas por Alexandre de Moraes. Contudo, é preciso dar adeus à razão e à sensibilidade para não ver nelas o uso abusivo do poder de Estado. Não é à toa que a sociedade se sente ao desabrigo, numa “democracia” sem ouvidos, que sequer consegue sustentar com aprumo seu aspecto formal.

O leitor talvez tenha observado que só as fake news atribuíveis à direita são objeto de punição. Todos os cotidianos maus tratos à verdade proporcionados por jornalistas, analistas, grupos de comunicação, formadores de opinião e youtubers – de esquerda – estão resguardados  no lado esquerdo do peito dos poderes reais da República.

Bárbara Destefani, com seus vídeos, trouxe riso e conforto para milhões de brasileiros que se percebem ínfimos perante seu Supremo. O silêncio daquela jovem dói em mim. Ofende-me o Estado que lhe toma a fonte de subsistência.

Percival Puggina, membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor e titular do site www.puggina.org, colunista de dezenas de jornais e sites no país. Autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia; Pombas e Gaviões; A Tomada do Brasil. Integrante do grupo Pensar+.