O que te fizeram, Brasil?

acessibilidade:

O que fizeram a este País dos sonhos dos patriotas? O que fizeram com a Nação Verde e Amarela? Que sacrilégio ou crime tão grande fez teu povo para merecer tanto castigo, para passar por tanta provação?

Que tamanha vergonha é esta que se impõe ao brasileiro de honra e qual a razão da humilhação para se colocar o Gigante das Américas de joelhos perante o mundo?

Brasil, teu povo perdeu a paz, não dorme mais à noite e levanta sobressaltado. Os dias de sua gente ordeira, pacífica e trabalhadora se consomem pela ira dos justos e pela revolta dos irresignados, vendo o tempo destruir paulatinamente suas derradeiras esperanças.

Por que os vermelhos te fazem esse mal e querem tanto destruir sua sociedade?

É porque desta forma a dominação assassina se torna mais fácil. Fracionando a Nação fica mais cômodo dividir seu território para vendê-lo aos pedaços, distribuindo para uns suas terras produtivas e para outros sua rica Amazônia. O leilão já começou.

Que fique bem claro que este meu doído prelúdio está longe de pregar o conformismo ou se assemelhar a uma súplica qualquer. Muito pelo contrário, é o estribilho de um canto de uma guerra cívica para embalar os que não vão capitular.

Não vão capitular e nem podem. Daqui para diante, até que resgatemos o País das mãos de um ex-presidiário que roubou trilhões dos cofres públicos, vitimou mais de 15 milhões de famílias brasileiras e que ocupou fraudulentamente o Governo Central da República com uma quadrilha de 37 evadidos da Justiça, não haverá paz em todo território nacional.

De certo que não pode reinar a paz porque a situação atual está tão ruim e se deteriorando vertiginosamente, como era de se esperar, que a “cubanização” do Brasil e a “venezuelização” de suas instituições já estão sendo previstas pelos especialistas daqui e do mundo inteiro.

As ações do governo, sempre encetadas pelas mãos longas de seus esbirros assassinos, prenunciam um caos iminente.

Ouve-se falar de mais de meia dúzia de torres de transmissão de energia criminosamente derrubadas para prejudicar e paralisar os Estados que se opõem à quadrilha reinante, que estão sendo consideradas por seus governadores recém-eleitos como claras ameaças para cooptá-los.

Considere-se, ademais, que se antes da chegada da bandidagem ao poder o Brasil já tinha mais de uma centena de presos políticos; uns, censurados; outros, com seus direitos e garantias constitucionais subtraídas; muitos, agora alçou a marca despótica de mais de mil e tantos presos em condições sub-humanas, incluindo, idosos, deficientes físicos e crianças de tenra idade, acusados de crimes jamais previstos no ordenamento pátrio.

Analise-se que medidas governamentais cada vez mais draconianas e com sanguinárias consequências estão sendo adotadas, seja paralisando as ações contra o narcotráfico, seja fechando os postos da Polícia Rodoviária ou aparelhando os comandos da Polícia Federal em todo País, pelo que em poucos dias o índice de criminalidade disparou assustadoramente.

Para a efetivação dessas barbáries cada dia que passa mais se blinda a atuação do tal ditador togado do STF, cujas loucuras desenfreadas vêm fazendo milhares de vítimas, enlutando famílias e fechando empresas e negócios não alinhados com a esquerda delinquente, tudo metodicamente incensado e promovido pela canalha da “Globo-Lixo”.

Anote-se, também, que praticamente foram suspensas as atividades das Forças Armadas nas fronteiras e não mais se ouve falar da invasão de guerrilheiros cubanos, venezuelanos e colombianos que a tiros vinham sendo abatidos nos rios do Brasil. Os narcoditadores daqueles países vizinhos estão exultando noite e dia.

A tudo isso se some a criminosa ofensiva governamental destinada a desmoralizar nossa heroica proteção à Amazônia visando a convencer o mundo de uma suposta incapacidade para defender nossa soberania na região, que está sendo liderada pelas ações abomináveis e pelo cinismo doentio dos proxenetas do meio ambiente, tendo a frente a sempre desprezível e ignóbil “ET da Floresta”, defensora da “corriola ongueira”, sanguessuga de nossas riquezas.

Como reflexo dessas ações torpes e vis, por toda máquina governamental já se movimentam o comissariado petista – agentes do sindicalismo nefando, sempre e eternos chupas-cabras da massa trabalhadora – em busca de cargos e funções onde possam roubar e deixar roubar. Têm-se, para todos os gostos, cartas mal redigidas e canhestros manifestos posto às pressas por todo lado. Triste de se ver a nefasta ânsia do aparelhamento político voltar com toda força.

O que fizeram contigo Brasil os generais traidores cujo rancor esconderam por quatro anos até que suas invejas, seus corporativismo, covardias e sentimentos subalternos os levaram a trair seu Comandante em Chefe, sua Pátria e este povo que atônito e desesperado lhe pediu socorro?

Nada fizeram e agora, pelo preço de quatro estrelas de ouro e pela voz do Comandante Militar do Sudeste, General Tomás Ribeiro Paiva, cinicamente tentam justificar suas ignomínias dizendo que as Forças Armadas são uma Instituição do Estado, não dos partidos ou dos políticos, para apunhalar o próprio Estado, tomar partido de uma agremiação criminosa, o PT, e blindar um renomado patife da política que, no Brasil tomou o poder, mediante uma fraude que se negaram a apurar.

O que fizeram contigo, Brasil, os “Contras e os Terceiroviistas”- sempre encarnados por dentro, medíocres e presunçosos por fora, como qualquer “cucaracha” da “América Latrina” – os quais responsabilizo pela vitória roubada do “Ogro Fraudador”?

O que fizeram contigo Brasil, os “isentões”, a abjeta classe política e os covardes que ao primeiro sinal de qualquer dificuldade e diante da mais leve ameaça aos seus interesses e às suas fortunas, desde que a situação começou a endurecer com os primeiros resultados das eleições já correram para debaixo de suas camas e para o conforto manso de seus ricos domínios.

Com a vermelhada ladra e assassina o povo sempre soube que jamais poderia dela esperar coisa alguma. Contudo, traído agora que foi por muitos com que um dia pensaram poder contar aprendeu, da forma mais perversa e sofrida, que é somente com ele povo, patriota de berço e formação, que pode continuar na luta e que esta não cessará.

José Mauricio de Barcelos ex-Consultor Jurídico da CPRM-MME é advogado. E-mail: bppconsultores@uol.com.br.