Cláudio Humberto
Coluna CH/3 de agosto

Impressão do voto terá sempre veto do STF, mesmo se o Congresso aprovar

acessibilidade:
Novo modelo de urna eletrônica, com impressão do voto, chegou a ser apresentada pelo TSE em 2017. Foto: TSE

Toda manifestação contra Jair Bolsonaro lembra, com razão, o “respeito às instituições” e à “harmonia dos poderes”, mas na prática a teoria é outra. Em 2015, sem a animosidade atual, o voto impresso foi aprovado por ampla maioria no Congresso e virou lei, mas oito ministros do STF mandaram às favas o respeito à “harmonia” e às decisões de instituições do Poder Legislativo mandando a lei para a cesta do lixo, mostrando valerem mais que os deputados e senadores eleitos pelo povo. Acontecerá de novo, caso o Congresso aprove a medida defendida por Bolsonaro. Até por ser defendida pelo presidente.

Poder supremo

O veto de Dilma à lei 13.165/15, que instituía no Brasil o voto impresso, foi derrubado por 424 parlamentares. Mas oito ministros do STF vetaram.

Estava pacificado

O TSE chegou a apresentar a nova urna com impressão do voto e design elogiado por ministros, inclusive Luis Roberto Barroso, o atual presidente.

Alegação curiosa

Às vésperas da eleição de 2018, o STF declarou a lei “inconstitucional” porque o sigilo do voto poderia ser violado “se” a impressora falhasse.

Até Gilmar gostou

Vencido na época, Gilmar Mendes criticou a impressão do voto, mas gostou da nova urna e disse que a decisão é do legislador. Só eu não.

Embaixada do Brasil em Washington

Brasil vai instalar mais consulados mundo afora

O Brasil avalia instalar consulados em cidades e regiões importantes na Europa, Ásia e nos Estados Unidos, a fim de melhorar a assistência a brasileiros que residem ou transitam nessas localidades. O chanceler Carlos França pediu ao presidente Jair Bolsonaro autorização (e recursos) para novos consulados nos Estados Unidos: em Orlando, até para desafogar o consulado de Miami, e em Seattle, a fim de atender à crescente comunidade brasileira atraída pelo seu polo de tecnologia.

Protagonismo chinês

O ministro Carlos França acha importante mais dois consulados na região central da China, e também em Shangdu (antiga Xanadu).

Mais dois na Europa

Além de Paris, a França terá outro consulado, assim como Edimburgo (Escócia), que tem papel central nos novos tempos, pós-brexit.

Embaixada em Manama

Por enquanto, por decisão de Bolsonaro, só há plano de nova embaixada no reino do Bahrein, cujos interesses são representados pelo Kwait.

Poder sem Pudor

Eu bebo, sim

Em 1993, o senador Gilberto Miranda (PMDB-AM), grande apreciador e de vinhos e dono de invejável adega, criticava o excessivo poder das estatais quando, em aparte, Esperidião Amin (PP-SC) forneceu mais alguns dados que enriqueceram o pronunciamento. Miranda agradeceu: “Vossa Excelência é como vinho Bordeaux, quanto mais velho, melhor!” Amin respondeu na bucha: “Então vê se me manda logo uma caixa!”

Tratamento especial

Foi uma deferência especial de Bolsonaro, de importante significado nas relações diplomáticas, receber o simpático presidente português Marcelo Rebelo de Sousa em sua casa, o Palácio Alvorada.

Vendedor de ameixas

Quando se viu diante da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o português não perdeu tempo e, segurando-lhe os braços, pediu: “Por favor, libere a importação de ameixas portuguesas!”

Receita presidencial

Ao reencontrar o chanceler Carlos França, com quem esteve há um mês em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa puxou papo sobre dieta e escreveu sua receita para ajudar a perder peso: o suplemento alimentar Fortimel.

Apenas reconhecimento

Chamou atenção, na live de quinta (29), a emoção de Bolsonaro quando se referiu ao general Augusto Heleno, ministro do GSI. O presidente não esquece: foi Heleno quem primeiro acreditou na sua vitória. Ainda hoje chega ao trabalho antes de Bolsonaro e só vai embora depois do chefe.

Cura chega a 98%

Nesta semana o mundo passará dos 200 milhões de casos de covid, mas 98% estão curados. Já são 4,2 milhões de óbitos. Hoje somam 15,2 milhões os casos ativos, com 0,6% (91,6 mil) considerados “graves”.

Escondidinho de filé

Levantamento do Datafolha mostrou que 34% dos brasileiros dizem não ter acesso suficiente a comida, durante a pandemia. Mas não aparece no noticiário. Certamente por ratificar um aspecto cruel do isolamento social.

Siga o dinheiro

Concurseiros identificaram os atrativos do Judiciário como altos salários, múltiplos recessos e férias prolongadas. Segundo o Gran Cursos, três dos cinco concursos mais procurados no 2º trimestre foram do Judiciário.

Tecnologia

Completa 63 anos nesta terça (3) a primeira travessia submersa do Polo Norte realizada pelo USS Nautilus, o primeiro submarino nuclear do mundo, desenvolvido pelos Estados Unidos na década de 1950.

Pensando bem...

...com vacinação em alta e casos e mortes nos menores patamares do ano, a CPI volta do recesso chutando quina de mesa.