Agronegócio

Agronegócio

Presidente disse ainda quem trabalha no agronegócio e agropecuária deve ser valorizado
29/04/2019

Bolsonaro afirma que não quer atrapalhar quem produz no Brasil

Agronegócio

Bolsonaro afirma que não quer atrapalhar quem produz no Brasil

Presidente disse ainda quem trabalha no agronegócio e agropecuária deve ser valorizado

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (29) que, como chefe do Executivo, não quer atrapalhar quem produz no Brasil. “Nós queremos e estamos tirando o Estado do cangote daqueles que produzem, daqueles que investem e dos grandes empreendedores”, disse na abertura da 26ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow), feira do agronegócio que acontece em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. “O agronegócio, a agropecuária, é um dos setores que está dando certo há muito tempo, e nós devemos valorizar quem trabalha nessa área”, ressaltou. Ao lado dos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, Bolsonaro disse que uma das medidas para o setor é “fazer um limpa” no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e colocar pessoas que estejam ao lado daqueles que produzem. “Tem que haver fiscalização sim, mas o homem do campo tem que ter o prazer de receber o fiscal e, num primeiro momento, ser orientado para que ele possa cumprir as leis”, disse. De acordo com o presidente, “em torno de 40% das multas aplicadas no campo serviam para retroalimentar uma fiscalização xiita, que buscava atender apenas nichos que não ajudavam o meio ambiente e muito menos aqueles que produzem”. Segurança jurídica Bolsonaro disse ainda que busca segurança jurídica para o produtor rural, para garantir a propriedade privada e a segurança no campo. De acordo com o presidente, em conversa ontem (28) com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o parlamentar prometeu colocar em pauta um projeto para que o produtor rural possa portar armas de fogo em todo o perímetro de sua propriedade. Outro projeto que deve ser encaminhado pelo Executivo “vai dar o que falar”, segundo Bolsonaro. “É um projeto para fazer com que, ao defender sua propriedade privada ou sua vida, o cidadão do bem entre no excludente de licitude, ou seja, ele responde [um processo], mas não tem punição. É a forma que temos para quem do outro lado, que não teme em desrespeitar a lei, temam vocês, temam o cidadão de bem, e não o contrário”, disse. O presidente disse também que a reforma agrária deve ser feita “sem viés ideológico”, que comece por terras ociosas e que haja acordos de conciliação em áreas judicializadas. Mercado O presidente Jair Bolsonaro confirmou que fará uma viagem à China no segundo semestre, “até para desfazer aquela imagem criada pela imprensa, como se fossemos inimigos dos chineses”. “Eu sou inimigo, sim, de governos que, no passado, faziam negócios estando à frente o viés ideológico. Isso deixou de existir”, afirmou. A China é o principal destino das exportações brasileiras. Índia No âmbito do comércio internacional, a ministra Tereza Cristina anunciou a abertura do mercado indiano para a carne de frango brasileira. Além disso, os produtores rurais terão mais R$ 500 milhões no Plano Safra para a compra de máquinas e equipamentos, totalizando R$ 1,5 bilhão. A Agrishow é a maior feira de tecnologia agropecuária do Brasil e acontece até sexta-feira (3). A expectativa da organização é que mais de 150 mil vistantes de diversos países passem pela feira. Além de palestras e exposições, o evento conta com demonstrações de áreas de plantio, equipamentos e novas tecnologias para o setor. (ABr)
11/04/2019

Aumento de 3,4% na produção de grãos garante safra de 235,3 milhões de toneladas

Agronegócio

Aumento de 3,4% na produção de grãos garante safra de 235,3 milhões de toneladas

Segundo a Conab, essa é a maior safra dos últimos 41 anos

A produção de grãos no Brasil no período 2018/2019 deve alcançar 235,3 milhões de toneladas, após crescimento de 3,4% em relação à safra passada. Os dados são do 7º Levantamento da Safra de Grãos, divulgado nesta quinta (11) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo a companhia, essa é a maior safra dos últimos 41 anos. Soja, milho, arroz e algodão representam 94,5 % da safra produzida no país. Com exceção do arroz, essas culturas contribuíram com a elevação de 2,1% na área de plantação em relação à safra anterior. Também contribuiu para o resultado positivo da safra atual a melhora na produção de milho na segunda safra: é prevista uma colheita de 68,1 milhões de toneladas. A colheita prevista para o milho é de 94 milhões de toneladas, um aumento de 16,5% em relação ao registrado na safra anterior. O algodão em pluma também registrou um bom desempenho, com um aumento de 32% em relação à safra 2017/2018, chegando a 2,6 milhões de toneladas. A Conab aponta retrações nas safras de arroz, feijão, milho na primeira safra e girassol. O arroz registrou queda de 11,7% na área, com uma produção de 10,7 milhões. Já o milho primeira safra perdeu espaço para o feijão, cana-de-açúcar e pastagens, de acordo com o superintendente de Informações do Agronegócios da Conab, Cleverton Santana.
10/04/2019

Bolsonaro participa de jantar com embaixadores de países muçulmanos

Nesta quarta

Bolsonaro participa de jantar com embaixadores de países muçulmanos

Encontro é para fortalecer parcerias comerciais entre agronegócio brasileiro e países do mundo islâmico

O presidente Jair Bolsonaro janta nesta quarta (10) com embaixadores de países muçulmanos, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília. O encontro ocorre após a visita do presidente a Israel, quando anunciou a abertura de um escritório de negócios em Jerusalém, destinado às áreas de ciência, tecnologia, inovação, comércio e economia. A CNA informou que o encontro é para fortalecer as parcerias comerciais entre o agronegócio brasileiro e os países do mundo islâmico. A previsão, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é que 51 embaixadores estejam presentes. No jantar com Bolsonaro e os embaixadores muçulmanos estarão os ministros da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, além do presidente da CNA, João Martins. Tereza Cristina disse que o mercado islâmico, os muçulmanos e os árabes são “grandes compradores de milho, soja, proteína animal”. A ministra afirmou que, durante o jantar com os embaixadores, será dito: “Continuamos aqui, somos grandes fornecedores, queremos continuar essa parceria, essa cooperação comercial. O Brasil continua sendo o melhor parceiro que vocês podem ter. Então, espero que todos esses que confirmaram estejam lá”. (ABr)
13/03/2019

Chanceler discute com a CNA estratégias para ampliar mercado do agronegócio

Agronegócio

Chanceler discute com a CNA estratégias para ampliar mercado do agronegócio

Presidente da CNA destaca a importância do pragmatismo comercial

O ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, recebeu na quarta (13), o presidente da CNA, João Martins, para discutir temas estratégicos com objetivo de ampliar o mercado mundial de produtos brasileiros do agronegócio. Martins destacou, inclusive, a importância de estabelecer relacionamentos bilaterais baseados no pragmatismo comercial. Durante a reunião, o chanceler foi informado do AgroBrazil, programa de intercâmbio que leva adidos agrícolas de embaixadas do mundo todo para conhecer regiões produtivas, e o Diplomatas no Campo, programa de aproximação com o setor agropecuário voltado para os alunos do curso de formação do Instituto Rio Branco. O presidente da CNA também explicou como a Confederação e a Apex-Brasil desenvolvem ações em parceria, como a Rede Agropecuária de Comércio Exterior (Interagro), que capacita produtores e sindicatos rurais em temas relacionados ao comércio internacional. Ao final do encontro no Itamaraty, João Martins afirmou ser fundamental estabelecer parcerias com o Ministério de Relações Exteriores e outras áreas do governo para uma pauta conjunta que traga benefícios a todo o agro. Também participaram da reunião, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa/PB), Mário Borba; o diretor-geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Daniel Carrara, e a Superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra.