Cláudio Humberto
Coluna CH / 20 de junho

Relator defende que o Congresso regule ‘sem tolher’ a inteligência artificial

acessibilidade:
Senador Eduardo Gomes (PL-TO) - Foto: Diário do Poder.

Relator no Senado do projeto que regula a Inteligência Artificial no Brasil, Eduardo Gomes (PL-TO) afirmou em entrevista ao podcast Diário do Poder desta semana que “em [matéria de] IA, o maior risco é não correr riscos” e a nova legislação pretende regular riscos sem prejudicar a capacidade de desenvolvimento. “O mundo vai se movimentar, vai mudar as relações de trabalho, e a gente precisa de ambiente seguro. Não quer dizer que isso deva ser excessivamente regulado”, ponderou o senador.

Veja a entrevista do senador Eduardo Giomes ao podcast do Diário do Poder:

Descomplica

Eduardo Gomes defende que o desenvolvimento da tecnologia não deva ser complicado para as pessoas e para as atividades econômicas.

Detalhes sérios

Entretanto, a legislação deve tratar de assuntos ainda não definidos, segundo Gomes, como direitos autorais e propriedade intelectual.

É mistério?

“Tô procurando big tech para almoçar”, brincou Gomes, que revelou ser difícil achar respostas (e responsáveis) nas empresas de tecnologia.

Além da disputa

“Precisamos definir parâmetros abertos [para a IA], independentes de política, descontaminados dessa bagunça que virou o Brasil”, defendeu.

Vista aérea do Teatro Nacional, localizado na zona central de Brasília Foto: Divulgação/Secec-DF

Governo Lula tentou tomar Teatro Nacional do DF

O governo Lula (PT) tentou impor uma humilhação a Brasília que o governador Ibaneis Rocha (MDB) considerou inaceitável. O caso se deu quando o governo do DF solicitou financiamento para ajudar na reforma do Teatro Nacional, abandonado e fechado desde o governo de Agnelo Queiroz (PT). Mas o financiamento foi condicionado pelos petistas à entrega do Teatro, muito querido e representativo de Brasília, à gestão do governo federal. Ibaneis decidiu fazer a reforma com recursos próprios.

Sala sairá primeiro

O governador contou que já está em andamento a reforma da Sala Martins Pena, do complexo do Teatro Nacional, e fica pronta em 2025.

Hostilidade a Brasília

Ibaneis lamentou a hostilidade do governo Lula ao DF, que o hospeda, e disse que a reforma completa do Teatro Nacional pode durar até 4 anos.

Vingança, eis a questão

Nas eleições de 2022, a maioria dos brasilienses não apenas reelegeu Ibaneis em 1º turno como votou majoritariamente em Jair Bolsonaro (PL).

Poder sem Pudor

A casa não é sua

Discutia-se, em 1988, a inclusão de um artigo na Constituição que afinal não pegou: a limitação das taxas de juros bancários. O deputado e usineiro José Egreja (PTB-SP) era um dos entusiastas dessa limitação, por isso recebeu um telefonema irritado de um banqueiro, velho amigo da família: “Logo você, um industrial, um homem que é da intimidade da minha casa, votar a favor dessa emenda absurda!”. A resposta foi imediata: “Pois é, há 25 anos que eu quero sair de sua casa e não consigo!”

Decorativo e enganado

O chanceler decorativo Mauro Vieira está por fora da política externa de Celso Amorim. Após Lula (PT) apoiar a Rússia na guerra da Ucrânia e os terroristas do Hamas, ele disse na Câmara, nesta quarta (18), que o governo brasileiro “não tem lado nessas guerras”. Não contaram a ele.

Hipocrisia 8.0

Após empunhar a bandeira do MST e fazer pose de pobre, Chico Buarque celebrou o aniversário em seu apartamento na Île Saint-Louis, o metro quadrado mais caro de Paris, onde só vivem multimilionários.

Até Conab ignorada

Presidente da Frente do Agronegócio, o deputado Pedro Lupion (PP-PR) não entendeu a insistência do governo no suspeitíssimo leilão de arroz, “a própria nota técnica da Conab entende que não há essa necessidade”.

Tarja preta preocupa

No começo gerou piadas, na oposição, a megacompra pelo Planalto de remédios tarja preta, mas já virou apreensão. Deputados agora dizem entender por que Lula fez declarações “tão desconectadas da realidade”.

Frase do dia

“Quem manda é o presidente Lula”

Ministro Carlos Fávaro (Agricultura) perguntado sobre a intenção de deixar o governo

Alexandre Pinóquio

Um perplexo senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) foi direto ao ponto: “Nem Pinóquio teria tanta cara de pau assim”, após o ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) dizer que Lula acabou com a gastança.

A régua de Lula

Lula usou um jantar de Tarcísio de Freitas com Roberto Campos Neto e integrantes do setor financeiro para acusar o governador de ingerência no Banco Central. Sob essa régua, Lula põe sob suspeita seus jantares com ministros do STF, autores de decisões favorecendo seu governo

Dedo apontado

Convocado a explicar o suspeitíssimo leilão de arroz, o ex-secretário de Políticas Agrícolas Neri Geller disse que quem decidiu pela compra foram os ministros Carlos Fávaro (Agricultura) e Rui Costa (Casa Civil).

Realidades opostas

O governador Tarcísio de Freitas (Rep) surfa em aprovação, 59,1%, entre eleitores de Cotia (SP), aponta o Paraná Pesquisas (SP-01960/2024). Lula (PT) vive situação oposta: é desaprovado por 50,4%.

Pensando bem...

...brigar com presidente de banco central é como chutar a quina da parede e culpar a casa pelo pé quebrado.