Cláudio Humberto
Coluna CH / 16 de junho

Negócios do filho com arroz complicam situação de Neri Geller

acessibilidade:
Escândalo derrubou secretário do Ministério da Agricultura (Foto: Ag./Câmara)

Na Câmara, é intensa a coleta de assinaturas para ciar a CPI do Arrozão. Até sexta (14), já havia 142 assinaturas apoiando a CPI. São necessárias ao menos 171. Está na mira a GF Business, empresa que Marcelo Geller, filho do agora ex-secretário de Política Agrícola Neri Geller, criou com Robson França, advogado e ex-assessor do pai. França também é dono da Foco, corretora que venceu o leilão bilionário. A ideia da dupla era fazer negócios na área de atuação de Neri Geller, o pai secretário.

Muito estranho

A GF, da dupla, data de 2023, três meses após a Foco, a dos leilões. A Receita Federal atesta que têm idêntica atividade: comércio de cereais.

Mesmo esquema

A relação das empresas é tão visceral, que até o telefone para contato e o endereço eletrônico são rigorosamente os mesmos.

A casa caiu

Dado o escândalo da sociedade, nesta sexta (14) a GF Business teve a situação cadastral baixada na Receita. Ou seja, foi extinta às pressas.

Depoimento explosivo

Revoltado com a demissão, Neri Geller negocia ida à Comissão de Agricultura antes mesmo da CPI. Quer botar a boca no trombone.

Nísia Trindade, ministra da Saúde - Foto: Julia Prado.

Nísia usa jato da FAB até para inaugurar posto

No início do mês, a ministra Nísia Trindade (Saúde) levou uma comitiva de oito pessoas para Juiz de Fora (MG), usando para isso a mordomia de jatinho da Força Aérea Brasileira (FAB), claro. O passeio era para dar uma força, neste ano eleitoral, à prefeita Margarida Salomão (PT), que disputa a reeleição. O pretexto de tudo foi a inauguração de uma unidade básica de saúde. No voo de retorno, a ministra fez gentileza com chapéu alheio oferecendo carona à deputada Ana Pimentel (PT-MG).

E o meio-ambiente?

Com a cabeça a prêmio, a ministra usa a mordomia enquanto é tempo. A viagem a Minas durou menos de 24 horas e saiu muito cara.

Liderança

Na última pesquisa em Juiz de Fora (registro no TSE MG-09439/24), a prefeita petista lidera intenções de voto, mas não será fácil.

Diárias, diárias

A ministra viajou na companhia de três dos assessores da área de imprensa, um segurança e um assessor de “relações parlamentares”.

Poder sem Pudor

Rádios mentirosos

No Vale do Apodi (RN), Lucas Pinto chefiava a campanha de Eduardo Gomes (UDN) à presidência da República. Mas o brigadeiro perdeu e Pedro Fernandes, líder udenista em Mossoró e exportador do algodão que Pinto produzia, chamou o parceiro para uma conversa. “O que houve no Apodi? O brigadeiro não podia perder lá. Não gostei. Agora não sei como ficam os nossos negócios.” Lucas Pinto culpou a última palavra da tecnologia, na época: “Depois que inventaram esses radiozinhos pequenos, que mentem mais do que os grandes, o povo perdeu a cabeça...”

Corrupção, parte III

A obsessão do governo petista de Lula e do seu ministro da Fazenda de inventar novos impostos e aumentar os existentes fez pegar fogo nas redes sociais o meme “Rombo; programado para taxar”.

Guarujá não esquece

Apadrinhados de Lula só teriam “com certeza” 21,4% dos votos de eleitores do Guarujá (SP), onde fica o triplex que ilustrou as relações do presidente com a empreiteira OAS, segundo o Paraná Pesquisas (SP-05806/24). Tarcísio garante os votos de 26,2% e Bolsonaro de 27,6%.

Ministro bomba

Kim Kataguiri (União-SP) ironizou Lula, que chamou o ministro Fernando Haddad (Fazenda) de “ministro da Defesa” ao falar com jornalistas na Itália: “Dá para dizer que está errado? Defende imposto como ninguém”.

Recorde no DF

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), bateu o recorde e realizou a maior nomeação de professores de uma só vez: foram 3.184 novos profissionais contratados para reforçarem a Educação do DF.

Frase do dia

“Quem ousará enfrentar a corrupção?”

Senador Sérgio Moro (União-PR) sobre a perseguição a magistrados da Lava Jato

Lula um, dois e três

Bia Kicis (PL-DF) fez resgate histórico, esta semana, na Câmara, após esforços da oposição para criar a CPI do Arrozão: “Os governos do PT são assim: no 1 é mensalão, no 2 é petrolão e no 3 é arrozão”.

Assim não dá

Para Sanderson (PL-RS), é inadmissível corrupção em torno da compra de arroz pelo governo. “Não estão preocupados com o interesse público, mas apenas enriquecendo às custas do povo brasileiro”, disse.

No Ceará, PDT é PT

O presidente nacional do PDT, deputado André Figueiredo (CE) confirmou aliança com o PT em ao menos cinco municípios cearenses na eleição deste ano, incluindo no Crato, a sexta maior cidade do Estado.

Deu ruim

A bandidagem vitimou o prefeito de Estância Velha (RS), Diego Francisco (PSDB), enquanto ele fazia uma transmissão ao vivo na porta de casa: levaram seu celular. Mas depois foi recuperado.

Pensando bem...

...no Congresso, na prática, 2024 acabou.