Cláudio Humberto
Coluna CH/15 de junho

Brasil reage e aplica um ‘passa-fora’ em Bachelet

acessibilidade:
Governo enviou mensagem direta protestando contra o ativismo e exigindo que Bachelet apresente provas dos dados usados para criticar o Brasil. Foto: Valter Campanato/EBC

O governo brasileiro enviou mensagem direta a Michelle Bachelet, do Comissariado de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, protestando contra seu ativismo contra o Brasil. Na nota, à qual esta coluna teve acesso, o governo se revela “decepcionado” com a socialista chilena e exige que ela apresente provas dos dados usados para criticar o Brasil, dando crédito a fantasias dos militantes brasileiros da sua assessoria e a ONGs inconformadas porque já não têm acesso livre aos cofres públicos.

Atitude política

Bachelet tenta “ajudar” amigos que se opõem a Bolsonaro e seguir ignorando o que se passa no Chile: racismo e perseguição a indígenas.

Que vexame

A chilena foi criticada por haver “amarelado”, em recente visita à China, sem condenar a perseguição aos uigures e minorias muçulmanas.

Que vergonha

Omissa, Bachelet não criticou a ditadura cubana pela violenta repressão contra manifestantes, em 2021. Há dias, 318 foram condenados à prisão.

Claudicância

O embaixador Tovar Silva Nunes, da Delegação do Brasil em Genebra, foi designado a protestar contra Bachelet, mas fez um discurso fraco.

Custo total da comissão de desaparecidos é mistério

O relatório final da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, que chegou ao fim após 26 anos, revela que não é possível calcular o total de gastos da comissão, desde 1995. Segundo a estimativa, foram cerca de R$320 milhões, dos quais R$281,2 milhões foram dedicados apenas ao pagamento de indenizações, mas outras despesas, como passagens e diárias, só têm registro a partir de 2014.

Sem conta

“Não há o registro exato do total de recursos empregados ao longo dos anos nas tarefas”, explica o relatório final da comissão.

Duas décadas

“Infortúnio que não seja possível localizar nomes de todos os servidores e terceirizados que participaram deste colossal esforço”, diz o relatório.

Pelo menos

Há cerca de R$40 milhões em diárias, passagens, eventos, taxas bancárias etc. entre os custos confirmados da comissão.

Poder sem Pudor

A ditadura da poesia

Nomeado interventor do Amazonas por Getúlio Vargas, o poeta Álvaro Maia sempre encontrava tempo para cometer versos. Mas dava duro. Certo dia, o prefeito de Lábrea reclamou do promotor da cidade: “O senhor precisa demitir o homem. Ele bebe muito, dá escândalo. Até já ficou nu na beira do rio. E isso não é nada, há coisa muito pior...” O interventor se interessou: “É mesmo?” O queixoso completou: “Além de todos os vexames, ele ainda é poeta!” O prefeito foi posto pra fora do gabinete e demitido no mesmo instante.

Mico em potencial

Paraná Pesquisa em Santa Catarina revela que a pré-candidata do rico MDB Simone Tebet perde até para Vera Lúcia, do PSTU: 1,6% a 1,4%. O MDB vai levar R$417 milhões do fundo eleitoral, o PSTU, R$3 milhões.

Filhos políticos

Luciana Genro, filha do ex-governador petista Tarso Genro, chamou obrigar a educação financeira nas escolas públicas de “ridículo”. Para Carlos Bolsonaro, filho do presidente, “essa aí é contra ensinar a pescar”.

Foro para a vítima

O ministro do STF Luís Roberto Barroso se sentiu ofendido por fala do ex-senador Magno Malta (PL-ES) e apresentou queixa-crime ao próprio Supremo Tribunal Federal. Mas não existe foro privilegiado de vítima.

Casinha tá longe

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) anda dizendo por aí que vai realizar “reformas nos primeiros seis meses” de governo, caso seja eleito. Falta combinar com o regimento do Congresso e os 594 parlamentares eleitos.

Frase do dia

É como filho sair de casa

Ministro Paulo Guedes (Economia) sobre a privatização da ex-estatal Eletrobras

Tiro no pé alheio

A admissão da ex-presidente impichada Dilma (PT) de que é seu “sonho” implantar o socialismo no Brasil não pegou bem na equipe de campanha do seu chefe, Lula. Nem petista raiz defende esse tipo de maluquice.

Anota para verificar

Supostos “especialistas” em energia rasgaram a máscara e se uniram a pelegos sindicais para insistir que a privatização da Eletrobras não vai baixar o preço das tarifas. Se melhorar a eficiência já estará bom demais.

Disputa acirrada

O governador catarinense Carlos Moisés lidera com 25,4% das intenções de voto, mas terá de enfrentar segundo turno para se reeleger. Segundo o Paraná Pesquisas SC-06333/2022, o adversário fica entre Jorginho Mello (15,5%), Espiridião Amin (12,1%) e Gean Loureiro (10,6%).

Quatro meses

A partir desta quarta-feira (15) faltam 160 dias para o início da Copa do Mundo no Catar. O primeiro jogo da Seleção Brasileira vai ser contra a Sérvia, às 16h, no dia 24 de novembro.

Pensando bem...

...foi inaugurado ontem o foro privilegiado para autoridades ofendidas.

Reportar Erro