Costa fica livre

Zavascki volta atrás e não liberta presos na Operação Lava Jato

Ministro Zavascki reavalia o caso; Paulo Roberto Costa permanece solto

acessibilidade:

Respondendo ao questionamento do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki voltou atrás na sua decisão e manteve preso 11 acusados de participarem do esquema de lavagem de dinheiro desmantelado pela Polícia Federal durante a Operação Lava Jato. Com a decisão do ministro, apenas o ex-diretor da Petrobras,  Paulo Roberto Costa, deve permanecer solto.

Decisão monocrática de Zavaski acatou pedido da defesa do ex-diretor de Petrobras e libertou todos os envolvidos no esquema de lavagem de dinheiro supostamente chefiado pelo doleiro Alberto Youssef. A defesa de Paulo Roberto Costa apontou uma possível ilegalidade nos atos da Lava Jato em razão de o processo não ter sido enviado ao Supremo assim que surgiram os primeiros indícios de envolvimento de parlamentares com foro privilegiado.

Com a decisão, Costa é o único que escapou da prisão. “Em face das razões e fatos destacados nas informações complementares, autorizo, cautelarmente, que se mantenham os atos decisórios, inclusive no que se refere aos decretos de prisão”, disse Teori Zavascki.

Reportar Erro