Mais Lidas

Reforma ministerial

Temer convidou Marun para ser ministro, mas depois recua

Imbassahy continua no cargo 'por enquanto', informa o Planalto

acessibilidade:

Deputado Carlos Marun.

O deputado Carlos Marun (PMDB-MS) foi convidado pelo presidente Michel Temer, em conversa pessoal, e sob o testemunho do líder do PMDB na Câmara, deputado Baleia Rossi (SP), para assumir o cargo de ministro-chefe da Secretaria de Governo, em substituição ao tucano Antonio Imbassahy. Como a notícia vazou antes que ele conversasse com o ministro a ser demitido, Temer recuou para adiar a mudança na Secretaria de Governo. Imbassahy sai, mas falta marcar a data. "Ele fica, mas somente por enquanto", resume um ministro com gabinete no Palácio do Planalto.

A presença de Baleia Rossi na conversa de Temer com Marun decorre do fato de o convidado ter sido indicado pela bancada do PMDB. Marun é destacado integrante da "tropa de choque" de Temer na Câmara e atualmente é o relator da CPMI da JBS. 

O deputado disputava a indicação com o ex-deputado João Henrique (PMDB-PI), que é velho amigo de Michel Temer, mas anda afastado da Câmara há vários anos, o que poderia dificutar o seu trabalho de articulação política. 

A saída de Antonio Imbassahy (PSDB-BA) ocorre após um racha na legenda, onde alguns tucanos defendem a saída do PSDB do governo Temer. O destino de Imbassahy ainda está indefinido, ele pode voltar a Câmara dos Deputados, ou até assumir outra pasta na Esplanada dos Ministérios.

Os tucanos ainda estão a frente de dois ministérios, o das Relações Exteriores e dos Direitos Humanos.