Sai fora, CBF!

Romário quer criar uma Confederação Brasileira de Futebol Feminino

Segundo ele, futebol feminino hoje é o 'patinho feio' da CBF

acessibilidade:

O deputado Romário (PSB-RJ) defendeu nesta quarta-feira (2) a criação de uma confederação para gerir o futebol feminino no Brasil. Segundo ele, o supervisor do Departamento de Futebol Feminino da CBF, Ronaldo Santos, disse que a modalidade é o “patinho feio” da CBF. ?Só uma entidade específica conseguirá alavancar o futebol feminino brasileiro?, justificou o ex-craque. ?O problema é que, infelizmente, o presidente [da CBF] e seu vice enxergam [o futebol feminino] como mais um ganha pão particular para eles, então, eles não darão espaço para que seja criada uma nova confederação?, acusou.

De acordo com o parlamentar, a situação do futebol feminino é tão ruim que não pagam nem a passagem das jogadoras. ?Nem a passagem das jogadoras é paga! Um absurdo!?, afirmou.

Em audiência pública na Comissão de Turismo e Desporto da Câmara, realizada ontem (1º), o secretário nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, Toninho Nascimento, informou que a CBF investe R$ 4 milhões, por ano, no futebol feminino. Mas Romário rebateu dizendo que se trata de um investimento ?pífio?, quando comparado ao masculino. ?Só na série D do campeonato brasileiro, por exemplo, são investidos R$ 40 milhões anualmente?, garantiu.

Romário ainda reclamou do fato de um campeonato brasileiro de futebol feminino, promovido este ano, estar sendo realizado por uma empresa terceirizada da CBF. A competição foi viabilizada por uma parceria do Ministério do Esporte, a Caixa Econômica Federal e a confederação. O patrocínio da Caixa será R$ 10 milhões e a empresa de marketing esportivo SportPromotion,  será responsável pela comercialização campeonato.