Caos no transporte

Rollemberg pede auditoria no transporte do Distrito Federal

O senador classificou como "absurdo" o transporte urbano do DF não ser auditado

acessibilidade:

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) em discurso no Plenário do Senado nesta sexta-feira (25) pediu auditoria no sistema de transporte do Distrito Federal, que classificou como caótico, precário, caro, defasado, sem planejamento e sem transparência. Para Rollemberg, devem ser cobradas explicações ao governador, Agnelo Queiroz (PT) e ao seu secretário de transportes sobre questões como os elevados gastos com a manutenção do metrô, a péssima qualidade dos ônibus, das quais as empresas ainda recebem subsídios e ainda uma solução para a integração do sistema BRT.

O deputado lembrou que somente para a manutenção do metrô em 2011, foram gastos R$ 111 milhões para cuidar de apenas 32 trens que operam nos pouco mais de 40 quilômetros de extensão da rede. ?Se fizermos uma comparação com o metrô do Rio de Janeiro, por exemplo, que tem mais de cem trens e transporta muito mais passageiros, os gastos da manutenção custaram pouco mais de R$ 31 milhões, ou seja, 250% mais baratos do que os custos de manutenção do metrô do Distrito Federal. Como o GDF explica essas contas? Eu gostaria de ouvir o que têm a dizer o governador e o secretário de Transportes?, afirmou Rollemberg.

O parlamentar destacou ainda que não se sabe a quantidade de passageiros transportados nos ônibus diária ou mensalmente no DF, nem o montante arrecadado e o valor das despesas do sistema. Segundo Rollemberg, as informações disponíveis são apenas sobre o gastos com subsídios. ?É um absurdo que o transporte urbano ainda não seja auditado no Distrito Federal. O Governo do Distrito Federal mantém fechada a caixa preta do transporte público. E mesmo depois das manifestações de junho, apenas garantiu que as passagens não vão subir até dezembro. Mas é preciso ter a coragem de mostrar como se organiza o sistema, pois é inaceitável manter um serviço tão caro no orçamento, sem mostrar seus componentes?, ressaltou.