CPI da Petrobras

Reunião vai votar convocação de presidente da estatal

Também serão ouvidos policiais sobre investigações de grampo

acessibilidade:

Começou há pouco a reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras convocada para votar a convocação do presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, e ouvir os depoimentos de três policiais envolvidos nas investigações sobre dois grampos ilegais encontrados nas dependências da Polícia Federal no Paraná – um na cela do doleiro Alberto Youssef e outro no fumódromo usado por agentes e delegados.

Todos os policiais convocados estão amparados por um habeas corpus que lhes garante o direito de não responder às perguntas. São eles os delegados Maurício Moscard Grillo, Rosalvo Ferreira Franco e José Washington Luiz Santos.

Grillo presidiu a investigação interna sobre o grampo achado na cela de Youssef e concluiu que o aparelho era antigo, estava fora de uso e havia sido instalado na época em que a cela era ocupada pelo traficante Fernandinho Beira-mar.

Franco é o superintendente da Polícia Federal no Paraná e Santos é o seu substituto imediato.

Cinco policiais, entre agentes e delegados da PF, já foram interrogados pela CPI a respeito do caso dos grampos, em reuniões secretas. Todos os policiais foram convocados a pedido do deputado Aluisio Mendes (PSDC-MA). 

A CPI convocou também Antonio Carlos Pinto de Azevedo, ex-presidente da Transportadora Gasene. O depoimento, porém, foi adiado a pedido dele, que alegou motivos de saúde.

Presidente da Petrobras
Além dos depoimentos, a CPI vai votar um requerimento de convocação de Aldemir Bendine. O pedido foi assinado por cinco deputados: Luiz Sérgio (PT-RJ), Celso Pansera (PMDB-RJ), Antonio Imbassahy (PSDB-BA), João Carlos Bacelar (PR-BA) e Fernando Monteiro (PP-PE).

Ao justificar o pedido, os parlamentares alegam que a convocação de Bendine é necessária para “esclarecer o estado em que se encontra atualmente a empresa, informar as providências que tomou no sentido de corrigir problemas de gestão com repercussão econômico-financeira e informar o planejamento elaborado para o seu futuro”. (Agência Câmara)

Reportar Erro