Alfinetada

Renan defende escolha de mulher para ser líder do governo no Senado

Presidente do Senado aproveita situação para alfinetar Temer

acessibilidade:

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), defendeu nesta quinta-feira, 19, que uma senadora seja escolhida nova líder do governo na Casa. O peemedebista aproveitou o recado para alfinetar as escolhas do presidente em exercício Michel Temer.

"Se for uma mulher, será bom, como uma resposta do Senado a essa circunstância que vivemos no Brasil", disse Renan.

Temer foi muito criticado pela opinião pública por não incluir entre seus ministros uma mulher. Desde então, o presidente tenta buscar nomes femininos para assumir algumas pastas. Maria Silvia Bastos Marques foi indicada para a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Mas, sem sucesso após cinco negativas de mulheres para o antigo Ministério da Cultura, que foi rebaixado à secretaria, Temer trouxe mais um homem para o seu governo.

No Senado, Renan chegou inclusive a citar nomes para a liderança do governo. Alguns já haviam vindo à público após sondagens do PMDB, como as senadoras Simone Tebet (PMDB-MS) e Ana Amélia (PP-RS). A novidade foi o nome da senadora Lúcia Vânia (PSB-GO).

No entanto, senadores do próprio PMDB alegaram que Simone seria "muito jovem" para a vaga, enquanto Ana Amélia teria uma "relação ruim" com alguns setores do Senado. O ideal é que a líder tenha bom trânsito com todo os blocos partidários. Nos bastidores, Ana Amélia já teria recusado o convite. Com informação da Agência Estado.

Reportar Erro