Caos no Rio

Promotora lança campanha e pede doações para a Polícia Civil do RJ

MP quer arrecadar bens e insumos para delegacias e postos

acessibilidade:

Gláucia Santana, promotora especializada em segurança pública, lançou uma campanha para que a sociedade ajude a Polícia Civil, considerando a necessidade de união entre “cidadãos e instituições”. A atuação do Ministério Público é para arrecadar bens e insumos para delegacias e postos de perícia da Polícia Civil do Rio.

“Trabalhamos diretamente em contato com a corporação para monitorar os itens que estão em falta e são os mais necessários. Pedimos também a doação de itens básicos para os distritos, como papel higiênico e materiais de escritório, para que não parem de funcionar. Estamos pedindo ajuda de outros órgãos, como a Assembleia Legislativa (Alerj) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE). É uma situação delicada e temos de nos unir, cidadãos e instituições, para reverter esse quadro”, avalia Gláucia.

A promotora afirma ainda que a falta de investimento afeta até mesmo ‘a autoestima” dos policiais, que estão nas ruas fazendo hora extra e não têm recebido por isso. “Este é um trabalho que faz enorme falta no policiamento, porque aumenta a sensação de proteção. Esses policiais já têm uma jornada de trabalho muito dura, pesada. Se não recebem, acaba virando um trabalho escravo. Também não podemos deixar que a falta de recursos afete o trabalho da polícia de pacificação (feito pela Polícia Militar), que está em xeque. Ela se expandiu de uma forma planejada, mas esbarrou agora na falta de recursos”. (AE)