Mais Lidas

BNDES na mira da oposição

Agripino diz que parlamentares lutarão por CPI do BNDES no Senado

Segundo Agripino os senadores decidiram que irão se reunir periodicamente para debater temas de interesse nacional

acessibilidade:

O presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), disse que a oposição e senadores independentes da base governista lutarão pela instalação, no Senado, de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ainda segundo Agripino, a oposição continuará recolhendo assinaturas para a instalação da CPI da Petrobras no Senado para depois decidir sobre a apoio a uma CPI ou CPMI (comissão parlamentar mista de inquérito) para investigar os casos de corrupção na Petrobras.

 

“Vamos coletar as 27 assinaturas da CPI da Petrobras no Senado, torná-la fato consumado, decidir se deixamos para a Câmara a CPI da Petrobras e trazemos para o Senado a investigação sobre o BNDES. Vamos discutir o assunto e amadurecer a melhor decisão pela investigação dos fatos”, desatacou José Agripino. Na tarde desta terça-feira (10), representantes de seis partidos – Democratas, PSDB, PSB, PP, PDT e PMDB – participaram de um almoço no gabinete do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) para debater temas de interesse nacional, entre eles a reforma política.

De acordo com Agripino, os senadores que participaram do encontro decidiram que irão se reunir periodicamente para debater temas de interesse nacional, entre eles a apresentação de uma proposta única de reforma política. “Essas reuniões vão ser periódicas. Não são reuniões da oposição, mas sim de todos os partidos que querem tratar de uma pauta de interesse nacional”, esclareceu José Agripino. “Vamos reunir todos os projetos sobre reforma política em um só e apresentar a melhor opção para o país”, acrescentou.

Em relação à presidência e vice-presidência das comissões temáticas da Casa, os senadores defendem o respeito à proporcionalidade. “Queremos que seja cumprido o critério da proporcionalidade, sem vetos à indicação de nenhum parlamentar”, afirmou Agripino.

 

Estiveram presentes almoço os senadores José Agripino (DEM-RN), Aloysio Nunes (PSDB-SP), Waldemir Moka (PMDB-MS), Cristovam Buarque (PDT-DF), Ricardo Ferraço (PMDB-ES), Paulo Bauer (PSDB-SC), Cassio Cunha Lima ( PSDB-PB), Benedito de Lira (PP-AL), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Ana Amélia (PP-RS), Antonio Carlos Valadores (PSB-SE), Lídice da Mata (PSB-BA), João Capiberibe (PSB-AP), Fernando Bezerra (PSB-PE) e Roberto Rocha (PSB-MA).