Mais Lidas

Sem populismo

Prefeito troca show por ambulância e cede imóvel a prefeitura alagoana

Para economizar, Zezeco cedeu imóvel e fez emancipação sem show

acessibilidade:

O prefeito da paradisíaca Barra de São Miguel-AL, José Medeiros Nicolau, o “Zezeco” (PMDB), deu um bom exemplo de zelo pelo dinheiro público, ao decidir priorizar a compra de uma ambulância para atender a população, em vez contratar bandas para a festa de emancipação política do município, na última quarta-feira (2).  Além disso, o prefeito de 28 anos, empresário e milionário, vai economizar cerca de R$ 300 mil, até o final de seu segundo mandato, porque cancelou contratos de aluguel e cedeu um imóvel próprio para abrigar órgãos municipais.

Sufocado pela crise que também afeta os mais de cinco mil municípios brasileiros, e com receita líquida mensal de R$ 2,5 milhões, em 2017, o prefeito da cidade do litoral alagoano segue na contramão da lógica da política partidária, por não se incomodar em desagradar muitos eleitores acostumados às já tradicionais festas de emancipação, com apresentações de atrações musicais de renome nacional, bancadas por os parcos recursos. Sem falar nos proprietários dos imóveis que tiveram contratos de aluguéis suspensos, em pleno momento de crise.

“Tradicionalmente tem um gasto de dinheiro público com festas. E a gente seguiu a linha de prioridades, igual a gente faz na nossa casa, onde se gasta com o que pode se gastar. Tenho agido em cima do que é correto, não do que é populista. O populista agrada temporariamente as pessoas. E talvez possa ser superficialmente o caminho mais fácil, para quem quiser ter visibilidade. Mas as ações corretas duram a vida inteira. E uma ambulância certamente seria mais importante do que um show de uma noite”, disse o prefeito Zezeco, ao Diário do Poder, ressaltando não ser carreirista político e querer contribuir apenas até 2020.

BANCOU REFORMA

Prefeito reformou e cedeu próprio prédio para o município

O prefeito explicou ainda que, por ter sua sede própria muito pequena, funcionando no mesmo lugar desde 1963, a Prefeitura de Barra de São Miguel precisou, ao longo do tempo, alugar diversos imóveis para ampliar os serviços públicos, como almoxarifado, Secretaria de Saúde, etc. Por isso e por causa da crise, o prefeito decidiu ceder um imóvel seu, que não estava sendo utilizado. E, com o objetivo de economizar mais dois aluguéis, ainda fará a primeira reforma do prédio próprio da Prefeitura em 54 anos de fundação, orçada em R$ 500 mil, ainda a espera de caixa para execução.

“O objetivo foi aglutinar o maior número de serviços possíveis em um mesmo local e reduzir, assim, as locações do município. Teremos lá toda a parte de licitação e compras, Procuradoria, Meio Ambiente, Turismo, Administração, gabinetes da administração pública, Controladoria, Contabilidade. E o antigo prédio da Prefeitura terá uma reforma simples, para aglutinar outros serviços que também estavam sendo locados, como a Secretaria de Saúde e Assistência Social. E nesse prédio nosso, fiz as adaptações necessárias que eu mesmo custeei. A Prefeitura não teve nenhum gasto”, detalhou.

Zezeco administra uma cidade turística que tem mais de mil leitos de hotel, população de 7,5 mil habitantes, segundo o Censo de 2010 do IBGE, mas com a peculiaridade de ter esse número flutuando até 60 mil habitantes, nos picos de visitação turística, como no carnaval. “A gente tem que ter uma estrutura administrativa maior do que deveria ter, como na coleta de lixo, controle de trânsito e atendimento à saúde”, exemplifica o prefeito.

A ambulância comprada pelo prefeito custou R$ 67 mil, via licitação, com emplacamento grátis. Além disso, Zezeco relata que a obra de uma escola licitada recentemente ficou mais de R$ 100 mil a menos que o limite previsto pelo Ministério da Educação, assim como a construção de um ginásio e pavimentações. 

Assista ao vídeo em que o prefeito expõe o que tem feito e explica a decisão de não ter festas: 

SEM VANTAGEM

Se alguém desconfia da atitude despretensiosa do jovem gestor milionário, um dado interessante a ser mostrado é o de que a lista de bens declarados apresentada pelo empresário quando ele tinha 23 anos e resolveu ser prefeito, em 2012, registrava patrimônio de R$ 9 milhões e caiu para R$ 5,8 milhões em 2016, quando foi reeleito. Fato que segue uma lógica bem diferente da tradicionalmente imposta à atividade política no Brasil e em Alagoas.

“Todo e qualquer equipamento que for colocado nesse nosso prédio está registrado no patrimônio da Prefeitura e, após os 41 meses, retorna para o município, obviamente”, faz questão de afirmar, ao explicar que o termo de cessão de seu imóvel vai até o final de janeiro de 2021, para que seu sucessor tenha tempo de planejar a transferência dos órgãos após fim de seu mandato.

Zezeco é paulista de Bela Vista-SP e foi reeleito em 2016, gastando R$ 157,7 mil na campanha. Sua primeira eleição foi pelo PP, na campanha que custou R$ 383,8 mil.