Mais Lidas

Operação Tendão de Aquiles

PF indicia irmãos Batista por uso indevido de informação privilegiada

Joesley e Wesley também foram indiciados por manipulação de mercado

acessibilidade:

Os irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F, foram indiciados nesta quinta-feira, 21, pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Tendão de Aquiles, sob a alegação que eles "utilizaram-se das informações relevantes que detinham (conteúdo da colaboração premiada) para realizar operações no mercado de capitais e auferir vantagens". A especulação resultou em lucros milionários para os delatores, afirma a PF. Os dois estão presos na sede da PF em São Paulo.

Joesley foi indiciado pela prática contínua de manipulação de mercado e uso indevido de informação privilegiada. Wesley foi indiciado por uso indevido de informação privilegiada agravada por abuso de poder.

A JBS fez operações no mercado de câmbio e ações entre abril e 17 maio de 2017, data de divulgação de informações relacionadas ao acordo de colaboração premiada firmado entre executivos da J&F e a Procuradoria Geral da República (PGR). No dia seguinte à divulgação, o dólar disparou 8%.

Wesley foi preso em 13 de setembro, em sua casa, em São Paulo. Joesley já estava preso por ordem do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, por suspeita de violação de sua delação premiada. Contra Joesley há duas ordens de prisão, a da Corte máxima e a da Tendão de Aquiles.

Reportar Erro