Mais Lidas

No Congresso

PF faz varredura no gabinete da deputada Simone Morgado

Alvo era uma servidora da Câmara que não foi encontrada

acessibilidade:

A Polícia Federal fez uma varredura no gabinete 440 da Câmara dos Deputados na manhã desta quinta-feira (26). O espaço é ocupado pela deputada Simone Morgado (PMDB/PA), mulher do senador Jader Barbalho (PMDB-PA). A ação faz parte da Operação História de Pescador.

Os policiais apresentaram o documento de autorização e ficaram cerca de cinco minutos no local. Nada do gabinete foi apreendido.

O alvo da PF era a servidora da Câmara Soane Castro de Moura. Havia um mandado de busca e apreensão contra ela, mas os policiais não a encontraram.

Em 10 de maio do ano passado, Soane foi exonerada do cargo em comissão de Coordenador, da Coordenação de Pesca e Aquicultura, da Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Pará. No dia 17 do mesmo mês foi nomeada para exercer, na Comissão de Finanças e Tributação, da Coordenação de Comissões Permanentes, do Departamento de Comissões, da Câmara dos Deputados, o cargo em comissão de assessor técnico.

Esquema de estelionato

A operação da PF de hoje foi deflagrada para apurar a articulação de uma organização criminosa envolvida em supostas ações de estelionato na Superintendência da Pesca do Pará, órgão que, à época dos fatos, era vinculado ao extinto Ministério da Pesca e Agricultura.

Nesta etapa, foram cumpridos 7 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de condução coercitiva, expedidos pela 4.° da Vara da Seção Judiciária Federal em Belém.

Esta segunda fase da operação é decorrente da continuação das investigações e baseou-se no Relatório de demandas Especiais da Controladoria Geral da União (CGU). Ele foi apresentado após conclusão de auditoria iniciada depois da execução da primeira fase da Operação História de Pescador, em 18 de maio de 2016.

A primeira fase da investigação apontou que, em apenas um mês, aproximadamente cinco pessoas, em tese sem vínculo no órgão, teriam efetuado quase 5.100 inclusões de cadastro de pescadores no sistema informatizado do Ministério da Pesca e Agricultura, número considerado elevado para a rotina da administração pública.

Naquela ocasião os números indicavam que grande parcela desses cadastrados não possuíam a qualificação necessária para obter o seguro defeso e estimava-se que a fraude teria movimentado cerca de R$ 10 milhões.

Defesa

De acordo com a chefia de gabinete da deputada Simone Morgado, a varredura não envolve nenhum tipo de questão da parlamentar, mas sim contra a servidora da Câmara.

Reportar Erro