Insegurança pública

PF deu bobeira e assaltantes levam 500 armas de empresa de vigilância desativada

O arsenal em um prédio abandonado era protegido só por um vigia

acessibilidade:
capital seguranc?a

A Polícia Federal sabia que estava desativada desde março, com grande estoque de armas e vigilância insuficiente, a empresa Capital Serviços de Vigilância e Segurança, com sede no Cambuci, na Zona Sul de São Paulo (foto acima), que foi invadida domingo passado (15) por criminosos, que levaram 500 armas calibre 38, uma pistola, munição e coletes à prova de bala.


A PF tem a obrigação legal de autorizar e fiscalizar o funcionamento de empresas de segurança no País. O arsenal e o prédio da empresa eram guardados por um vigia, que, no momento do assalto, havia saído para ir ao médico.
A Polícia Federal informou haver apurado que, em fevereiro, a empresa não cumpria mais as “exigências mínimas” para funcionar, mas, apesar disso, somente em junho abriu um processo para cancelar a autorização de funcionamento e notificou os donos em agosto. O crime organizado descobriu que a empresa estava fechada e a invadiu, aumentando consideravelmente seu poder de fogo, no mundo do crime.
Segundo vizinhos, a empresa estava fechada desde março, mas as armas ainda permaneciam no local. A Polícia Federal abriu processo para apurar o caso. A Capital Serviços de Vigilância e Segurança, localizada numa rua residencial e com pouco comércio, vinha funcionando de forma precária por causa de dificuldades financeiras. Um vídeo divulgado na internet mostra um protesto de funcionários em maio de 2012. Os vigilantes reclamavam do atraso no pagamento de salários.