Mais Lidas

Sanção democrática

Peru quer suspender Venezuela da OEA com base na Carta Demorcrática

Presidente Pedro Kuczynski fará o pedido em reunião na Colômbia

acessibilidade:

Presidente Pedro Pablo KuczynskiLima (AE) – O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, afirmou nesta quinta-feira que fará um pedido para que a Venezuela seja suspensa da Organização dos Estados Americanos (OEA). Kuczynski disse que fará o pedido na Colômbia, durante a Cúpula Ibero-americana, para que seja ativada a Carta Democrática Interamericana contra a Venezuela.

A Carta contempla a possibilidade de se expulsar países da entidade quando estes não cumprem com certos parâmetros de governabilidade. Kuczynski disse que o documento deve ser ativado e deve ser preparada uma operação de ajuda humanitária para a Venezuela, "porque há problemas de alimentação e remédios".

O secretário-geral da OEA, Luis Almagro, propôs a utilização da mesma medida em maio, quando convocou uma sessão extraordinária para apresentar um informe especial sobre a crise venezuelana. Os países-membros decidiram então fazer uma "avaliação coletiva" do assunto, mas até agora não houve decisão.

A Carta Democrática Interamericana foi aprovada em Lima durante uma sessão especial da OEA. O documento foi aplicado na Venezuela em 2002, após o golpe de alguns dias contra o presidente Hugo Chávez, e posteriormente em Honduras, quando se condenou o golpe de Estado contra o presidente Manuel Zelaya em 2009.

A Cúpula Ibero-americana se realizará na cidade colombiana de Cartagena.