Mais Lidas

Nosso '11 de setembro'

Para Felipão, comandante dos humilhados, derrota é 'aprendizado'

Inerte como Fred, símbolo do time, Felipão fala em aprender com os erros

acessibilidade:

O que fazer depois de um vexame como o desta terça-feira, quando o Brasil levou 7 a 1 da Alemanha, em pleno Mineirão, em uma semifinal de Copa do Mundo? Começar tudo do zero? Não para Felipão. Após a partida, o treinador lembrou que a mesma geração que deu vexame em casa deverá estar em campo no próximo Mundial, na Rússia.

“Essa equipe que está aí, provavelmente 12, 13, 14 jogadores vão estar no Mundial de 2018. É um caminho que está sendo feito”, garantiu o treinador, que só convocou para esta Copa seis jogadores com experiência em Mundiais: Julio Cesar, Maicon, Daniel Alves, Thiago Silva, Ramires e Fred.

Para alguns dos jogadores dessa seleção, a Copa em casa provavelmente foi a última das suas carreiras, casos de Julio Cesar (34 anos), Daniel Alves (31), Maicon (32) e Fred (30), além dos reservas Victor (31), Jefferson (31), Dante (30) e Maxwell (32).

Os demais, todos, têm menos de 30 anos, incluindo aí alguns dos principais jogadores do Brasil no momento: David Luiz e Thiago Silva (dupla de zaga mais cara do mundo), Neymar (candidato a ser o melhor do mundo em breve) e jovens em ascensão como Oscar (22), Bernard (21) e Willian (25).

Felipão ainda lembrou que a seleção alemã, finalista da Copa, tem um grupo que está se preparando há cerca de seis anos para chegar ao nível atual. A Alemanha, porém, começou a reestruturar seu futebol, a começar pela base, após perder para o Brasil em 2002.