Mensaleiro fugitivo

Oposição italiana cobra explicações sobre caso Pizzolato

O ex-diretor do BB foi condenado a 12 anos e 7 meses de cadeia pelo Supremo Tribunal Federal

acessibilidade:

A oposição italiana está pressionando o premiê Enrico Letta para se pronunciar sobre o caso de Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil que fugiu para o país após ter sido condenado no Brasil por fazer parte da quadrilha do mensalão.

Ao todo, são oito deputados do Movimento Cinco Estrelas que assinaram um documento questionando o primeiro-ministro italiano sobre a permanência de Pizzolato no pais. Eles querem saber onde, de fato, o mensaleiro se encontra. O caso tem ganhado força na Itália só agora porque antes o parlamento se preocupava com a cassação do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

No requerimento enviado a Letta, a oposição italiana diz que o mensalão foi um “episódio relevante de corrupção política e econômica no Brasil?. Além disso, os parlamentares citam a carta em que o mensaleiro afirma que buscaria novo julgamento na Itália. O governo tem até 20 dias para responder por escrito.

Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses de cadeia pelo Supremo Tribunal Federal.