Tragédia em Mariana

MPF questiona valores gastos em propaganda da Samarco

Órgão quer cópia do contrato e nome da agência responsável

acessibilidade:

O Ministério Público Federal em Minas Gerais (MPF-MG) quer saber quanto a Samarco gastou em uma campanha publicitária em diversos veículos de comunicação. O órgão encaminhou um ofício com questionamentos à empresa na última quinta-feira, 18.

A procuradoria pede o nome da agência responsável pela campanha, os valores gastos e a cópia do contrato. A Samarco, mineradora responsável pela barragem que se rompeu em Mariana, na região central de Minas Gerais, em novembro do ano passado, controlada pela Vale e BHP Billiton, tem prazo de cinco dias para atender os pedidos.

Nas propagandas, com a afirmação "É sempre bom olhar para todos os lados", a Samarco mostra relatos de funcionários e moradores de regiões atingidas sobre as ações da empresa após o desastre.

O MPF estranhou a Samarco alegar dificuldades financeiras e ao mesmo tempo bancar uma campanha publicitária do porte e em horário nobre.

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) também abriu um processo para investigar a veracidade das informações das propagandas da Samarco veiculadas em canais de televisão.

A assessoria da Samarco, por meio de nota, informou que até a tarde desta sexta-feira não havia recebido o ofício do MPF e que também não foi notificada pelo Conar.

Reportar Erro