Operação Paiva Luz

MPF denuncia nove traficantes internacionais por homicídio de policial federal

Atuação da quadrilha foi interrompida em abril de 2014

acessibilidade:

O Ministério Público Federal denunciou nove integrantes de uma organização criminosa pela morte de um policial federal e tentativa de homicídio de um segundo agente durante um tiroteio em setembro de 2013. O grupo foi surpreendido pela PF quando trazia drogas do exterior, em uma pista de pouso clandestina na zona rural de Bocaina, no interior de São Paulo. A atuação da quadrilha, que incluía tráfico internacional de armas, foi interrompida em abril de 2014, após a deflagração da Operação Paiva Luz da Polícia Federal.
 
Dos nove denunciados, oito já estão presos em decorrência de outros processos. Eles foram sentenciados por integrarem a organização criminosa armada e pelos crimes de tráfico internacional de drogas e porte de armas e munições de uso restrito. Um dos réus, de nacionalidade paraguaia, está foragido e teve seu mandado de prisão incluído no Canal de Difusão Vermelha da Interpol.
 
ORGANIZAÇÃO. A atuação do grupo se dividia em três células principais. Alguns integrantes eram responsáveis por fornecer as drogas e armas de fogo e trazê-las do Paraguai para o Brasil, em geral de avião. Um segundo núcleo era formado pelos criminosos que adquiriam e revendiam os entorpecentes. A organização contava ainda com pessoas fortemente armadas que ofereciam segurança à ação criminosa, especialmente ao transporte aéreo e recepção dos materiais ilícitos.
 
Ao todo, 16 integrantes da quadrilha foram identificados durante as investigações e denunciados por estes crimes. Quatorze já foram condenados e 13 estão presos. As penas aplicadas variam de 19 anos e dois meses de reclusão a cinco anos e seis meses de reclusão, em regime inicial fechado. Já a denúncia por homicídio e tentativa de homicídio dos policiais federais abrange apenas os nove criminosos que participaram na ação em Bocaina. 
 

Reportar Erro