Mais Lidas

Preso por lavagem

Ministro Dias Toffoli concede prisão domiciliar a Paulo Maluf

Deputado cumpre pena de mais de 7 anos por lavagem de dinheiro

acessibilidade:

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli concedeu nesta quarta-feira, 28, prisão domiciliar de caráter humanitário ao deputado Paulo Maluf (PP-SP), preso desde o dia 20 de dezembro na ala de idosos do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Nesta madrugada, Maluf, de 86 anos, passou mal e foi levado a um hospital particular em Brasília. A defesa do parlamentar alega saúde frágil e apresentou um pedido de liberdade ou prisão domiciliar ao STF.

Pessoas ligadas à família comentaram que Maluf teve uma “crise pânico”, após receber a notícia de que um novo pedido de habeas corpus não seria analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) antes da Páscoa.

O deputado federal foi condenado a 7 anos, 9 meses e 10 dias por lavagem de dinheiro quando era prefeito de São Paulo (1993-1996). No dia 19 de dezembro do ano passado, o ministro Edson Fachin ordenou a execução da pena em regime fechado.

No despacho, o ministro Dias Toffoli destacou que documentos apresentados pela defesa de Maluf demonstram que o deputado, que hoje tem 86 anos, "passa por graves problemas relacionados à sua saúde no cárcere, em face de inúmeras e graves patologias que o afligem".

"Aliás, a notícia divulgada na manhã desta quarta-feira, em respeitados veículos de comunicação da imprensa brasileira, de que ele foi internado as pressas em hospital no fim da noite passada, por complicações no seu estado de saúde, corroboram os argumentos trazidos à colação pela defesa, bem como reforçam, pelo menos neste juízo de cognição sumária, a demonstração satisfatória, considerando os documentos que instruem este feito, da situação extraordinária autorizadora da sua prisão domiciliar humanitária", escreveu o ministro.

Vídeos Relacionados