Corrupção

Ministro de Lula e Dilma, Berzoini cobrou propina de empreiteira

Ele era presidente do PT quando exigiu 1% de todos os contratos

acessibilidade:

Quando era presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Ricardo Berzoini, ex-ministro dos governos Lula e Dilma, cobrou propina de 1% ao partido “em todo e qualquer contrato” da empreiteira Andrade Gutierrez com o governo federal. A revelação foi do ex-executivo da empreiteira Flávio Gomes Machado Filho, também delator da Operação Lava Jato, em depoimento ao juiz Sérgio Moro, nesta segunda-feira. A cobrança da propina, segundo ele, ocorreu durante uma reunião na sede da empreiteira em São Paulo, em 2008.

Flávio detalhou o encontro: "(…) participaram pela Andrade, Otávio e eu; pelo Partido dos Trabalhadores, o presidente Berzoini, o João Vaccari e o Paulo Ferreira [tesoureiro do PT na ocasião]. Nesta reunião, o presidente do PT, à época, Ricardo Berzoini, fez essa colocação que gostaria que todo e qualquer contrato da Andrade Gutierrez junto ao governo federal tivesse o pagamento de vantagens indevidas no valor de 1%. Isso foi uma conversa entre eles, nós outros três ficamos praticamente calados, foi uma conversa muito desagradável".

O ex-executivo responde pelos crimes de organização criminosa, corrupção ativa e lavagem de capitais. Em depoimento à Justiça Federal do Rio de Janeiro, o ex-presidente da empreiteira Otávio Marques Azevedo conformou a história, afirmando também que o PT exigiu propina para a construção de uma siderúrgica na Venezuela.

O pagamento de propinas começou ainda em 2008. Azevedo confirmou ter sido avisado pelo então presidente do PT, Ricardo Berzoini, que foi ministro-chefe da Secretaria de Governo de Dilma Rousseff, que a construtora deveria pagar 1% de propina sobre todos os contratos com o governo federal, e não só nos negócios com a Petrobras.