Mais Lidas

Prêmio Camões

Ministro da Cultura reage aos gritos de 'Fora Temer' em premiação

Ao receber Prêmio Camões, Raduan Nassar fez duras críticas ao governo

acessibilidade:

O escritor Raduan Nassar fez um discurso explosivo e anti-governo ao receber o Prêmio Camões na manhã desta sexta-feira, 17, em São Paulo. “Não podia ficar calado”, disse.

Raduan também chamou o ministro da Cultura, Roberto Freire, de "ministro do governo em exercício". Normalmente recluso, o escritor, aproveitou o momento para comparar as recentes decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) com o passado da ditadura militar e definiu o impeachment de Dilma Rousseff como "golpe consumado".

"O Supremo nada fez para impedir que Eduardo Cunha instaurasse o processo de impeachment que derrubou a presidente Dilma, mulher digna. Foi um golpe", disse o escritor, que, ovacionado, foi aclamado também com gritos de "Fora, Temer", vindos de uma plateia formada, em sua maioria, por editores, escritores e representantes do mercado editorial. Ele também criticou a indicação de Alexandre de Moraes para o STF e a provoção de Moreira Franco a ministro, medida ratificada pela Corte.

Após o discurso de Raduan, Freire se exaltou e bateu-boca com a plateia. Ele disse, então, que "estamos vivendo um momento democrático e que é muito diferente do período de ditadura". Após ser vaiado e contestado por parte do público que lotou o pátio do Museu Lasar Segall, em São Paulo, o ministro criticou os manifestantes dizendo que "é fácil fazer manifestação num governo como este, democrático" e insinuou que Raduan deveria devolver o prêmio oferecido pelo governo.

Freire disse ainda que só os mais velhos realmente sabem o que foi viver durante o regime militar. "Que os jovens critiquem hoje, não há perplexidade, mas quem dá prêmio ao adversário não é representante da ditadura." "É fácil fazer crítica durante um regime democrático", continuou.

O Camões é concedido pelos governos do Brasil e de Portugal, e foi oferecido a Raduan em maio, ainda durante o mandato de Dilma. Em nota, o MinC acusou o PT de organizar o ataque contra o ministro.

“O Ministério da Cultura (MinC) lamenta, mais uma vez, a prática do Partido dos Trabalhadores em aparelhar órgãos públicos e organizar ataques para tentar desestabilizar o processo democrático. Durante a cerimônia de entrega do Prêmio Camões de Literatura, em São Paulo, o ministro da Cultura, Roberto Freire, teve sua fala interrompida por manifestantes partidários, sinal de desrespeito à premiação oficial dos governos de Brasil e Portugal”.

Vídeos Relacionados