Mais Lidas

Violência

Militantes agridem jornalistas no sindicato onde Lula está em São Bernardo

Repórteres da 'CBN' e do 'Estadão' foram insultados por petistas

acessibilidade:

Um grupo de militantes cercou e insultou o repórter Pedro Duran, da rádio CBN no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde o ex-presidente Lula está desde quinta-feira, 5, quando teve ordem de prisão expedida pelo juiz Sérgio Moro. Grades foram atiradas contra o jornalista, que teve que ser protegido pelo deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP) e seus seguranças. Duran foi colocado num elevador para se refugiar. Um repórter do jornal Estado de S. Paulo também foi agredido por um apoiador de Lula enquanto apurava informações.

Os líderes da CUT e do MTST, Vagner Freitas e Guilherme Boulos, tentaram acalmar os manifestantes, mas o clima é pesado no local. Um grupo de jornalistas está cercado na área da agressão e não consegue sair, de acordo com o Estadão.

O repórter chegou com identificação de imprensa da CBN pela porta do estacionamento. Estava rodeado de vários outros jornalistas sem identificação. A multidão começou a gritar palavras de ordem contra a Rede Globo e se deslocou atrás do repórter.

Zarattini conseguiu se colocar no meio antes que eles chegassem ao repórter. Houve empurra-empurra e ele foi levado até a parte de acesso restrito. Seguranças dizem que o removeram do predio.

As agressões a jornalistas têm sido recorrentes nas manifestações contra a prisão de Lula. Houve registros em São Bernardo e em Brasília. Um carro do Correio Braziliense foi apedrejado na capital federal e um fotógrago do Estado foi atingido por ovos na cidade do ABC paulista.