adversários fracos

Mesmo após derrota para Argentina, Bósnia acredita em classificação

acessibilidade:

A estreante Bósnia ficou ainda mais ansiosa pelos dois compromissos restantes do grupo F da Copa do Mundo, contra Nigéria e Irã, quando viu os adversários se enfrentarem. A partida entre africanos e asiáticos em Curitiba terminou empatada sem gols em uma atuação fraca e suficiente para fazer a seleção bósnia esperançosa para obter a vaga na segunda fase junto com a Argentina, a grande favorita.

Na terça-feira, o técnico Safet Susic disse que está otimista em conquistar um bom resultado no jogo do próximo sábado contra a Nigéria, em Cuiabá, quando deverá ter duas mudanças no time, com as entradas do meia Salihovic e do atacante Ibisevic. O comandante bósnio ressaltou que não há o que temer, principalmente porque a equipe fez um jogo muito bom na derrota por 2 a 1 para a Argentina, no Maracanã.

Susic afirmou que a comissão técnica assistiu atentamente ao jogo e já identificou os pontos mais perigosos da Nigéria. “Mikel é a principal parte do time, que é muito forte no meio, joga com três atacantes e tem um goleiro (Enyeama) excelente”, comentou.

A partida é encarada como uma decisão pela Bósnia. A comissão técnica resolveu dar folga para os titulares nesta terça-feira e na quarta começa a preparação específica para o confronto com os nigerianos. A equipe viaja para Cuiabá na quinta e está confiante que já conquistou o apoio da torcida no Brasil. “A torcida nos recebeu muito bem, gosta do nosso grupo e parece gostar do nosso estilo de jogo mesmo sendo apenas a nossa primeira Copa”, disse. AE

Reportar Erro