Vazamento seletivo

Justiça não aceita denúncia, mas MPF continua atrás da família de Neymar

Desta vez, suspeita do MPF é a mudança de endereço de empresa

acessibilidade:

O juiz Mateus Castelo Branco, da 5.ª Vara Federal de Santos, rejeitou a denúncia contra Neymar e sua família, mas o Ministério Público Federal (MPF) continua no encalço dos negócios supostamente irregulares do jogador. O pai de Neymar chegou a afirmar que o procurador do caso buscava apenas os holofotes.

O MPF anuniciou que vai recorrer da decisão. Agora desconfia de que o pai do jogador Neymar mudou o endereço da sede da N&N Consultoria Esportiva e Empresarial para tentar demonstrar que a empresa não era de fachada.

Empresas da família chegaram a ser consideradas "fantasmas", apesar de a titularidade ser do pai e da mãe do Neymar. Eles explicaram que isso foi feito quando o jogador tinha apenas 12 anos de idade e, na ocasião, nem poderia ter carteira assinada nem tampouco ser sócio de empresa. Aliás, a constituição das empresas há tantos anos também explica o fato de o endereço haver caducado. Mas isso não foi suficiente para o MPF cessar ointeresse de "pegar" Neynar & cia.

A alteração do endereço foi feita dois dias depois de o MPF ter anunciado a instauração de um procedimento investigatório criminal contra empresas da família de Neymar.

Documentos da Junta Comercial atestam que a N&N Consultoria Esportiva, que antes estava instalada em um imóvel em São Vicente (SP), foi transferida no dia 31 de janeiro de 2014 para um prédio comercial em uma das principais avenidas de Santos (SP), onde já funcionava a N&N Administração de Bens, outra empresa da família.

O anúncio do início das investigações do MPF ocorreu no dia 29 de janeiro de 2014 e duraram dois anos, culminando, no último dia 27 de janeiro, com denúncia à Justiça por sonegação de impostos e falsidade ideológica contra Neymar, o seu pai, Sandro Rosell (ex-presidente do Barcelona) e Josep Bartomeu (atual dirigente do clube espanhol).

O advogado das empresas da família de Neymar, Gustavo Xisto, afirmou que a mudança de endereço ter ocorrido dois dias depois de o MPF anunciar o início das investigações foi uma “coincidência”. "A transferência de endereço já estava nos planos da empresa”, garantiu.

Reportar Erro