Mais Lidas

ATAQUE EM GOIÂNIA

Justiça manda internar adolescente que matou dois em escola goiana

Adolescente homicida ficará em isolamento até ser julgado

acessibilidade:

O adolescente autor do ataque que usou uma arma para matar dois estudantes e ferir quatro em uma escola de Goiânia-GO teve a internação provisória por 45 dias determinada pela Justiça de Goiás, na noite desse sábado (21). O atirador ficaria isolado no Centro de Internação Provisória de Goiânia, mas o destino dele é incerto devido à falta de um local adequado para esse isolamento.

Além de pedir a internação do adolescente, o Ministério Público também solicitou que ele fosse separado dos demais internos, já que é filho de militares. A audiência de apresentação do adolescente à Vara da Infância e Juventude deve ocorrer na segunda-feira (23). Ele deve responder por duplo homicídio e quatro tentativas.

Internação em isolamento é provisória (Foto: Reprodução)A advogada da família, Rosangela Magalhães, disse que a decisão já era esperada e destacou que a maior preocupação é com a integridade do adolescente. “Além da repercussão do caso, por ser filho de militares, ele corre risco, este é o ponto que mais nos preocupa e vamos levar isso para a juíza, a necessidade de um local seguro que garanta sua integridade”, afirmou Rosangela.

Na manhã de sexta-feira (20), o adolescente de 14 anos, filho de policiai militares, abriu fogo contra colegas em sala de aula, matando João Vitor Gomes e João Pedro Calembo, ambos de 13 anos. De acordo com as investigações, ele agiu motivado por bullying e disse ter se inspirado nos casos de Columbine, nos Estados Unidos, e Realengo, no Rio de Janeiro, em que atiradores também abriram fogo dentro de escolas.

FERIDOS

Na manhã deste domingo (22), o estudante Hyago Marques, de 13 anos, que estava internado após ser baleado pelo colega de classe do Colegío Goyazes, recebeu alta.

Até ontem, Isadora de Morais, uma das meninas atingidas, estava em estado grave, com os dois pulmões perfurados e respirando com ajuda de aparelhos. A pedido das famílias, as informações sobre o estado de saúde dela e de Marcela Rocha Macedo, outra menina ferida, não serão mais divulgadas pelo hospital. Uma quarta vítima, Lara Fleury Borges, se recupera bem no Hospital de Acidentados. Ela sofreu um tiro no punho. (Com informações da ABR)

Reportar Erro