Assalto autorizado

Juros do cartão de créditos passam de 350% e ninguém é preso

Nem MPF reage ao crime de usura dos cartões a juros de 350%

acessibilidade:

A taxa de juros média geral para pessoas físicas bateu recorde ao subir do mês de julho para agosto, quando atingiu 350,79% ao ano, segundo pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Esse percentual é o maior de todo o planeta.

Das seis linhas de crédito pesquisadas, como cheque especial e cartão de crédito rotativo, todas ficaram mais caras. No caso do cartão de crédito, houve uma elevação de 2,61%. Com isso, a taxa subiu de 13,03% ao mês (334,84% ao ano) em julho para 13,37% ao mês (350,79% ao ano) em agosto.

A taxa deste mês é a maior desde março de 1999, quando chegou a 13,45% ao mês ou 354,63% ao ano. Apesar disso, as administradoras de cartão de crédito seguem protegidas pelo banco central e pela omissão de órgãos como Ministério Público Federal, apesar da evidência de crime de usura.

As administradoras sempre atribuem os juros extorsivos à "alta inadimplência" dos seus clientes, mas jamais apresentam dados e levantamentos confiáveis, nem auditados, que corroborem essa afirmação. Essas empresas cobram por mês o percentual da taxa Selic fixada para todo o ano.

 

Reportar Erro