Operação Átrio

Paulo Octavio está em sala da PM a pedido da OAB, por ser advogado

Ainda não há explicações sobre o motivo da prisão ocorrida pelas 20h

acessibilidade:

Preso na noite desta segunda-feira (2), o empresário e ex-vice-governador do Distrito Federal Paulo Octavio (PP) foi transferido na madrugada desta terça-feira (3) para a sala do Estado-Maior do 1º Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, a pedido da Ordem dos Advogados do Brasil. É prerrogativa dos advogados a prisão nessas circunstâncias.  A informação é do delegado Jorge Luiz Xavier, diretor-geral da Polícia Civil. Ele contou que num primeiro momento o ex-vice-governador foi levado à carceragem.

Ele foi preso pelas 20h, quando deixava seu escritório localizado no Hotel Metropolitan Flat, no Setor Hoteleiro Sul, em Brasília, acusado de “desrespeito à ordem jurídica”, no processo de suposto esquema de corrupção para concessão de alvarás de construção. A defesa ingressou com pedido de habeas corpus durante a madrugada, muito embora não saiba exatamente o que significa “desrespeito à ordem jurídica”.

A Polícia Civil do Distrito Federal cumpriu mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª Vara Criminal de Taguatinga, cujo titular é o juiz Wagner Antonio de Souza. Ele foi levado para a Divisão especial Especial de Repressão ao Crime Organizado (Deco), no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA).

A prisão decorre das investigações no âmbito da Operação Atrio, da Polícia Civil, que em 2013 desbaratou um suposto esquema de agilização de alvarás para construções em Águas Claras e Taguatinga.

Reportar Erro