Mais Lidas

TALENTO E GENEROSIDADE

Jornalismo perde o mestre Vladimir Calheiros, em Alagoas

Vencedor de prêmios Esso, Vladimir Calheiros deixa imprensa órfã

acessibilidade:

O Jornalismo de Alagoas e do Brasil ficou órfão do talento e da generosidade do jornalista Vladimir Calheiros, que faleceu aos 82 anos de idade nesta quarta-feira (9). Chamado apropriadamente de mestre por toda a imprensa alagoana, Vladimir está sendo velado no Campo Santo Parque das Flores, onde seu corpo será sepultado às 11h da manhã desta quinta-feira (10).

Mesmo com saúde já fragilizada pelo avançar da idade e pela luta contra um câncer, Vladimir Calheiros mantinha sua lucidez, atuando como diretor adjunto de Comunicação do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), onde costumava atender jornalistas com sua gentileza e senso de humor típicos, sempre disposto a traduzir decisões judiciais com precisão, nas sessões do Pleno, para os colegas de redação e de sua equipe.

A Presidência do TJAL destacou a contribuição do jornalista que, em mais de meio século de carreira, dedicou cerca de 18 anos à comunicação do Tribunal. Vladimir Calheiros foi responsável pela ampliação e estruturação da comunicação do Judiciário de Alagoas. “Nós perdemos um grande colaborador que contribuiu muito para a divulgação do trabalho realizado pela Justiça”, disse o presidente Otávio Praxedes.

Vladimir resistiu no Jornalismo por meio século (Foto: Itawi Albuquerque)Além de grande figura humana, Vladimir Calheiros foi um dos melhores textos da imprensa alagoana de todos os tempos, tendo passado por grandes jornais, como Gazeta de Alagoas, Tribuna de Alagoas e Jornal do Commercio, do Recife (PE).  Tanto que, por duas vezes, foi vencedor do prêmio Esso, o mais importante do Jornalismo brasileiro. 

O mestre Vladimir chegou a ser editor da redação do Jornal do Commercio, onde publicou uma edição histórica sobre a invasão de Praga pelas tropas da União Soviética. 

Mesmo feita em uma cidade distante de um país remoto como o Brasil, aquela edição foi tão importante, esclarecedora e completa, sobre o castigo contra a ousadia de Praga em esboçar divergências contra os moldes do socialismo da União Soviética. “Até hoje aquela edição é citada nos cursos mais importantes de Jornalismo, de Columbia à Universidade Navarra, atual meca do aprendizado de qualidade”, lembrou o jornalista Cláudio Humberto. “Vladimir era engraçado, gentil, elegante. Trazia sempre um sorriso no canto da boca”, completou o jornalista.

A notícia de sua morte foi dada com pesar e absoluta tristeza, pela equipe da Diretoria de Comunicação do TJ de Alagoas. E recebida com merecidas homenagens pela imprensa de Alagoas.

Todos que conheceram o jornalista lembram de alguma de suas histórias de aventuras em busca de notícias, como quando localizou e entrevistou Floro Gomes de Novais, um dos pistoleiros mais temidos do Sertão Pernambucano, em 1970. 

Há alguns anos, o jornalista lutava contra um câncer. Nas últimas semanas esteve internado para tratar de uma pneumonia, e não resistiu.

Vladimir Calheiros também atuou na assessoria de comunicação do TRE/AL, antes de assumir a então assessoria de comunicação do TJAL, no início da década de 2000. Foi a partir desse momento que ele contribuiu para criação da lei que daria origem à atual Diretoria de Comunicação do TJAL.

À frente da comunicação do Judiciário, Vladimir Calheiros dava total liberdade aos colegas de trabalho e sempre que a imprensa buscava por quaisquer informações, ele lembrava que “a melhor mentira é a verdade”. 

O diretor de Comunicação do TJAL, Maikel Marques, destacou o respeito com que Vladimir Calheiros tratava a todos e o seu espírito de liderança. “Ele não tinha dificuldade nenhuma em apostar nos talentos com quem trabalhou. Às vezes, eu apresentava umas ideias e ele dizia para eu colocar para frente. Ele não tinha egoísmo nenhum no gerenciamento de pessoas”, destacou. (Com informações da Dicom do TJAL)