Provocador

Homem que hostilizou Joaquim Barbosa é detido no Senado

acessibilidade:

Ex-assessor da deputada Erika Kokay (PT), Rodrigo Grassi, que hostilizou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa na saída de um restaurante em Brasília, foi detido na noite de ontem (6) pela Polícia Legislativa após provocar um bate-boca com o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP). O político paulista, em 11 de abril,  protocolou na Câmara dos Deputados uma denúncia contra ele, na época servidor da Casa, por divulgar o vídeo insultando o presidente do STF. O episódio acabou com a exoneração de Grassi..

O suposto blogueiro, militante do PT, encontrou o senador num corredor do Congresso, fez uma pergunta genérica sobre CPI, e quando, de forma provocativa, questionou N:unes sobre seu suposto envolvimento com o desvio de verbas do metrô de São Paulo, o político se irritou ?Vai pra p* que te pariu. Envolvimento é o cacete. Vagabundo!?.

À Agência Brasil, o tucano contou o que aconteceu. ?Um jovem me abordou a pretexto de fazer uma entrevista a respeito de CPIs. Eu parei para falar com ele e, no meio da entrevista, ele me fez uma ofensa muito grave. Eu então tentei segurá-lo para chamar a segurança e ele saiu correndo. Depois, quando eu estava saindo do Senado, ele voltou a me abordar e foi preso?.

No começo de abril, um vídeo foi publicado no Youtube onde Grassi aparece hostilizando Joaquim Barbosa e gritando ?Dirceu guerreiro do povo brasileiro?, ?abaixo a ditadura do judiciário? e, entre outras ofensas, ainda chamou Barbosa de “projeto de ditador”.

No dia 11 de abril, o senador tucano protocolou na Câmara dos Deputados uma denúncia contra Rodrigo Grassi Cademartori, que na época era servidor da Casa, por divulgar o vídeo. O episódio acabou com a exoneração de Grassi.

Reportar Erro