Mais Lidas

HUMANISMO OU ULTRAJE?

Frevo em hospital de Alagoas pode virar processo no Conselho de Medicina

Bombeiros tocaram acordes de frevo, em meio a gritos de euforia

acessibilidade:

Os estridentes acordes dos metais, embalados pelas batidas dos músicos do Corpo de Bombeiros e por gritos de euforia de profissionais da saúde, levaram frevo e polêmica para os corredores do Hospital Geral do Estado de Alagoas (HGE), na manhã da última sexta-feira (2). A apresentação servia para chamar os servidores para participar do desfile das prévias carnavalescas naquela noite, no bairro de Jaraguá, em Maceió(AL).

A unidade pública estadual que é referência para o tratamento de pacientes em estado de emergência, em decorrência de traumas ou urgências clínicas, será alvo de apuração do Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal), após circularem vídeos e críticas sobre a folia no ambiente em que o silêncio é imperativo para a recuperação de alagoanos com a saúde fragilizada.

O breve ensaio do tradicional bloco “HGE Folia” nos corredores da unidade de emergência foi justificado pela direção do hospital como ação para humanizar o ambiente hospitalar. O HGE diz não ter registrado reclamações de pacientes e funcionários. Mas a apresentação foi vista como uma atitude exagerada – pelo barulho – e desrespeitosa com os pacientes convalescentes, no ambiente que sofre com superlotação constante, e cuja falta de medicamentos em decorrência de fraudes de até R$ 180 milhões já resultou na Operação Correlatos, deflagrada pela Polícia Federal em agosto de 2017.

NÃO SERIA PERMITIDO

O presidente do Cremal, Fernando Pedrosa, disse que o órgão fiscalizador da profissão médica pedirá explicações ao Corpo de Bombeiros Militar, sobre a presença da banda com os militares liderando a folia no HGE. E, daqui a duas semanas, o Cremal deve iniciar a discussão sobre a natureza ética da atitude, quando reunir seus conselheiros em sessão plenária que deve oficializar a abertura de um processo.

“Não seria permitido. Aquilo não pode acontecer, mesmo que ali seja um local sem atendimentos ou pacientes. Mesmo na área administrativa aquilo não pode acontecer num hospital cheio de problemas justamente na questão dos atendimentos", condenou o presidente do Cremal, em entrevista à Gazetaweb.

Veja um trecho da apresentação: 

'CELEUMA DESNECESSÁRIA'

O tenente-coronel Carlos Cauper Nascimento, ressaltou que os bombeiros militares foram autorizados pelo Comando Geral do Corpo de Bombeiros a participar de um projeto social do HGE, sem saber que tocariam dentro da unidade hospitalar. Ainda assim, ponderou sobre o que chamou de "celeuma" criada em torno do fato, que seria corriqueiro, com participação de músicos da Polícia Militar, em anos anteriores do projeto. 

"Em nenhum momento alguém comentou que seria para andar pelos corredores. A notícia que vende é a de que foi no HGE. Mas foi no HGE, onde? Foi no local que realmente incomodou? Não sei. Dois militares que estavam lá me passaram que não foi na área vermelha nem nos corredores que geralmente ficam lotados de pessoas nas macas, onde a gente sempre vê aquelas notícias tristes. Mas foi num local isolado, que não incomodava. E as pessoas aplaudiram e quem podia se levantar, leventou e participou. Os militares não sentiram nenhuma rejeição ao ato. Causa-se uma celeuma, mas, será que o pessoal iria ter a falta de consciência de ir numa ala onde efetivamente aquela situação incomodaria os pacientes Ou foi num local onde aquele momento traria conforto e alegria do carnaval? É preciso analisar isso, para não alimentar essa celeuma desnecessária", disse 

Leia a nota de esclarecimento da Direção do HGE:

NOTA DE ESCLARECIMENTO 

FREVO NOS CORREDORES DO HGE

O Hospital Geral do Estado (HGE) esclarece que o frevo levado a alguns corredores na manhã da última sexta-feira (02) não comprometeu os serviços qualificados do maior hospital público de Alagoas e tampouco percorreu locais com pacientes mais críticos, como áreas especializadas em cardiologia, AVC e de cuidados intensivos.

Também informa que a música traz benefícios para a saúde, como: alívio de dores, estímulo à memória, promove comunicação, cria vínculos e até renova a vitalidade. Esta ação faz parte da tradição dos servidores em humanizar o ambiente hospitalar, que contou com a participação de integrantes do Corpo de Bombeiros de Alagoas, para animar os pacientes, acompanhantes e servidores que não podem dispor da alegria do carnaval, respeitando usuários e profissionais da saúde no desempenho de suas funções, além de lançar o convite para o bloco HGE na Folia, que há 11 anos os próprios servidores levam ao evento Jaraguá Folia.

É válido ressaltar que nenhuma reclamação foi registrada pelos pacientes, acompanhantes e profissionais da saúde. Na Pediatria, por exemplo, as crianças encantadas com a alegria e com a música. Entretanto, qualquer reclamação pode ser feita em nosso setor Ouvidoria.