Mais Lidas

Punição a um heroi

Ferraço critica covardia do governo ao punir Saboia

Para o senador, o Itamaraty punir Saboia é 'o avesso do avesso'

acessibilidade:

A punição do diplomata Eduardo Saboia “foi uma decisão absurda e covarde” do governo, para o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), que presidiu a Comissão de Relações Exteriores do Senado. E lembra a canção de Caetano: “O avesso do avesso do avesso do avesso”.

Eduardo Saboia foi suspenso por vinte dias porque salvou a vida de um senador boliviano, Roger Molina, que, perseguido por Evo Morales, estava asilado havia 455 dias na embaixada do Brasil em La Paz.

Para Ricardo Ferraço, a decisão do Saboia, salvando a vida de Molina, “foi absolutamente compatível com os princípios que devem mover nossa política externa: os direitos humanos e o asilo político.” Segundo ele, foi uma decisão focada num princípio nobre: a vida humana. Leia na coluna Claudio Humberto.