Mais Lidas

Tiros em Curitiba

Ferido por tiro em acampamento do PT não corre risco de vida

Homem a pé teria feito disparos, e ferido ainda está na UTI

acessibilidade:

Duas pessoas ficaram feridas – uma delas segue na UTI, mas sem perigo de morrer – atingidas por tiros disparados contra o acampamento de manifestantes simpatizantes do ex-presidente Lula, por volta das 4h deste sábado (28). De acordo com nota da Secretaria da Segurança Pública do Paraná, “um indivíduo a pé efetuou disparos de arma de fogo. Uma pessoa foi ferida e levada para o hospital. Um tiro acertou um banheiro químico e os estilhaços feriram, sem gravidade, uma mulher no ombro." Inquérito foi aberto para investigar o caso.

Investigadores e peritos da Polícia Cientifica do Paraná, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, policiais civis e militares recolheram, no local, cápsulas de pistola 9 mm, que serão analisadas e comparadas às marcas deixadas. O homem atingido pelos tiros, identificado como Jéfferson Lima de Menezes, está na UTI do Hospital do Trabalhador, para onde foi levado. Segundo boletim médico, "o paciente está instável e segue entubado".

Rapidez
Pela manhã, o diretor-geral da Secretaria de Segurança, tenente-coronel Artur da Costa, o delegado-geral Naylor Gustavo e o responsável pela delegacia de homicídios de Curitiba, Fábio Amaro, estiveram reunidos com o presidente do PT do Paraná, Doutor Rosinha, e representantes da CUT para discutir a segurança no acampamento, que fica a menos de um quilômetro do prédio da Polícia Federal, em Curitiba, onde está preso o ex-presidente Lula, cumprindo pena de 12 anos e um mês por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O principal ponto da reunião foi a garantia de uma investigação rápida. Além disso, as autoridades anunciaram a presença de viaturas policiais diariamente no local do acampamento e apoio da segurança nas manifestações previstas para as comemorações do 1o de Maio, na próxima terça-feira. 

Apesar de as investigações não terem avançado, o PT divulgou nota condenando o que chamou de "atentado" por "criminosos dispararam mais de 20 tiros contra o acampamento Marisa Letícia. A nota diz ainda que "o ataque é mais um episódio de violIncia política contra a democracia e acontece um mês depois de tiros terem atingido ônibus da caravana Lula pelo Brasil no interior do Paraná. Até agora não foram presos os autores dos disparos feitos no mês passado e tampouco os desta madrugada."

Reportar Erro