Mais Lidas

Presidência da Câmara

Evangélicos querem saída 'imediata' de Eduardo Cunha

'Não há coerência e base ética necessária', afirmam

acessibilidade:

Um manifesto pedindo a saída "imediata" do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi protocolada ontem, 28, na Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Casa. O pedido é, simplesmente, de representantes e membros de movimentos evangélicos, ao qual Cunha pertence.

No documento, assinado por 17 pessoas, os evangélicos dizem repudiar as ações de corrupção que o peemedebista é acusado, que se identifica como evangélico, e avaliam que elas tornam a permanência de Cunha no cargo insustentável.

Eles também afirmam que a crise política pela qual o Brasil passa vem se traduzindo em conflitos institucionais, que precisam ser revistos com uma "profunda Reforma Política". "Nesse contexto, as ações do deputado Eduardo Cunha, atual presidente da Câmara dos Deputados e que se identifica como evangélico, merecem repúdio". Eles avaliam que, diante das denúncias de corrupção, "não há coerência e base ética necessária" para Cunha continuar no cargo.

Segundo o pastor Welinton Pereira, pelo menos 35 evangélicos da Assembleia de Deus, mesma igreja de Cunha, assinaram o documento. O pastor destacou que, após o protocolo, foi aberta na internet uma lista online para colher assinaturas.

Reportar Erro