Mais Lidas

Em vídeo

Terrorista prometeu lealdade ao grupo Estado Islâmico

Homem fala do ataque ao jornal Charlie Hebdo, referindo-se aos autores como "irmãos"

acessibilidade:

Dubai e Paris – Um vídeo que circulou neste domingo mostra um homem que parece ser Amedy Coulibaly, morto após um impasse com a polícia em um supermercado kosher próximo de Paris, prometendo lealdade ao grupo Estado Islâmico.

O vídeo mostra cenas de um homem parecido com Coulibaly se exercitando ao ar livre perto de um prédio de tijolos. Também aparecem tiros de armas automáticas, pistolas e munições dispostas em um assoalho de madeira. Em seguida, o homem surge na frente de uma pequena bandeira do Estado Islâmico e promete, em francês, sua lealdade ao califa Abu Bakr al-Baghdadi.

A legenda o identifica como um “soldado do califado” e lista seu nome como sendo Amedy Coulibaly e também Abou Bassir Abdallah al-Ifriqi. Legendas antes de sua declaração dizem que ele era o responsável pelo ataque de quinta-feira em Montrouge, nos subúrbios de Paris, no qual uma policial foi morta, e que, em outro ataque, no dia seguinte, em um mercado kosher também nos arredores de Paris, ele tomou reféns e “executou cinco judeus”. Apenas quatro pessoas foram mortas neste ataque. O homem também foi indicado como o responsável por posicionar um carro-bomba que explodiu nas ruas de Paris.

Posteriormente, no vídeo, o homem fala do ataque ao jornal Charlie Hebdo, referindo-se aos autores como “irmãos” e dizendo que trabalhou com eles. “O que estamos fazendo é completamente legítimo, dado o que eles estão fazendo”, diz, em francês fluente. “Você não ataca e não espera retribuição, então vocês estão atuando como vítimas, como se não entendessem o que está acontecendo.”

No final do vídeo, o suposto Coulibaly chama outros a realizarem ataques semelhantes. (Fontes: Dow Jones Newswire e Associated Press)